Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Fome excessiva pode indicar Ansiedade ou Diabetes

A fome constante pode ser causada por uma dieta rica em carboidratos, pelo aumento do estresse e da ansiedade, ou por problemas de saúde como diabetes. No entanto, é importante destacar que o aumento da fome é normal principalmente durante a adolescência, quando o jovem está em fase de crescimento rápido e há grandes alterações hormonais no organismo.

Além disso, comer muito rápido também não permite que os hormônios façam a comunicação no tempo certo entre o estômago e o cérebro, o que aumenta a sensação de fome. Veja a seguir 5 problemas que podem causar fome:

1. Desidratação

Fome excessiva pode indicar Ansiedade ou Diabetes

A falta de água no organismo muitas vezes é confundida com a sensação de fome. Lembrar de beber bastante água pode resolver o problema da fome, além de estar atento a pequenos sinais de desidratação também podem ajudar a identificar o problema.

Em geral, ter a pele ressecada, os lábios rachados, o cabelo quebradiço e a urina muito amarelada são sinais fáceis de identificar que refletem a falta de água no organismo. Saiba qual a quantidade de água necessária por dia.

2. Excesso de farinha e açúcar

Comer muita farinha branca, açúcar e alimentos ricos em carboidratos refinados, como pão branco, bolacha, salgados e doces, provoca fome pouco tempo depois porque esses alimentos são rapidamente processados, não dando saciedade para o organismo.

Esses alimentos causam picos de glicemia, que é o açúcar no sangue, fazendo com que o corpo libere muita insulina para fazer baixar esse açúcar rapidamente. No entanto, ao reduzir a glicemia, a fome reaparece.

Fome excessiva pode indicar Ansiedade ou Diabetes

3. Excesso de estresse e noites mal dormidas

Estar constantemente estressado, ansioso ou dormir mal causa alterações hormonais que levam ao aumento da fome. O hormônio leptina, que dá saciedade, é reduzido enquanto o hormônio grelina aumenta, que é o responsável pela sensação de fome.

Além disso, há um aumento do cortisol, o hormônio do estresse, que estimula a produção de gordura. Veja o que fazer para combater o estresse e a ansiedade.

4. Diabetes

A diabetes é uma doença na qual o açúcar no sangue está sempre elevado, pois as células não conseguem captá-lo para produzir energia. Como as células não conseguem utilizar o açúcar, ocorre uma sensação de fome constante, principalmente se a pessoa se alimenta principalmente de carboidratos.

Os carboidratos, como pães, massas, bolos, açúcar, frutas e doces, são os nutrientes responsáveis pelo aumento do açúcar no sangue, e os diabéticos não conseguem utilizá-lo de forma adequada sem o uso de medicamentos e insulina. Conheça os sintomas da diabetes.

Fome excessiva pode indicar Ansiedade ou Diabetes

5. Hipertireoidismo

No hipertireoidismo ocorre um aumento do metabolismo geral, que causa problemas como fome constante, aumento da frequência cardíaca e perda de peso, principalmente devido à perda de massa muscular.

A fome constante surge como forma de estimular o consumo de alimentos para gerar energia suficiente para manter o metabolismo elevado. O tratamento pode ser feito com o uso de medicamentos, iodoterapia ou cirurgia. Veja mais sobre o hipertireoidismo.

O que comer quando a Fome não passa

Algumas estratégias que podem ser usadas para combater a fome que não passa são:

  • Evitar alimentos ricos em açúcares como bolos, biscoitos, balas ou sorvetes, por exemplos, pois eles aumentam rapidamente o açúcar no sangue, que depois também diminui rapidamente provocando um aumento da fome;
  • Aumentar os alimentos ricos em fibras como farelo de trigo e de aveia, verduras, legumes, frutas com casca e bagaço, e sementes como chia, linhaça e gergelim, pois as fibras aumentam a sensação de saciedade. Veja a lista completa dos Alimentos ricos em fibras;
  • Comer alimentos ricos em proteínas a cada refeição, como ovos, carnes, peixes, frango e queijos, por exemplo, pois as proteínas são nutrientes que dão muita saciedade;
  • Consumir gorduras boas como azeite de oliva extravirgem, castanhas, nozes, amêndoas, amendoim, sementes de chia, linhaça, gergelim e peixes gordos como sardinha, atum e salmão;
  • Praticar atividade física diariamente, porque ajuda a liberar endorfinas no cérebro, hormônios que conferem uma sensação de bem-estar, relaxam, melhoram o humor e diminuem a ansiedade e a vontade de comer.

No entanto, se os sintomas de fome constante persistirem, é importante consultar um endocrinologista para avaliar possíveis alterações hormonais ou a presença de alguma doença.

Assista no vídeo a seguir tudo o que você pode fazer para não ficar com fome:

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem