Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Remédios para calvície feminina e masculina

A calvície, também conhecida por alopécia androgenética, pode ser tratada com remédios de uso oral ou de aplicação tópica, que só devem ser usados se recomendados pelo médico, uma vez que apresentam algumas contra-indicações e que podem causar efeitos adversos.

A calvície caracteriza-se pela diminuição ou ausência de fios de cabelo, que resulta de uma sensibilidade dos folículos pilosos de determinadas áreas do couro cabeludo aos androgênios, processo no qual interferem os tratamentos.

Remédios para calvície feminina e masculina

Alguns dos remédios que podem ser prescritos pelo médico para o tratamento da calvície são:

1. Minoxidil

O minoxidil é uma solução disponível nas concentrações 2% e 5%, que deve ser aplicada no couro cabeludo. Esta substância ativa atua estimulando o crescimento do folículo capilar e aumenta o calibre dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação no local e prolongando a fase de crescimento do cabelo. Saiba mais sobre o minoxidil.

Como usar: A solução de minoxidil pode ser aplicada no couro cabeludo seco, nas regiões em que o cabelo está mais fraco, com a ajuda de uma massagem, duas vezes ao dia. Geralmente, as soluções a 5% são prescritas para o homem e as de 2% são indicadas para mulheres e a quantidade que deve ser aplicada é de 1 mL de cada vez, e a duração do tratamento é de cerca de 3 a 6 meses ou conforme indicação do médico.

Quem não deve usar: O minoxidil não deve ser usado por pessoas com hipersensibilidade aos componentes da fórmula, em grávidas e lactantes. A solução de minoxidil a 5% não deve ser usada em mulheres, a não ser que o médico recomende.

2. Finasterida

A finasterida de 1mg, em comprimidos, está indicada para o tratamento de homens com alopécia androgênica, para aumentar o crescimento do cabelo e prevenir a queda.

Como usar: A dose recomendada é de 1 comprimido por dia por, no mínimo, 3 meses.

Quem não deve usar: A finasterida não deve ser usada por pessoas com hipersensibilidade aos componentes da fórmula, mulheres ou crianças, grávidas e lactantes.

3. Espironolactona

A espironolactona é um medicamento geralmente indicado para o tratamento da hipertensão e distúrbios edematosos, no entanto, por ter um efeito anti-androgênico, o médico pode prescrever este medicamento para o tratamento da alopécia em mulheres. A espironolactona age retardando a progressão da queda e promovendo o crescimento dos fios, podendo ser usada sozinha ou associada ao minoxidil, para potencializar o crescimento do fio.

Como usar: A espironolactona deve ser usada conforme indicado pelo médico, podendo ser utilizada nas doses de 50 a 300 mg.

Quem não deve usar: A espironolactona é contraindicada para pessoas com hipersensibilidade aos componentes, com insuficiência renal aguda, diminuição significativa da função renal, anúria, doença de Addison e hipercalemia. Além disso, também não deve ser usada durante a gravidez ou lactação.

4. Cetoconazol

O cetoconazol tópico é um antifúngico utilizado no tratamento da dermatite seborreica. Embora a indicação principal não seja tratar a calvície, sabe-se que a aplicação tópica deste princípio ativo, associado a outros remédios para calvície, pode ser benéfico para pessoas que sofrem desta doença.

Como usar: O shampoo com cetoconazol deve ser aplicado nas partes afetadas, deixando agir por 3 a 5 minutos antes de enxaguar. Para o tratamento de dermatite seborreica, é recomendado aplicar o produto 2 vezes por semana, por 2 a 4 semanas. Para prevenir o reaparecimento da dermatite seborreica, o shampoo pode ser utilizado 1 vez por semana ou 1 vez a cada 2 semanas.

Quem não deve usar: O cetoconazol não deve ser usado por pessoas com hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

5. Alfaestradiol

A solução de alfaestradiol, como é o caso do Avicis ou Alozex, por exemplo, está indicada para o tratamento da alopecia androgenética em homens e mulheres. Saiba mais sobre este medicamento.

Como usar: O produto deve ser aplicado uma vez ao dia, de preferência à noite, usando o aplicador em movimentos leves, durante cerca de 1 minuto, para que aproximadamente 3 mL da solução atinja o couro cabeludo. De seguida, deve-se massagear a região e lavar as mãos no fim.

Quem não deve usar: Este medicamento não deve ser usado em pessoas com alergia aos componentes da fórmula, grávidas, lactantes e menores de 18 anos.

6. Acetato de ciproterona

O acetato de ciproterona, como é o caso do Androcur, apresenta variadas indicações terapêuticas, entre elas a sua indicação no tratamento da calvície em mulheres, devido à sua ação antiandrogênica.

Como usar: Em mulheres em idade reprodutiva, o tratamento deve ser iniciado com 100 mg no 1º dia do ciclo (primeiro dia de sangramento), durante 10 dias. Adicionalmente, deve-se usar um anticoncepcional combinado, indicado pelo médico, do 1º ao 21º dia do ciclo, para estabilizar o ciclo. Depois disso, deve-se fazer uma pausa de 7 dias e, no fim dessa pausa, reiniciar novamente o tratamento com acetato de ciproterona nos primeiros 10 dias do ciclo e o anticoncepcional combinado, do 1º ao 21º dias, e assim sucessivamente. Entretanto, o médico pode reduzir a dose de acetato de ciproterona de 100 mg para 50 mg ou 25mg, ou recomendar apenas a toma de anticoncepcional de acetato de ciproterona + etinilestradiol, caso entenda que é suficiente.

Quem não deve usar: O acetato de ciproterona não deve ser usado durante a gravidez, lactação, em caso de hepatopatias, síndrome de Dubin-Johnson e de Rotor, pessoas com antecedente de icterícia ou coceira persistente durante uma gestação anterior, antecedente de herpes gestacional, tumores hepáticos atuais ou anteriores, histórico de meningioma, doenças debilitantes, depressão crônica grave, história de trombose, diabetes grave com alterações vasculares, anemia falciforme ou alergia aos componentes da formulação.

Além dos medicamentos prescritos pelo médico, podem ser associados suplementos nutricionais com vitaminas, minerais e antioxidantes, como vitaminas do complexo B, vitamina C, vitamina E, zinco e aminoácidos, por exemplo, que podem contribuir para o crescimento do cabelo. Veja exemplos de suplementos para a queda de cabelo.


Bibliografia

  • UNIÃO QUÍMICA FARMACÊUTICA NACIONAL S.A. acetato de ciproterona. 2015. Link: <www.anvisa.gov.br>. Acesso em 21 Ago 2019
  • MEDLEY INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA.. cetoconazol. 2015. Link: <www.anvisa.gov.br>. Acesso em 21 Ago 2019
  • MACHADO, Inês de Oliveira e Carmo Cyrilo. Calvície e Alopecia Revisão Bibliográfica. Dissertação de Mestrado, 2017. Universidade Lusófona de Humanidade e Tecnologias Escola de Ciências e Tecnologias da Saúde.
  • MULINARI-BRENNER, Fabiane et al.. Understanding androgenetic alopecia. Surg Cosmet Dermatol. 4. 3; 329-337, 2011
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem