10 principais remédios para vermes e como tomar

Revisão clínica: Flávia Costa
Farmacêutica
julho 2022

O tratamento com remédios para vermes é feito em dose única, porém também podem ser indicados esquemas de 3, 5 ou mais dias, o que varia de acordo com o tipo de medicamento ou do verme a ser combatido.

Os remédios para vermes devem ser sempre tomados de acordo com a recomendação do médico e, geralmente são indicados quando são detectados vermes no exame de fezes ou quando existe suspeita da infecção através de sintomas, como fome excessiva, perda de peso acentuada ou alterações do trânsito intestinal, por exemplo. Confira os principais sintomas de vermes.

Alguns remédios para vermes podem ser comprados na farmácia sem receita médica, no entanto é importante que o gastroenterologista ou clínico geral seja consultado para que o antiparasitário mais indicado para a infecção seja indicado e sejam feitas orientações sobre a dose e o uso. No caso das crianças, é fundamental que o pediatra seja consultado para que seja indicado o remédio mais seguro e a dose adequada, que pode variar de acordo com o peso e a idade da criança.

Os principais remédios utilizados e sua ação para cada tipo dos vermes mais comuns, são:

1. Albendazol

O albendazol é um medicamento muito utilizado, pois combate grande parte das parasitoses intestinais, como Ascaridíase, Tricocefalíase, Enterobíase (oxiuríase), Ancilostomíase, Estrongiloidíase, Teníase e Giardíase. Sua ação consiste em degenerar as estruturas das células e tecidos dos vermes e protozoários, causando a morte destes parasitas.

Como usar: geralmente, a dose utilizada do albendazol para adultos ou crianças com mais de 2 anos é de 400 mg, em dose única, para o tratamento de Ascaris lumbricoides. Entretanto, em alguns casos, pode ser orientado pelo médico o uso por um período mais alargado, como por 3 dias em casos de Estrongiloidíase e Teníase, ou por 5 dias, em casos de Giardíase, por exemplo.

Efeitos colaterais mais comuns: dor abdominal, dor de cabeça, vertigem, enjoo, vômito, diarreia, urticária e elevações dos níveis de algumas enzimas do fígado.

2. Mebendazol

Este medicamento é utilizado para o tratamento de muitos tipos de vermes, pois destrói as funções das células responsáveis pela energia dos parasitas, causando a morte de vermes que causam doenças como Enterobíase (oxiuríase), Ascaridíase, Tricocefalíase, Equinococose, Ancilostomíase e Teníase.

Como usar: a dose recomendada, conforme a bula, é de 100 mg, 2 vezes ao dia, por 3 dias, ou conforme orientação do médico, para adultos e crianças acima de 2 anos.

Efeitos colaterais mais comuns: dor de cabeça, tontura, queda de cabelo, desconforto abdominal, febre, vermelhidão na pele, alterações nas células sanguíneas e elevação dos níveis das enzimas do fígado.

3. Nitazoxanida

Também conhecida pelo nome comercial Annita, este medicamento é um dos mais eficientes no combate a diversos tipos de vermes e protozoários, pois atua inibindo as enzimas das células indispensáveis à vida dos parasitas, dentre eles a Enterobíase (oxiuríase), Ascaridíase, Estrongiloidíase, Ancilostomíase, Tricocefalíase, Teníase e Himenolepíase, Amebíase, Giardíase, Cripstosporidíase, Blastocitose, Balantidíase e Isosporíase.

Como usar: seu uso, geralmente, é feito com a dose de 500mg, de 12 em 12 horas, por 3 dias. Já a dose em crianças acima de 1 ano é de 0,375 mL (7,5 mg) da solução oral por kg de peso, de 12 em 12 horas, por 3 dias, conforme orientação do pediatra.

Efeitos colaterais mais comuns: urina de cor esverdeada, dor abdominal, diarreia, enjoo, vômito, dor de cabeça, elevação dos níveis das enzimas do fígado e anemia.

4. Piperazina

É um vermífugo útil para o tratamento de Ascaridíase e Enterobíase (oxiuríase), e atua bloqueando a resposta muscular dos vermes, causando paralisia, por isso, eles podem ser eliminados ainda vivos pelo organismo.

Como usar: a dose recomendada deste medicamento é orientada pelo médico, sendo que, conforme a bula, para tratar a Enterobíase é de 65 mg por kg de peso, por dia, durante 7 dias, para adultos e crianças. No caso da Ascaridíase, a dose é de 3,5 g, por 2 dias, para adultos e 75 mg por kg de peso, por 2 dias, para crianças.

