Síndrome do ninho vazio: o que é, sintomas e o que fazer

Setembro 2021

A síndrome do ninho vazio é caracterizada por um sofrimento excessivo associado à perda do papel da função dos pais, com a saída dos filhos de casa, quando vão estudar fora, quando casam ou vão viver sozinhos.

Esta síndrome parece estar ligada à cultura, ou seja, em culturas em que as pessoas, principalmente as mulheres, se dedicam exclusivamente à criação dos filhos, a sua saída de casa causa mais sofrimento e sentimento de solidão, em relação a culturas onde as mulheres trabalham e têm outras atividades na sua vida. 

Geralmente, as pessoas no período em que os filhos saem de casa, deparam-se com outras mudanças em seu ciclo vital, como aposentadoria, ou início da menopausa nas mulheres, o que pode agravar sentimentos de depressão e baixa autoestima. 

Síndrome do ninho vazio: o que é, sintomas e o que fazer

Sintomas da síndrome do ninho vazio

Os sintomas da síndrome do ninho vazio podem ter início antes da saída dos filhos e serem acentuados quando os filhos definitivamente saem, podendo os pais apresentarem tristeza, sofrimento e sentimento de impotência, podendo inclusive haver o desenvolvimento de um quadro de depressão, em alguns casos.

Alguns estudos defendem que as mães sofrem mais do que os pais quando os filhos saem de casa, por se dedicarem mais a estes, tendo a sua autoestima rebaixada, porque sentem que deixaram de ser úteis. No entanto, o grau de sofrimento pode variar de pessoa para pessoa e depende do grau de envolvimento que os pais possuem na vida do filho.

O que fazer

A fase em que os filhos saem de casa pode ser muito difícil para algumas pessoas, no entanto, existem algumas formas de lidar com a situação:

1. Aceitar o momento

É importante que os pais ajudem os filhos no processo de mudança, sendo fundamental que mostrem interesse e que tentem lidar com o momento com leveza, assim como é importante que falem aos filhos como estão se sentindo nesse momento, pois assim poderá ser mais fácil aceitar a saída e sofrer menos com os sintomas da síndrome.

2. Manter o contato

Apesar de os filhos não viverem mais em casa, isso não significa que eles não continuem a frequentar a casa dos pais. Os pais podem continuar perto dos filhos mesmo morando separados, fazendo visitas, telefonemas ou combinando passeios juntos.

3. Procurar ajuda

Se os pais sentirem dificuldade em superar esta fase, devem procurar ajuda e apoio junto de familiares e amigos, bem como de um terapeuta, pois assim é possível falar sobre a situação, expondo os momentos de maior sofrimento, podendo ser interessante fazer terapia em grupo, em que existem outros pais que estão lidando com o mesmo processo. Dessa forma, ao compartilhar a experiência com outras pessoas, pode se tornar um pouco mais fácil lidar com a síndrome do ninho vazio.

4. Praticar atividades

Geralmente, durante o período em que os filhos vivem em casa, os pais perdem um pouco a qualidade de vida, porque abdicam de realizar algumas atividades de que gostam, têm menos tempo de qualidade em casal e mesmo tempo para eles mesmos. 

Assim, com o tempo "extra" e mais energia, pode-se dedicar mais tempo ao conjugue ou mesmo realizar uma atividade que se tem adiado, como ir ao ginásio, aprender pintura ou a tocar um instrumento musical, por exemplo.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: