Aflatoxina: o que é, sintomas da intoxicação e riscos

Atualizado em janeiro 2024

Aflatoxinas são toxinas produzidas por algumas espécies de fungos, como Aspergillus flavus e Aspergillus parasiticus, que podem contaminar alimentos e provocar sintomas, como náusea, icterícia, dor no abdome ou convulsões, quando ingerida em grandes quantidades.

Mesmo em quantidades pequenas, as aflatoxinas podem causar riscos para a saúde, como alterações no crescimento em crianças, diminuição da imunidade e problemas no fígado, quando ingeridas ou inaladas por longos períodos.

Para saber como reduzir as aflatoxinas na alimentação é recomendado consultar um nutricionista, que é o profissional mais indicado para orientar como selecionar os alimentos mais saudáveis e armazená-los corretamente. 

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de intoxicação

Os principais sintomas da intoxicação por aflatoxinas são:

  • Náusea e/ou vômitos; 
  • Coceira no corpo;
  • Pele e olhos amarelados;
  • Dor no abdome;
  • Sonolência ou perda da consciência;
  • Convulsões.

Os sintomas da intoxicação por aflatoxina normalmente surgem quando a pessoa ingere grandes quantidades desta toxina por meio de alimentos contaminados em curto período de tempo. 

Leia também: Intoxicação: o que é, tipos, sintomas e tratamento tuasaude.com/sintomas-de-intoxicacao

Além disso, estes sintomas são mais comuns e graves em crianças e, dependendo da quantidade de aflatoxina ingerida, podem colocar a vida da pessoa em risco em alguns casos.

Não ignore os seus sintomas!

Priorize sua saúde. Descubra a causa dos seus sintomas e receba o cuidado que precisa.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Possíveis riscos

A aflatoxina no organismo está associada a riscos para a saúde, como: 

  • Atraso do crescimento e desenvolvimento em crianças;
  • Desenvolvimento de deficiências nutricionais;
  • Diminuição da imunidade;
  • Alterações no funcionamento do fígado, podendo resultar em cirrose;
  • Aborto ou prematuridade no bebê, em caso de mulheres grávidas;
  • Câncer do fígado e/ou vesícula biliar.

Estes riscos estão associados principalmente à ingestão da aflatoxina por um longo período, que pode estar presente em alimentos como cereais, amendoim, nozes, amêndoas ou temperos e outros condimentos.

Além disso, pessoas que trabalham em armazéns de grãos, fábricas de rações ou indústrias de processamento de alimentos, por exemplo, também podem inalar aflatoxinas transportadas pelo ar, aumentando o risco de desenvolverem estes problemas de saúde.

Como eliminar as aflatoxinas

A melhor forma de eliminar as aflatoxinas é selecionando os alimentos em condições mais adequadas de consumo, descartando aqueles que apresentam mofo ou alterações no formato, cor e/ou tamanho, e armazenando-os em local apropriado para evitar o crescimento de fungos.

Leia também: Como congelar legumes, verduras e frutas tuasaude.com/como-congelar-legumes-e-verduras

Embora métodos como o uso de produtos químicos, luz ultravioleta ou aplicação de calor, possam eliminar as aflatoxinas, seu uso somente é possível em indústrias de alimentos. Além disso, até o momento não é possível a eliminação completa destas toxinas por estes meios.   

Por isso, é importante checar a procedência dos alimentos antes de adquiri-los, certificando-se de que foram produzidos em condições adequadas e selecionados devidamente, além de evitar o consumo de alimentos fora do prazo de validade.