Efeitos colaterais mais comuns: enjoo, vômitos, diarreia, dor abdominal, vermelhidão, urticária e tontura.

5. Pirantel

É um antiparasitário que também age paralisando os vermes, que são expelidos vivos pelos movimentos intestinais, útil para combater infecções como Ancilostomíase, Ascaridíase e Enterobíase (oxiuríase).

Como usar: a dose recomendada pela bula do medicamento é de 10 a 11 mg por kg de peso, com dose máxima de 1 g, em dose única, para adultos e crianças, podendo-se repetir o tratamento após 2 semanas para garantir o tratamento da Enterobíase.

Efeitos colaterais mais comuns: falta de apetite, cólicas e dor abdominal, náuseas, vômitos, tonturas, sonolência e dor de cabeça.

6. Ivermectina

A Ivermectina é muito útil para o tratamento de larvas que causam a Estrongiloidíase, Oncocercose, Filariose, Escabiose e Pediculose, que são os piolhos, e mata estes parasitas ao alterar a estrutura de suas células musculares e nervosas.

Como usar: a dose recomendada desta medicação é de 200 mcg por kg de peso, em dose única, ou conforme indicação médica, para adultos e crianças com mais de 15 kg de peso.

Efeitos colaterais mais comuns: diarreia, enjoo, vômito, fraqueza, dor abdominal, falta de apetite, prisão de ventre, tontura, sonolência, tremor, urticária.

7. Tiabendazol

O tiabendazol também é um medicamento útil na eliminação de larvas, sendo utilizada para tratar Estrongiloidíase, Larva migrans cutânea e Larva migrans visceral (toxocaríase), pois inibe as enzimas das células dos vermes, causando a sua morte.

Como usar: a dose recomendada pode variar de acordo com a indicação médica, mas costuma ser orientada a dose 50 mg para cada kg de peso (máximo de 3 g), dividida em duas doses, para adultos e crianças, podendo ser necessários vários dias de tratamento para eliminar a Larva migrans visceral.

Efeitos colaterais mais comuns: enjoo, vômitos, secura na boca, diarreia, perda de peso, dor no estômago, dor abdominal, cansaço e tontura.

8. Secnidazol

O secnidazol é um medicamento que interfere no DNA dos protozoários, causando a sua morte, sendo muito utilizado para o tratamento de Amebíase e Giardíase.

Como usar: a dose recomendada deste medicamento é de 30 mg por kg de peso, em dose única, sem ultrapassar a dose máxima de 2 g, para o tratamento da amebíase intestinal ou giardíase. Já no caso da amebíase hepática, o tempo de tratamento pode variar de 5 a 7 dias, conforme orientação médica. Este remédio deve ser ingerido com um pouco de líquido, de preferência após o jantar.

Efeitos colaterais mais comuns: enjoo, dor no estômago, alteração do paladar, com gosto metálico, inflamação da língua e da mucosa da boca, diminuição do número de glóbulos brancos do sangue, tontura.

9. Metronidazol

É um antibiótico útil para diversos tipos de bactérias, entretanto, tem uma ótima ação contra protozoários que causam doenças intestinais como Amebíase e Giardíase, agindo ao interferir no DNA de bactérias e protozoários, causando sua morte. Além disso, também é muito utilizado para outros tipos de infecções por protozoários, como infecções vaginais por Gardnerella vaginalis e Tricomoníase.

Como usar: o uso recomendado para tratar a Giardíase é de 250 mg, 3 vezes ao dia, por 5 dias, enquanto que, para tratar a Amebíase, é recomendado tomar 500 mg, 4 vezes ao dia, por 5 dias a 10 dias, o que deve ser orientado pelo médico.

Efeitos colaterais mais comuns: dor abdominal, enjoo, vômito, diarreia, mucosite oral, alterações no paladar como gosto metálico, tontura, dor de cabeça, urticária.

10. Praziquantel

É um antiparasitário que serve para o tratamento de infecções como Esquistossomose, Teníase e Cisticercose, atuando ao causar paralisia do verme, que é morto em seguida pela ação da imunidade do corpo.

Como usar: para tratar a Esquistossomose de adultos e crianças acima de 4 anos, são orientadas 2 a 3 doses de 20 mg por kg de peso, num único dia. Para tratar a Teníase, recomenda-se 5 a 10 mg por kg de peso, em dose única e para a Cisticercose, 50 mg/kg ao dia, dividido em 3 doses diárias, durante 14 dias.

Efeitos colaterais mais comuns: dor abdominal, enjoo, vômitos, dor de cabeça, tontura, fraqueza e urticária.

