Hidrocolonterapia: o que é, como é feita e riscos

maio 2022

A hidrocolonterapia, também chamada de colonterapia, é um procedimento de limpeza do intestino grosso no qual de insere água morna filtrada e purificada através do ânus, permitindo eliminar as fezes acumuladas e as toxinas do intestino. Entretanto, esse método não apresenta evidências científicas recentes, está associada a algumas complicações, como perfuração do intestino ou do reto, e, por isso, não é recomendada pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

Para eliminar os resíduos de fezes e, assim, deixar o intestino limpo para realizar exames ou cirurgias, por exemplo, é indicado pelo médico a realização de uma lavagem intestinal, também chamada de enema, que é realizada no hospital e consiste na administração de uma solução para estimular os movimentos intestinais. Veja mais detalhes da lavagem intestinal.

Como é feita a hidrocolonterapia

A hidrocolonterapia é considerada um tipo de tratamento alternativo que deve ser realizado no hospital, por um profissional de saúde, que deverá operar uma máquina capaz de realizar o procedimento ao mesmo tempo que o paciente é monitorado. 

  1. Colocação de um lubrificante à base de água no ânus e equipamento;
  2. Inserção de um fino tubo no ânus para passar a água;
  3. Interrupção do fluxo de água quando a pessoa sente desconforto na barriga ou aumento da pressão;
  4. Realização de uma massagem abdominal para facilitar a saída das fezes;
  5. Remoção das fezes e toxinas através de outro tubo ligado ao tubo da água;
  6. Abertura de novo fluxo de água para o interior do intestino.

Geralmente, este processo dura cerca de 20 minutos e, durante esse tempo, os últimos dois passos são repetidos até que a água retirada saia limpa e sem fezes, significando que o intestino também está limpo.

De acordo com a FDA (Food and Drug Administration), não existem máquinas aprovadas para realização da hidrocolonterapia, sendo apenas recomendada a realização da lavagem intestinal.

Riscos da hidrocolonterapia

A hidrocolonterapia foi associada a algumas complicações como perfuração do intestino e do reto, peritonite após a realização da colonterapia, que é a inflamação da parede do intestino, diminuição dos níveis de sódio (hiponatremia) e infecção intestinal, principalmente amebíase, quando a máquina não é devidamente esterilizada. Além disso, foram relatados casos de insuficiência cardíaca e confusão mental após a hidrocolonterapia.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em maio de 2022.

Bibliografia

  • CONSELHO DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Hidrocolonterapia por Enfermeiro. 2013. Disponível em: <https://portal.coren-sp.gov.br/wp-content/uploads/2013/11/Parecer_065_Hidrocolonterapia_%20aprovado.pdf>. Acesso em 19 mai 2022
  • OLIVEIRA, Lúcia C. Análise Crítica da Colonterapia: Fatos e Verdades. Rev bras Coloproct. Vol 27. 1 ed; 106-107, 2007
Mostrar bibliografia completa
  • CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO RIO GRANDE DO NORTE. Posicionamento do CREMERN quanto a Terapêutica denominada Hidrocolonterapia.. 2008. Disponível em: <https://sistemas.cfm.org.br/normas/visualizar/pareceres/RN/2008/7>. Acesso em 19 mai 2022
  • CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DA BAHIA. Autonomia do Profissional de Enfermagem em realizar Hidrocolonterapia. Disponível em: <http://ba.corens.portalcofen.gov.br/parecer-coren-ba-n%E2%81%B0-0212016_28326.html>. Acesso em 19 mai 2022
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.