Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Laxante na Gravidez: quando é seguro usar

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
janeiro 2023

O uso de laxante na gravidez pode ajudar a aliviar a prisão de ventre e os gases intestinais, mas nunca deve ser feito sem orientação do médico, porque pode não ser seguro para a grávida e para o bebê.

A prisão de ventre é comum na gravidez e normalmente acontece devido às alterações hormonais no corpo da mulher neste período, por isso, o tratamento com laxantes nem sempre é necessário. 

O melhor é que a grávida experimente formas mais naturais de esvaziar o intestino, como comer mais alimentos ricos em fibras e beber água, antes de tentar o uso de qualquer laxante. Veja dicas para tratar a prisão de ventre na gravidez.

Imagem ilustrativa número 1

Quando usar laxante na gravidez

O uso de laxante na gravidez geralmente é indicado quando medidas naturais como fazer exercícios físicos leves, aumentar a ingestão de água e o consumo de alimentos ricos em fibras, como verduras e frutas, não foram suficientes para aliviar a prisão de ventre.

Qual o melhor laxante?

Alguns obstetras recomendam laxantes de uso oral, como aqueles contendo fibras de Psyllium (Metamucil) e a lactulose (Duphalac, Lactuliv, Colact), que geralmente são considerados seguros para serem usados na gravidez e ajudam a amolecer as fezes. Veja como tomar fibras de Psyllium.

Embora menos utilizados, algumas vezes o médico também pode indicar supositórios de bisacodil ou glicerina, por exemplo, para facilitar a eliminação das fezes, tendo um bom resultado até nas fezes mais endurecidas e secas. 

É importante sempre consultar o obstetra antes de usar qualquer medicamento durante a gravidez.

Qual o risco de usar laxante na gravidez

Os principais riscos de tomar laxantes muito fortes na gravidez ou usar laxantes mais leves por um tempo prolongado, é o fato de alguns deles poderem passar para o bebê e afetar o seu desenvolvimento, causarem desidratação na grávida ou levarem a um desequilíbrio de vitaminas e minerais no sangue, devido à diminuição da sua absorção.

Além disso, alguns laxantes podem conter elevadas quantidades de açúcar ou sódio na sua fórmula, o que também pode levar a alterações na pressão arterial.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Jonathan Panoeiro - Neuropediatra, em janeiro de 2023. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • SHIN, Grace H; TOTO, Erin L; SCHEY, Ron. Pregnancy and postpartum bowel changes: constipation and fecal incontinence. Am J Gastroenterol. Vol.110, n.4. 521-529, 2015
  • RUNGSIPRAKARN, Phassawan et al. Interventions for treating constipation in pregnancy. Cochrane Database Syst Rev. Vol.2015, n.9. 2015
Mostrar bibliografia completa
  • TROTTIER, Magan; EREBARA, Aida; BOZZO, Pina. Treating constipation during pregnancy. Can Fam Physician. Vol.58, n.8. 836–838, 2012
  • STATPEARLS. Physiology, Pregnancy. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK559304/>. Acesso em 12 jan 2023
  • BODY, Cameron; CHRISTIE, Jennifer A. Gastrointestinal Diseases in Pregnancy: Nausea, Vomiting, Hyperemesis Gravidarum, Gastroesophageal Reflux Disease, Constipation, and Diarrhea. Gastroenterol Clin North Am. Vol.45, n.2. 267-283, 2016
  • ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Recomendações da OMS sobre cuidados pré-natais para uma experiência positiva na gravidez. 2016. Disponível em: <https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/250800/WHO-RHR-16.12-por.pdf?sequence=2>. Acesso em 30 abr 2020
  • INFARMED. Boletim de Faramcovigilância - Gravidez e utilização segura de fármacos. 2001. Disponível em: <http://www.infarmed.pt/documents/15786/1277078/bf5-2-2trim2001.pdf/f0c5c60a-fbe3-4655-b060-03e1fdf620bb?version=1.1>. Acesso em 25 jul 2019
  • Saffioti RF et. al.. Constipação intestinal e gravidez. FEMINA. Vol.39. 3.ed; 2011
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.