Ecocardiograma fetal: o que é, para que serve e como é feito

dezembro 2021

O ecocardiograma fetal, também chamado de ecocardiografia fetal, é um exame de imagem que normalmente é solicitado no pré-natal e que tem como objetivo verificar o desenvolvimento, tamanho e funcionamento do coração do feto. Dessa forma, é possível identificar alterações congênitas, como alteração na comunicação entre as veias e artérias e alteração no crescimento de um dos lados do coração, por exemplo.

A ecocardiografia fetal é um exame simples e que não necessita de preparo, sendo normalmente indicado a partir da 18ª semana de gestação para todas as gestantes. No entanto, caso seja uma gravidez de risco ou a mulher tenha histórico na família de cardiopatias congênitas, o exame pode ser indicado na semana 14 de gravidez.

Para que serve

O exame de ecocardiografia fetal serve para avaliar o formato do coração do bebê, assim como o seu funcionamento. Dessa forma, é possível verificar se existe alguma alteração que seja indicativa de doença cardíaca e que necessite de intervenção durante a gestação ou após o parto.

Assim, através desse exame é possível identificar qualquer irregularidade do fluxo sanguíneo e que podem ser indicativas de alterações congênitas, como hipoplasia do coração esquerdo, desvio do septo atrioventricular e alteração na comunicação entre as artérias e a aorta, por exemplo, além de poser ser útil no diagnóstico da Síndrome de Down.

Quando é indicado

O ecocardiograma fetal deve ser feito juntamente com outros exames pré-natais e pode ser realizado a partir a 18ª semana de gestação, até a 28ª semana, que é o período da gestação no qual já se torna possível ouvir os batimentos devido à maior maturação do sistema cardiovascular do feto. No entanto, no caso das mulheres com gravidez de alto risco, esse exame pode ser indicado na semana 14 de gestação.

Além de ser indicado no pré-natal, esse exame é indicado para gestantes que:

  • Possuem histórico familiar de cardiopatias congênitas;
  • Tiveram alguma infecção que pudesse comprometer o desenvolvimento do coração, como a toxoplasmose e a rubéola, por exemplo;
  • Possuem diabetes, seja ela preexistente ou adquirida durante a gestação;
  • Fizeram uso de algum medicamento nas primeiras semanas de gestação, como antidepressivos ou anticonvulsivantes;
  • Possuem mais de 35 anos, pois a partir dessa idade aumenta-se o risco de malformações fetais.

A realização do ecocardiograma fetal é muito importante para todas as gestantes, pois é capaz de identificar alterações cardíacas no bebê que podem ser tratadas ainda durante a gestação ao logo após o nascimento, evitando complicações mais sérias.

Como é feito

O ecocardiograma fetal é feito de forma semelhante à ultrassonografia, no entanto só são visualizadas as estruturas cardíacas do bebê, como válvulas, artérias e veias. É aplicado gel na barriga da grávida que é espalhado com um aparelho denominado transdutor, que emite ondas que são processadas, transformadas em imagens e analisadas pelo médico.

A partir do resultado do exame o médico poderá indicar se está tudo bem em relação ao sistema cardiovascular do bebê ou indicar alguma alteração cardíaca, podendo, assim, determinar se o tratamento pode ser feito ainda durante a gestação ou se deve encaminhar a gestante para um hospital com estrutura adequada para realização de procedimento cirúrgico no feto logo após o nascimento.

Para realizar o exame não é necessário nenhum tipo de preparo e normalmente dura em torno de 30 minutos. É um exame indolor que não causa risco para mãe ou para o bebê.

O ecocardiograma fetal não é recomendado antes da 18ª semana de gestação, em caso de gestações de baixo risco, pois o sistema cardiovascular a visualização do sistema cardiovascular não é muito precisa devido à falta de maturação, e nem no final da gestação. Além disso, a posição, agitação e a gestação múltipla tornam difícil a realização do exame.

Ecocardiograma fetal com doppler

O ecocardiograma fetal com doppler além de permitir visualizar as estruturas cardíacas do feto também permite ouvir os batimentos cardíacos do bebê, podendo assim, verificar se os batimentos estão normais ou se há qualquer indicação de arritmia, podendo ser tratada ainda durante a gestação. Entenda para que serve o doppler fetal e como funciona.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em dezembro de 2021.
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.