Tratamento da pneumonia na criança: 8 principais opções

Revisão médica: Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
agosto 2022

O tratamento da pneumonia infantil dura cerca de 10 dias e geralmente é feito com uso de antibióticos, que são escolhidos de acordo com o agente causador da doença, podendo ser indicado o uso de amoxicilina oral ou injeção de penicilina, prescritos pelo pediatra.

Embora a pneumonia na criança possa ser tratada em casa, se existirem sintomas como dificuldade para respirar ou cansaço estão presentes, o tratamento deve ser feito com a internação no hospital. Isso porque outras medidas, como oxigenoterapia ou ventilação não-invasiva podem ser necessárias. Saiba como reconhecer os sinais e sintomas de pneumonia.

Em caso de suspeita de pneumonia, é importante consultar um pediatra para uma avaliação e iniciar o tratamento apropriado. No entanto, caso sintomas como dificuldade para respirar e cansaço estejam presentes, é recomendado procurar uma emergência.

As principais opções no tratamento da pneumonia na criança são:

1. Antibióticos

Antibióticos como amoxicilina e azitromicina geralmente são indicados quando suspeita-se de que a pneumonia seja causada por bactérias. Além disso, a escolha do antibiótico normalmente depende da idade da criança, da suspeita de qual microorganismo que está causando a infecção e da gravidade da doença.

2. Antivirais

Antivirais, como o oseltamivir, normalmente são indicados nos casos em que a pneumonia é causada pelo vírus influenza A ou B. Veja quando o oseltamivir é indicado.

3. Oxigenoterapia

A oferta de oxigênio geralmente é indicada quando há hipoxemia, situação em que a quantidade de oxigênio no sangue é baixa, ou sinais de desconforto respiratório, como lábios azulados e cansaço para respirar. Conheça os tipos de oxigenoterapia e outras indicações.

Caso suspeite de hipoxemia ou existam sinais de desconforto respiratório, é recomendado procurar uma emergência.

4. Broncodilatadores

Broncodilatadores como o salbutamol geralmente são indicados quando há sintomas como dificuldade de respirar e chiado no peito, que podem indicar a presença de broncoconstrição. Veja para que serve e como usar o salbutamol.

5. Antitérmicos

Antitérmicos como paracetamol ou dipirona costumam ser indicados em caso de febre, geralmente quando a temperatura axilar é superior a 38ºC.

6. Manter as vias aéreas limpas

É importante manter as vias aéreas limpas, porque o excesso de secreção no nariz pode dificultar a respiração adequada da criança. Uma forma de fazer a limpeza é por meio da lavagem nasal com soro fisiológico, que pode ser realizada com a criança sentada e utilizando uma seringa sem a agulha para injetar o soro através das narinas da criança.

7. Alimentação e hidratação

Manter uma alimentação e hidratação adequadas é importante para evitar a desidratação. No entanto, caso a criança já apresente sinais de desidratação, como menor quantidade de urina e choro com poucas lágrimas, ou não esteja conseguindo se alimentar, é importante procurar uma emergência para avaliação. Saiba como identificar os sinais de desidratação na criança.

8. Evitar esforços muito intensos

Esforços muito intensos devem ser evitados caso provoquem desconforto na criança. Embora o repouso geralmente não seja necessário no tratamento da pneumonia, atividades como brincar, andar de bicicleta ou jogar bola podem ser realizadas, desde que não sejam muito intensas e a criança se sinta bem.

Quando procurar uma emergência

É recomendado procurar uma emergência em caso de:

  • Idade menor que 3 meses;
  • Convulsões;
  • Lábios ou pontas dos dedos arroxeados;
  • Grande movimento das costelas ou abdome ao respirar;
  • Cansaço ou gemidos ao respirar;
  • Sonolência;
  • Desmaio;
  • Dificuldade para ingerir alimentos e/ou líquidos;
  • Histórico de doenças crônicas, como fibrose cística ou anemia falciforme;
  • Vômitos frequentes.

Além disso, caso a criança já esteja sendo tratada com antibióticos para pneumonia e não apresente sinais de melhora após 72h, como melhora da febre ou da indisposição, é recomendado procurar uma emergência para uma nova avaliação.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Karla S. Leal - Nutricionista, em agosto de 2022. Revisão médica por Drª. Beatriz Beltrame - Pediatra, em julho de 2016.

Bibliografia

  • NAPOLITANO, Natalie et al. AARC Clinical Practice Guideline: Management of Pediatric Patients With Oxygen in the Acute Care Setting. RESPIRATORY CARE. Vol.66, n.7. 1214–1223, 2021
  • SAME, Rebecca G. et al. The Association of Antibiotic Duration With Successful Treatment of Community-Acquired Pneumonia in Children. J Pediatric Infect Dis Soc. Vol.10, n.3. 267–273, 2021
Mostrar bibliografia completa
  • AEHLERT, Barbara et al. PALS: Pediatric Advanced Life Support Study Guide. 4.ed. Burlington, MA: Jones & Bartlett Learning, 2018.
  • STATPEARLS. Pediatric Pneumonia. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK536940/>. Acesso em 28 jul 2022
  • MESSINGER, Amanda I. et al. Management of Pediatric Community-acquired Bacterial Pneumonia. Pediatrics in Review. Vol.38, n.9. 394–409, 2017
  • NASCIMENTO-CARVALHO, Cristiana M. Community-acquired pneumonia among children: the latest evidence for an updated management. J Pediatr (Rio J). Vol.96, n.1. 29-38, 2020
Revisão médica:
Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
Formada pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, em 1993 com registro profissional no CRM PR - 14218.

Tuasaude no Youtube

  • PNEUMONIA: os sintomas que você tem que conhecer

    08:37 | 10350 visualizações