Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

O que é a manobra de Kristeller, principais riscos e por que não fazer

Maio 2020

A manobra de Kristeller é uma técnica realizada com o objetivo de acelerar o trabalho de parto em que é realizada pressão sobre o útero da mulher, diminuindo o período expulsivo. No entanto, apesar dessa técnica ser bastante utilizada, não existem evidências que comprovem o seu benefício, além de que expõe tanto a mulher quanto o bebê a riscos.

É importante ressaltar que o parto deve ser uma escolha da mulher, desde que não existam contraindicações. Assim, a realização da manobra de Kristeller só deve acontecer caso a mulher deseje, caso contrário o parto deve acontecer de acordo com o seu desejo.

O que é a manobra de Kristeller, principais riscos e por que não fazer

Por que a manobra de Kristeller não deve se feita

A manobra de Kristeller não deve ser realizada devido aos riscos para a mulher e para o bebê que estão relacionados com a sua prática, além de não existirem evidências de seus benefícios. 

O objetivo da manobra de Kristeller é diminuir a duração do período expulsivo do parto, acelerando a saída do bebê e, para isso é aplicada pressão no funda do útero para promover a saída do bebê. Assim, em teoria, seria indicada em situações em que a mulher já encontra-se exausta e não consegue realizar força suficiente para promover a saída do bebê.

No entanto, alguns estudos demonstram que essa técnica é realizada como rotina, não sendo solicitada pela mulher e sendo realizada mesmo que a mulher encontre-se em condição de continuar a realizar os puxos, além de que há evidências de que a manobra não diminui o período expulsivo e expõe a mulher e o bebê a riscos desnecessários.

Principais riscos

Os riscos da manobra de Kristeller existem devido à falta de consenso sobre a sua prática e nível de força aplicada. Apesar de ser indicado que a manobra seja realizada utilizando as duas mãos no fundo do útero sobre a parede abdominal, há relatos de profissionais que realizam a manobra utilizando os braços, cotovelos e joelhos, o que aumenta a chance de complicações.

Alguns dos riscos para a mulher que estão associados à manobra de Kristeller são:

  • Possibilidade de fratura da costela;
  • Aumento do risco de hemorragias;
  • Lacerações graves no períneo, que é a região que sustenta os órgãos pélvicos;
  • Deslocamento da placenta;
  • Dor abdominal após o parto;
  • Possibilidade de ruptura de alguns órgãos, como baço, fígado e útero.

Além disso, a realização dessa manobra também pode aumentar o desconforto e a dor da mulher durante o trabalho de parto, aumentando a probabilidade de serem utilizados instrumentos durante o parto.

Em relação bebê, a manobra de Kristeller também pode aumentar o risco de hematomas encefálicos, fraturas na clavícula e no crânio e os seus efeitos podem ser percebidos ao longo do desenvolvimento da criança, que pode apresentar convulsões, por exemplo, devido ao trauma no parto.

A realização da manobra de Kristeller também está associada à maior taxa de realização de episiotomia, que é um procedimento que também é realizado com o objetivo de facilitar o parto, mas que não deve ser realizado como rotina obstétrica, uma vez que não existem evidências científicas que comprovem o seu benefício, além de também estar relacionado com complicações para a mulher.

Bibliografia >

  • Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente. Deixar de fazer a manobra de Kristeller: por que e como?. 2018. Disponível em: <https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/29744/2/DEIXAR%20DE%20FAZER%20MANOBRA%20DE%20KRISTELLER.pdf>.
  • LEAL, Maria do Carmo et al. Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Cad. Saúde Pública. Vol 30. 17-32, 2014
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. 2016. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf>. Acesso em 07 Mai 2020
  • CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA. Parecer técnico COREN/SC Nº 001/CT/2016 - Manobra de Kristeller. 2016. Disponível em: <http://www.corensc.gov.br/wp-content/uploads/2016/06/Parecer-T%C3%A9cnico-001-2016-CT-Sa%C3%BAde-Mulher-Manobra-de-Kristeller.pdf>. Acesso em 07 Mai 2020
  • CARVALHO, Laëtitia Cristina V. Os efeitos da manobra de Kristeller no segundo período de trabalho de parto.. Relatório de Estágio, 2014. Escola Superior de Enfermagem do Porto.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem