Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Quimerismo: o que é, tipos e como identificar

novembro 2022

Quimerismo é quando existem dois tipos de DNA diferentes no corpo de uma pessoa, sem que esta alteração tenha surgido a partir de mutações durante o desenvolvimento do embrião. 

Em humanos, o quimerismo normalmente ocorre em caso de transplantes de órgãos, medula óssea ou devido a transfusões de sangue, por exemplo. Além disso, embora raro, o quimerismo pode resultar da troca de células tronco entre embriões dentro do útero, durante a gravidez de gêmeos, ou da fusão de dois zigotos após a fecundação do óvulo.     

É considerado quimerismo quando se verifica a presença de dois ou mais tipos de células geneticamente distintas e com origens diferentes, o que geralmente é feito por meio de testes genéticos. 

Esquema representativo de quimerismo natural
Esquema representativo de quimerismo natural

Tipos de quimerismo

Embora seja raro em humanos, os principais tipos de quimerismo são:

1. Quimerismo natural

O quimerismo natural é o que ocorre sem nenhuma intervenção e, geralmente, antes do nascimento. Pode acontecer quando 2 ou mais zigotos se fundem, pela transferência de células entre a mãe e o bebê por meio da placenta ou mesmo pela troca de células entre bebês, em caso de gravidez de gêmeos.

2. Quimerismo artificial

O quimerismo artificial é aquele que ocorre por meio de intervenções médicas ou científicas. Normalmente ocorre quando a pessoa recebe uma transfusão de sangue, transplante de medula óssea ou órgãos de um doador.

3. Microquimerismo

Microquimerismo é quando a quantidade de células geneticamente diferentes é pequena, sendo o tipo mais comum de quimerismo no ser humano. Pode acontecer durante a gravidez, em caso de troca de células entre a mãe e o bebê, ou após transplantes de medula óssea, por exemplo.

4. Quimerismo gêmeo

Esse tipo de quimerismo acontece quando, durante a gestação de gêmeos, um dos fetos morre e o outro feto absorve algumas das suas células. Assim, o bebê que nasce possui o seu próprio material genético e o material genético do seu irmão.

Como identificar

O quimerismo pode ser identificado por meio de características como áreas do corpo com pigmentações distintas, olhos com cores diferentes e alterações na formação dos órgãos sexuais. 

No entanto, uma pessoa com quimerismo nem sempre manifesta sintomas e a alteração pode passar a vida toda sem ser descoberta.

O quimerismo só é confirmado por meio de testes genéticos em diferentes tecidos do corpo, onde se verifica a presença de dois ou mais tipos de DNA.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Jonathan Panoeiro - Neuropediatra, em novembro de 2022.

Bibliografia

  • MADAN, Kamlesh. Natural human chimeras: A review. European Journal of Medical Genetics. Vol.63, n.9. 2020
  • RAMOS, Ana V. G. F. F; CUNHA, Lorena R. B. Rev. Bioética y Derecho. Um outro eu: o caso das quimeras humanas. Vol.38. 101-117, 2016
Mostrar bibliografia completa
  • MESSNER, Franka et al. Chimerism, Transplant Tolerance, and Beyond. Transplantation. Vol.103, n.8. 1556-1567, 2019
  • MERZONI, Joice. Análise de STRs e quantificação de quimerismo misto no pós-transplante de células tronco hematopoiéticas: uma ferramenta diagnóstica que permite uma conduta clínica antecipada. Projeto de estágio, 2010. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
  • NATIONAL SOCIECY OF GENETIC COUNSELORS. Chimerism Explained: How One Person Can Unknowingly Have Two Sets of DNA. Disponível em: <https://www.nsgc.org/p/bl/et/blogaid=1084>. Acesso em 02 jul 2020
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.