Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é Fertilização in vitro, preço e como funciona

A fertilização in vitro é uma técnica de reprodução assistida que consiste em introduzir espermatozoides saudáveis dentro do óvulo feminino, que posteriormente é implantado dentro do útero, sendo todos este procedimento realizado numa clínica de fertilidade, sem relação sexual envolvida. O resultado é a gravidez e o nascimento de um ou mais bebês.

Esta é uma das técnicas de reprodução assistida mais utilizadas atualmente e pode ser realizada em clínicas e hospitais particulares e até mesmo no SUS, desde que o casal não consiga engravidar espontaneamente em 1 ano de tentativas sem o uso de nenhum método anticoncepcional.

Para a FIV podem ser usados o sêmen do parceiro ou de um doador, e também é popularmente chamada 'bebê de proveta'. A FIV não é exatamente o mesmo que a inseminação artificial. Se deseja saber mais sobre a Inseminação Artificial clique aqui.

O que é Fertilização in vitro, preço e como funciona

Preço

O preço da técnica de fertilização in vitro varia de acordo com a clínica selecionada, mas, normalmente, varia entre os 10 e os 12 mil reais. No entanto, é possível requisitar gratuitamente a técnica no SUS, desde que o casal não consiga engravidar após 1 ano de tentativas.

Quem pode fazer

A fertilização in vitro é indicada para mulheres com graves alterações nas trompas de Falópio, como lesão tubária irreversível, aderências pélvicas severas, salpingectomia bilateral, sequelas de doença inflamatória pélvica. Sendo também indicada para as mulheres que não engravidaram após 2 anos da salpingoplastia ou em que a obstrução tubária permanece após a cirurgia. Outras indicações incluem endometriose moderada à grave, infertilidade masculina causa desconhecida e após mais de 3 inseminações artificiais sem sucesso.

Passo-a-passo da fertilização in vitro

Esta etapas da FIV são:

  1. Estimulação dos ovários com o uso de medicamentos para produzirem óvulos;
  2. Coleta dos óvulos através da aspiração transvaginal com ultrassom;
  3. Seleção dos melhores óvulos;
  4. Preparação do sêmen;
  5. FIV: Introdução dos espermatozoides dentro do mesmo vidro onde estão os óvulos;
  6. Observação da fertilização dos óvulos e cultivo embrionário;
  7. Implantação de um ou mais embriões no útero da mulher.

Nem sempre é possível chegar ao 5º passo, pois podem ocorrer algumas falhas durante o processo inicial. Neste caso, será necessário realizar uma nova tentativa de fertilização in vitro, utilizando embriões não utilizados que tenham sido previamente congelados em nitrogênio líquido.

Para verificar o sucesso do tratamento após 14 dias da FIV deve-se realizar um teste de gravidez de farmácia e o exame de gravidez para medir a quantidade de beta-HCG. Cerca de 14 dias depois destes exames pode-se realizar o exame de ultrassom transvaginal para avaliar a saúde da mulher e do embrião.

Principais riscos da fertilização in vitro

Um dos riscos mais comuns da fertilização in vitro é a gravidez de gêmeos devido à presença de vários embriões dentro do útero da mulher, e também existe um risco acrescido de aborto espontâneo, e por isso a gestação deve ser sempre acompanhada pelo obstetra e pelo médico especialista em reprodução assistida.

Os bebês que nascem por técnicas de fertilização in vitro também têm maior risco de desenvolver os seguintes problemas:

  • Falha cardíaca;
  • Lábio leporino;
  • Alteração no esôfago;
  • Malformação do reto;
  • Síndrome de Angelman;
  • Síndrome de Beckwith-Wiedemann

O estresse emocional que envolve o processo de fertilização in vitro pode ainda provocar na mulher choro, cansaço, ansiedade, alterações do sono ou da alimentação e dificuldade de concentração. Isto pode ser atenuado com uma alimentação equilibrada, exercícios físicos leves e massagens de relaxamento.


Bibliografia

  • PASSOS, Eduardo Pandolfi; FREITAS, fernando, CUNHA-FILHO, João Sabino L & colaboradores. Rotinas em infertilidade e contracepção. 1.ed. Porto Alegre: Artmed, 2003. 159-69; 209-215.
Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem