Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Saco gestacional: o que é, qual o tamanho e problemas comuns

Setembro 2020

O saco gestacional é a primeira estrutura formada no início da gravidez que envolve e abriga o bebê e é responsável por formar a placenta e a bolsa amniótica para o bebê crescer de forma saudável, estando presente até aproximadamente a 12ª semana de gestação.

O saco gestacional pode ser visualizado por ultrassom transvaginal por volta da 4ª semana de gestação e fica localizado na parte central do útero, medindo de 2 a 3 milímetros de diâmetro, sendo um bom parâmetro para confirmação da gravidez. No entanto, nesta fase ainda não é possível visualizar o bebê, que só aparece dentro do saco gestacional após 4,5 a 5 semanas da gestação. Por esta razão, geralmente os médicos preferem esperar até a 8ª semana para solicitar o ultrassom para ter uma avaliação mais segura de como está o desenvolvimento da gravidez.

A avaliação do saco gestacional é um bom parâmetro para verificar se a gravidez está evoluindo como deveria. Os parâmetros avaliados pelo médico são a implantação, o tamanho, a forma e o conteúdo do saco gestacional. Confira outros exames para avaliar a evolução da gravidez.

Saco gestacional: o que é, qual o tamanho e problemas comuns

Tabela do tamanho do saco gestacional

O saco gestacional aumenta de tamanho com a evolução da gravidez. Durante o ultrassom, o médico compara os resultados deste exame com a tabela a seguir:

Idade GestacionalDiâmetro (mm)Variante (mm)
4 semanas52 a 8
5 semanas106 a 16
6 semanas169 a 23
7 semanas2315 a 31
8 semanas3022 a 38
9 semanas3728 a 16
10 semanas4335 a 51
11 semanas5142 a 60
12 semanas6051 a 69

Legenda: mm = milímetros.

Os valores de referência da tabela do tamanho do saco gestacional permitem ao médico identificar com antecedência problemas e anomalias do saco gestacional.

Problemas mais comuns com o saco gestacional

O saco gestacional saudável apresenta contornos regulares e simétricos e boa implantação. Quando apresenta irregularidades ou implantação baixa, as chances da gravidez não evoluir são grandes. 

Os problemas mais comuns incluem:

Saco gestacional vazio

Após a 6ª semana da gravidez, se o feto não for visualizado pelo ultrassom, significa que o saco gestacional está vazio e por isso o embrião não se desenvolveu após a fecundação. Este tipo de gestação é também chamada de gravidez anembrionária ou ovo cego. Saiba mais sobre gravidez anembrionária e porque acontece.

As causas mais comuns do feto não se desenvolver são divisão celular anormal e baixa qualidade do esperma ou do óvulo. Geralmente, o médico solicita repetir o ultrassom por volta da 8ª semana para confirmação da gestação anembrionária. Caso seja confirmada, o médico poderá optar por aguardar alguns dias pelo aborto espontâneo ou fazer a curetagem, neste caso é necessária internação hospitalar. 

Deslocamento do saco gestacional

O deslocamento do saco gestacional pode ocorrer por aparecimento de um hematoma no saco gestacional, devido a esforço físico, queda ou alterações hormonais, como desregulação da progesterona, pressão alta, uso de álcool e drogas.

Os sinais de deslocamento são cólica leve ou intensa e sangramento marrom ou vermelho vivo. Geralmente, quando o deslocamento é superior a 50%, as chances de aborto espontâneo são grandes. Não existe uma forma eficaz para prevenir o deslocamento, mas quando acontece, o médico indicará medicamentos e repouso absoluto por pelo menos 15 dias. Nos casos mais graves, é necessária internação. 

Quando ir ao médico

É importante ir ao médico se surgirem sintomas de cólica intensa ou sangramento, neste caso deve-se procurar imediatamente a maternidade ou pronto-atendimento e entrar em contato com o médico que faz o acompanhamento da gestação. O diagnóstico de problemas no saco gestacional somente é feito pelo médico por ultrassom, por isso, é importante iniciar o pré-natal logo se saiba da gravidez.

Bibliografia >

  • NAPOLITANO, Rafaelle; PAPAGEORGHIOU, Aris T. Twining’s Textbook of Fetal Abnormalities. Chapter 1 - First-Trimester Detection of Fetal Anomalies. 3.ed. Elsevier, 2015. Chapter 1.
  • DEWALD, Olga; HOFFMAN, Jennifer T. Gestational Sac Evaluation. StatPearls. 2020
  • SUGUNA, B.; SUKANYA, K.. Yolk sac size & shape as predictors of first trimester pregnancy outcome: A prospective observational study. Journal of Gynecology Obstetrics and Human Reproduction. 48. 3; 159-164, 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem