Chás abortivos: 7 plantas que deve evitar na gravidez

Atualizado em outubro 2023
Evidência científica

O uso de chás durante a gravidez deve ser feito com muito cuidado, já que existem plantas que podem afetar o corpo da gestante e prejudicar o desenvolvimento do bebê. Esses chás podem causar malformações graves no bebê, mas também resultar em aborto.

O ideal é que, sempre que se pretenda utilizar um chá durante a gravidez, se questione o obstetra que está acompanhando a gravidez, para saber qual a dosagem e a forma mais correta de utilizar esse chá.

Por existirem muito poucos estudos feitos com o uso de plantas durante a gravidez em humanos, não é possível afirmar com clareza quais as plantas completamente seguras ou abortivas. Por isso, como "regra de ouro", todo os chás devem ser evitados durante a gravidez, especialmente sem supervisão do médico.

Veja formas naturais e seguras de combater os desconfortos da gravidez.

Imagem ilustrativa número 2

7 chás proibidos na gravidez

As plantas medicinais que são completamente proibidas na gravidez, por existirem relatos comprovados de aborto ou malformações são:

  1. Prímula
  2. Alcaçuz;
  3. Angélica;
  4. Salsinha;
  5. Borragem;
  6. Arruda;
  7. Café.

Além dessas, algumas plantas devem ser evitadas durante a gravidez por apresentarem substâncias com potencial para afetar a gestação, mesmo que não exista comprovação.

Chás que podem ser usados com moderação

Na tabela seguinte é possível identificar as plantas que devem ser consumidas com moderação e sempre com orientação de um médico:

Agnocasto Catuaba Hortelã Sene
Alecrim Cavalinha Inhame selvagem Tanaceto
Alfafa Cidreira Jarrinha Tanchagem
Arnica Cúrcuma Jurubeba Trevo vermelho
Aroeira Damiana Kava-kava Urtiga
Artemísia Dedaleira Losna Uva-ursina
Ashwagandha Erva-de-santa-maria Macela Valeriana
Babosa Erva-doce Milefólio Vinca
Boldo Espinheiro-alvar Mirra Zimbro
Buchinha Feno grego Noz moscada  
Cálamo Funcho Passiflora  
Calêndula Ginkgo biloba Poejo  
Camomila Ginseng Quebra-pedra  
Canela Guaco Romã  
Carqueja Hera Ruibarbo  
Cáscara sagrada Hibisco Saião  
Castanha da Índia Hidraste Salsaparrilha  

Independente desta tabela, é sempre importante consultar o obstetra ou um fitoterapeuta antes de tomar qualquer chá. Caso deseje marcar consulta com um obstetra perto de você, utilize a nossa ferramenta:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Obstetras e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Muitos dos chás feitos com estas plantas também devem ser evitados durante a amamentação e, por isso, depois do parto é importante voltar a consultar o médico. Confira a lista de chás a evitar durante a amamentação.

O que pode acontecer se tomar chá

Um dos principais efeitos colaterais do uso de algumas plantas medicinais durante a gestação é o aumento das contrações uterinas, que provoca intensa dor abdominal, podendo haver sangramentos e, até, aborto.

Embora, em alguns casos, o aborto não chegue a acontecer, a toxidade que chega até ao bebê pode ser suficiente para causar graves alterações, comprometendo seu desenvolvimento motor e cerebral. A toxidade das plantas impróprias para uso durante a gravidez também podem causar graves complicações renais, trazendo riscos para a saúde da gestante.