Em alguns casos, também é possível que a dose e a quantidade de dias de uso dos medicamentos citados varie, conforme indicação médica, caso haja particularidades no tratamento de cada pessoa, como a existência de uma imunidade prejudicada, como em casos de pessoas portadoras de AIDS, ou caso a infecção pelos vermes seja mais grave, como acontece em casos de hiperinfecção ou infecções de órgãos fora do intestino, por exemplo.

Quem não deve usar remédios para vermes

Os remédios para vermes não devem ser usados por crianças menores de 2 anos, gestantes e mulheres em período de amamentação, exceto sob orientação médica. Deve-se ler a bula do medicamento atentamente, porque cada remédio pode ter contraindicações diferentes.

Opções caseiras para vermes

Existem opções de remédios naturais que podem ajudar a combater os vermes, entretanto nunca devem substituir o tratamento orientado pelo médico, sendo apenas opções complementares.

Alguns exemplos são comer sementes de abóbora, sementes do mamão ou tomar uma bebida de hortelã-pimenta com leite, por exemplo, mas não existem comprovações científicas da eficácia desses remédios caseiros para o tratamento. Confira informações em opções de remédios caseiros para vermes.

Como evitar se contaminar novamente

Os vermes podem estar sempre ao redor, na água sem tratamento, no chão e até na comida que não foi bem lavada. Por isso, para proteger da infecção por vermes, é importante seguir algumas dicas como:

  • Manter as mãos higienizadas, lavando-as com água e sabão, após uso de banheiros ou frequentar locais públicos;
  • Evitar roer unhas;
  • Evitar andar descalço, principalmente em chão com terra e lama;
  • Não beber água que não esteja devidamente filtrada ou fervida;
  • Lavar e higienizar as saladas e frutas antes de comer. Veja uma forma simples de lavar bem os vegetais antes de comer.

É recomendado que toda a família realize o tratamento com antiparasitários indicado pelo médico, mesmo que não existam sinais e sintomas aparentes, pois assim é possível prevenir o contágio.

Veja, também, outras opções do que fazer para tratar e como se proteger dos vermes, no vídeo a seguir:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em julho de 2022. Revisão clínica por Flávia Costa - Farmacêutica, em julho de 2022.

Bibliografia

  • FARMANGUINHOS. Praziquantel. 2017. Disponível em: <https://www.far.fiocruz.br/wp-content/uploads/2017/12/Praziquantel-Prof-saude-sem-cabecalho.pdf>. Acesso em 27 nov 2019
  • SANDOZ. Secnidazol. 2018. Disponível em: <https://www.sandoz.com.br/sites/www.sandoz.com.br/files/PF-Secnidazol.pdf>. Acesso em 27 nov 2019
Mostrar bibliografia completa
  • SANOFI-AVENTIS FARMACÊUTICA LTDA. . Flagyl. 2016. Disponível em: <https://www.onofre.com.br/estaticos/bulas/029254.pdf>. Acesso em 27 nov 2019
  • ABBOTT. Revectina - ivermectina. 2019. Disponível em: <https://dam.abbott.com/pt-br/documents/pdfs/nossas-bulas/r/BU%2014_Revectina_Bula_do_paciente.pdf>. Acesso em 27 nov 2019
  • EMS. Tiabendazol. Disponível em: <https://www.ems.com.br/arquivos/produtos/bulas/089209.pdf>. Acesso em 27 nov 2019
  • JANSSEN. Pantelmin - mebendazol. 2018. Disponível em: <https://www.janssen.com/brasil/sites/www_janssen_com_brazil/files/prod_files/live/pantelmin_cp_pub_vps.pdf>. Acesso em 27 nov 2019
  • EUROFARMA. Azox (nitazoxanida). 2018. Disponível em: <https://www.bifarma.com.br/manual/azox-500mg-com-6-comprimidos-revestidos-manual.pdf>. Acesso em 27 nov 2019
  • INFARMED. Combantrin - Pamoato de pirantel. 2006. Disponível em: <http://app7.infarmed.pt/infomed/download_ficheiro.php?med_id=2117&tipo_doc=fi>. Acesso em 27 nov 2019
  • MEDLEY. Albendazol. 2013. Disponível em: <https://www.bifarma.com.br/manual/albendazol-400mg-com-1-comprimido-manual.pdf>. Acesso em 27 nov 2019
Revisão clínica:
Flávia Costa
Farmacêutica
Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.

Tuasaude no Youtube

  • 6 principais causas de DIARREIA CONSTANTE

    05:01 | 21530 visualizações
  • Sintomas de VERMES que você NÃO PODE ignorar!

    07:35 | 480000 visualizações
  • Sintomas e remédios para acabar com VERMES

    04:53 | 1601709 visualizações