Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como tratar a adenomiose

O tratamento para a adenomiose pode ser feita com uso de medicamentos ou por meio de procedimentos cirúrgicos para remover o excesso de tecido ou o útero todo. O tipo de tratamento varia de acordo com a idade da mulher e gravidade dos sintomas, sendo recomendado nos casos mais leves apenas o uso de medicamentos.

É importante que o tratamento da adenomiose seja feito conforma orientação do ginecologista, caso contrário poderá haver progressão dos sintomas e aumento das chances de complicações em uma futura gravidez.

Como tratar a adenomiose

Como é feito o tratamento

O tratamento para adenomiose é feito de acordo com os sintomas apresentados pela mulher e idade, sendo as formas de tratamento mais utilizadas:

  1. Uso de medicamentos anti-infamatórios, como o Ibuprofeno ou o Cetoprofeno, com o objetivo de reduzir a inflamação do útero e aliviar as cólicas abdominais, sendo normalmente indicado pelo ginecologista o uso 3 dias antes do período menstrual e mantido até o fim do ciclo;
  2. Uso de remédios hormonais, como a pílula anticoncepcional com progesterona ou com estrogênio, que impede a menstruação e, por isso, evita que surjam dores intensas. Os medicamentos hormonais podem ser tomados na forma de comprimidos ou usados como anel vaginal, DIU ou adesivo anticoncepcional, por exemplo.
  3. Cirurgia, em que pode ser retirado o excesso de tecido endometrial dentro do útero quando ainda não se encontra muito penetrado dentro do músculo uterino. Em casos mais graves, quando a adenomiose provoca dor constante ou sangramentos abundantes, o médico pode indicar a remoção definitiva do útero, sem ser necessário retirar os ovários.

Assim, dependendo da idade da mulher, o médico irá selecionar a forma de tratamento mais adequado aos objetivos de vida da mulher, pois mulheres que ainda pretendem engravidar não devem fazer tratamento com remédios hormonais ou cirurgia para remoção do útero, por exemplo.

Caso a mulher deseje engravidar, é preciso que a adenomiose seja tratada o mais breve possível para evitar que ocorram complicações durante a gravidez, como gravidez ectópica, dificuldade na fixação do embrião e aborto, sendo importante o acompanhamento do obstetra durante a gestação. Saiba mais sobre a adenomiose.

Sinais de melhora

Os sinais de melhora da adenomiose surgem cerca de 3 semanas após o início do tratamento, podendo ser percebido diminuição do ciclo menstrual e da dor durante a relação sexual e durante o ciclo menstrual, além da redução do fluxo de sangue do período menstrual.

Apesar de haver diminuição dos sintomas, é importante seguir o tratamento até que haja orientação do médico para parar com o uso de medicamentos.

Sinais de piora

Os sinais de piora acontecem quando o tratamento não é feito da maneira correta, havendo o aumento dos sintomas e agravando o quadro da mulher, podendo ser necessária a retirada total do útero, uma vez que pode haver dores e sangramentos intensos, por exemplo. Veja o que acontece após a retirada do útero.

Adenomiose pode causar infertilidade?

A adenomiose normalmente não interfere na fertilidade, no entanto, à medida que há progressão da doença, pode se tornar mais difícil o processo de fixação do embrião à parede uterina, sendo difícil para a mulher engravidar. Além disso, a adenomiose é muitas vezes acompanhada da endometriose, o que pode dificultar a gravidez.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:
Carregando
...