Peritonite: o que é, sintomas, causas e tratamento

novembro 2022

Peritonite é a inflamação do peritônio, uma membrana que envolve a cavidade abdominal e reveste os órgãos do abdômen. A peritonite geralmente resulta da infecção, ruptura ou grave inflamação de um dos órgãos do abdômen, como acontece numa apendicite ou pancreatite, por exemplo.

Os sintomas mais comuns de peritonite incluem dor e sensibilidade abdominal, febre, vômitos ou prisão de ventre, por exemplo. Sempre que existir suspeita de peritonite, ou de qualquer outra alteração grave no abdômen, é importante ir ao hospital.

O tratamento da peritonite é indicado pelo gastroenterologista e depende da sua causa, mas, geralmente, é feito com antibióticos e internamento em meio hospitalar, podendo também ser indicada a realização de uma cirurgia.

Principais sintomas

Os principais sintomas de peritonite são:

  • Dor e sensibilidade abdominal.
  • Inchaço do abdômen;
  • Febre;
  • Enjoos e vômitos;
  • Perda de apetite;
  • Diarreia ou prisão de ventre repentina;
  • Diminuição da quantidade de urina;
  • Excesso de gases.

A dor causada pela peritonite tende a piorar com movimentos ou ao pressionar a região.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de peritonite normalmente é feito pelo médico através da avaliação dos sintomas, da palpação do abdômen e de testes físicos, como pedir que a pessoa fique em uma determinada posição.

Além disso, para determinar a causa, o médico pode ainda pedir exames de sangue que avaliam infecções e inflamações, além de exames de imagem como radiografia, ultrassom ou tomografia.

Possíveis causas

Existem inúmeras causas de peritonite, mas as mais comuns incluem:

1. Apendicite

A apendicite é uma das principais causas de peritonite, pois a inflamação que acontece no apêndice pode se estender através da cavidade abdominal e atingir o peritônio, principalmente quando ela não é rapidamente tratada e apresenta complicações como ruptura ou formação de abscesso. Saiba reconhecer quando a dor abdominal pode ser apendicite.

2. Inflamação da vesícula biliar

Também chamada de colecistite, geralmente, acontece quando um cálculo da vesícula provoca obstrução do ducto biliar e, em seguida, inflamação deste órgão. Esta inflamação deve ser tratada prontamente pelo médico, que inclui realização de cirurgia e uso de antibióticos.

Caso não seja tratada adequadamente, a inflamação da vesícula estende-se para outros órgãos e para o peritônio, provocando a peritonite e outras complicações como abscessos, fístulas, risco de infecção generalizada.

3. Pancreatite

A pancreatite é uma inflamação do pâncreas, que gera sintomas que geralmente incluem dor abdominal que irradia para as costas, enjoo e vômitos. Caso não seja tratada adequadamente, a inflamação pode se tornar grave e provocar complicações como peritonite, necrose e formação de abscesso, colocando em risco a vida da pessoa afetada. Veja mais sobre pancreatite.

4. Lesões na cavidade abdominal

Lesões em órgãos abdominais seja por rupturas, lesões por traumatismos, complicações após cirurgias ou mesmo por inflamações são importantes causas de peritonite. Isto porque as lesões podem liberar conteúdos irritativos à cavidade abdominal, assim como provocar contaminações por bactérias.

5. Procedimentos médicos

Procedimentos médicos como diálise peritoneal, cirurgias gastrointestinais, colonoscopias ou endoscopias, podem causar peritonite devido a complicações que podem surgir, seja devido à perfurações como também por contaminação do material cirúrgico.

6. Íleo paralítico

É uma condição em que o intestino para de funcionar e deixando de haver seus movimentos peristálticos. Esta condição pode surgir após cirurgias abdominais ou situações como inflamações, hematomas, efeito colateral de certos medicamentos.

Os sintomas provocados pelo íleo paralítico incluem perda do apetite, prisão de ventre, vômitos ou mesmo obstrução intestinal que em casos mais graves pode levar à perfuração do intestino, levando à propagação de bactérias que provocam a peritonite. Saiba mais sobre esta doença.

7. Diverticulite

A diverticulite consiste na inflamação e infecção dos divertículos, que são pequenas pregas ou sacos que surgem nas paredes do intestino, especialmente na última porção do cólon, causando dor e sensibilidade abdominal especialmente na parte inferior do lado esquerdo, além de diarreia ou prisão de ventre, enjôos, vômitos, febre e calafrios.

O seu tratamento deve ser iniciado rapidamente pelo médico, baseado no uso de antibióticos, analgésicos, alterações na dieta e hidratação, de forma a evitar a piora da inflamação e surgimento de complicações como sangramentos, formação de fístulas, abscessos, obstrução intestinal e a própria peritonite. Leia mais em tudo sobre diverticulite.

Como é feito o tratamento

O tratamento da peritonite depende da sua causa, mas é sempre aconselhado procurar ajuda médica o mais rápido possível para que o tratamento seja iniciado brevemente, de forma a evitar complicações.

Geralmente o tratamento é feito com a administração de antibióticos para tratar a infecção e impedir a propagação das bactérias. Ao mesmo tempo, é indicada a hospitalização onde são administrados analgésicos e anti-inflamatórios, fluidos administrados na veia ou oxigênio.

Além disso, caso estas medidas não sejam suficientes para tratar o problema, pode ser necessário fazer uma cirurgia para resolução da causa da inflamação, como retirada do apêndice, remoção de uma área de necrose ou drenagem de uma abscesso, por exemplo

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em novembro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em abril de 2020.

Bibliografia

  • Jan J. De Waele. O que todo intensivista deveria saber sobre o tratamento da peritonite na unidade de terapia intensiva. Rev Bras Ter Intensiva. 2018;30(1):9-14.
  • COELHO, A.P.P.C. et al.. Diagnóstico diferencial entre peritonite bacteriana espontânea e secundária. Rev Med Minas Gerais 2010; 20(4 Supl 2): S81-S83 81.
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.