Manobra de Kristeller: o que é, como é feita e principais riscos

janeiro 2022

A manobra de Kristeller é uma técnica realizada com o objetivo de acelerar o trabalho de parto, em que é realizada pressão externa sobre o útero da mulher, com o objetivo de diminuir o período expulsivo.

No entanto, e apesar dessa técnica ser bastante utilizada, não existem evidências que comprovem seu benefício, podendo, até, expor, tanto a mulher quanto o bebê, a riscos.

É importante ressaltar que o processo de parto deve acontecer, sempre que possível, de acordo com as da mulher. Assim, a realização da manobra de Kristeller só deve acontecer caso a mulher deseje, caso contrário o parto deve acontecer no seu ritmo natural.

Como é feita a manobra

A manobra de Kristeller é feita através da aplicação de pressão no fundo do útero, ou seja, no topo da barriga, de forma a acelerar a expulsão do bebê durante o parto.

A indicação é de que a manobra seja feita utilizando-se apenas as mãos sobre a parede abdominal, o que permite pressionar e direcionar o bebê para a abertura vaginal durante as contrações.

Em que situações está indicada

O objetivo da manobra de Kristeller é diminuir a duração do período expulsivo do parto, acelerando a saída do bebê. Por isso, em teoria, deve ser indicada apenas nas situações em que a mulher já se encontra exausta e não consegue realizar força suficiente para promover a saída do bebê.

No entanto, alguns estudos demonstram que essa técnica é realizada como rotina, não sendo solicitada pela mulher e sendo realizada mesmo que a mulher se encontre em condições de continuar a realizar os puxos.

Principais riscos da manobra

Os riscos da manobra de Kristeller existem devido à falta de consenso sobre a sua prática e nível de força aplicada. Apesar de ser indicado que a manobra seja realizada utilizando as duas mãos, há relatos de profissionais que realizam a manobra utilizando os braços, cotovelos e joelhos, o que aumenta a chance de complicações.

Alguns dos riscos para a mulher que estão associados à manobra de Kristeller são:

  • Possibilidade de fratura das costelas;
  • Aumento do risco de hemorragias;
  • Lacerações graves no períneo, que é a região que sustenta os órgãos pélvicos;
  • Deslocamento da placenta;
  • Dor abdominal após o parto;
  • Possibilidade de ruptura de alguns órgãos, como baço, fígado e útero.

Além disso, a realização dessa manobra também pode aumentar o desconforto e a dor durante o trabalho de parto, aumentando a probabilidade de serem utilizados instrumentos durante o parto.

Em relação bebê, a manobra de Kristeller também pode aumentar o risco de hematomas encefálicos, fraturas na clavícula e no crânio e os seus efeitos podem ser percebidos ao longo do desenvolvimento da criança, que pode apresentar convulsões, por exemplo, devido ao trauma no parto.

A realização da manobra de Kristeller também está associada à maior taxa de realização de episiotomia, que é um procedimento que também é realizado com o objetivo de facilitar o parto, mas que não deve ser realizado como rotina obstétrica, uma vez que não existem evidências científicas que comprovem o seu benefício, além de também estar relacionado com complicações para a mulher.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em janeiro de 2022.

Bibliografia

  • CARVALHO, Laëtitia Cristina V. Os efeitos da manobra de Kristeller no segundo período de trabalho de parto.. Relatório de Estágio, 2014. Escola Superior de Enfermagem do Porto.
  • CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA. Parecer técnico COREN/SC Nº 001/CT/2016 - Manobra de Kristeller. 2016. Disponível em: <http://www.corensc.gov.br/wp-content/uploads/2016/06/Parecer-T%C3%A9cnico-001-2016-CT-Sa%C3%BAde-Mulher-Manobra-de-Kristeller.pdf>. Acesso em 07 mai 2020
Mostrar bibliografia completa
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. 2016. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf>. Acesso em 07 mai 2020
  • LEAL, Maria do Carmo et al. Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Cad. Saúde Pública. Vol 30. 17-32, 2014
  • Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente. Deixar de fazer a manobra de Kristeller: por que e como?. 2018. Disponível em: <https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/29744/2/DEIXAR%20DE%20FAZER%20MANOBRA%20DE%20KRISTELLER.pdf>.
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.