Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Para que serve o Ácido Glicólico e seus efeitos na pele

O ácido glicólico é um tipo de ácido derivado da cana de açúcar e outros vegetais doces, sem cor e sem cheiro, cujas propriedades têm efeito esfoliante, hidratante, clareador, antiacnéico e rejuvenecedor, podendo ser usado na composição de cremes e loções, para uso diário, ou pode ter concentração mais forte para a realização de peelings.

Os produtos podem ser manipulados a partir da receita médica ou podem ser vendido em lojas e farmácias, sendo que diversas marcas podem conter este ácido são Hinode, Whiteskin, Demelan creme Clareador, Derm AHA ou Normaderm, por exemplo, com preços que variam de acordo com a marca e com a quantidade do produto, podendo variar entre cerca de 25 a 200 reais. 

Antes e depois do tratamento com ácido glicólicoAntes e depois do tratamento com ácido glicólico

Para que serve

Alguns dos principais efeitos do ácido glicólico são:

Com a remoção das células mortas, este ácido facilita a absorção de outras substâncias utilizadas na pele, como hidratantes ou clareadores, por exemplo. De preferência, o tratamento com ácido glicólico deve ser indicado pelo dermatologista, que saberá orientar a forma de uso e quantidade ideais para cada tipo de pele. 

Como usar

Quando utilizado em produtos cosméticos, na forma de cremes ou loções, o ácido glicólico é encontrado nas concentrações de 1 a 10%, devendo ser usados diariamente ao deitar ou conforme a indicação médica.

Já quando utilizado na forma de peeling, o ácido glicólico costuma ser aplicado na concentração de 20 a 70%, podendo ter efeito mais suave ou mais intenso para a remoção da camada de células, de acordo com as necessidades e tipo de pele de cada pessoa. Entenda melhor o que é o peeling químico, como é feito e seus efeitos.

Possíveis efeitos colaterais

Apesar de o ácido glicólico ser um  produto relativamente seguro, em algumas pessoas pode provocar efeitos colaterais como vermelhidão, ardência, sensibilidade à luz, sensação de queimação da pele e, caso provoque lesões, causar cicatrizes hipertróficas.

Para evitar estes efeitos indesejados, é orientado que qualquer tratamento de pele seja indicado pelo dermatologista, que saberá avaliar o tipo de pele e o que deve ser feito de forma segura para cada pessoa.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...