Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Técnicas para aumentar o pênis: realmente funcionam?

Apesar das técnicas para aumentar o pênis serem bastante procuradas e praticadas, geralmente não são recomendadas pelo urologista, porque não possuem comprovação científica e podem, até, resultar em consequências para o homem, como dor, danos nos nervos, formação de coágulos, danos nos tecidos e, em alguns casos, problemas de ereção.

Por outro lado, no caso de micropênis, que é uma condição rara em que o homem possui o pênis muito menor do que a média, o urologista, após avaliação, pode indicar a realização de cirurgia para aumentar o pênis, no entanto essa cirurgia é delicada e pode estar associada a alguns riscos, além de não ser indicada em outras situações.

Devido a falta de comprovação das técnicas existentes atualmente para aumentar o tamanho do pênis, o mais recomendado é consultar o urologista em caso de insatisfação com o tamanho da genitália antes de iniciar qualquer tratamento ou realização das técnicas existentes.

Saiba mais sobre o tamanho do pênis, a verdade sobre as técnicas de aumento e outras questões de saúde do homem no podcast com o Dr. Rodolfo Favaretto:

As técnicas para aumentar o pênis são na maioria das vezes realizadas por adolescentes, que acreditam que tiveram resultados, no entanto o aumento do pênis é devido ao processo normal de crescimento, não estando necessariamente relacionada com as técnicas. Além disso, é importante que antes de se realizar qualquer técnica o urologista seja consultado para que possa a situação possa ser avaliada e possa ser indicada a realização de algum tipo de tratamento, como o uso do hormônio testosterona, por exemplo, que pode estimular o crescimento do pênis.

As técnicas normalmente usadas para aumentar o tamanho do pênis são:

1. Exercício de Jelqing

O exercício ou técnica de Jelqing é tido como uma forma natural de aumentar o pênis, uma vez que não apresenta contraindicações ou custos associados, e é baseada no fato de aumentar a circulação de sangue no órgão sexual, o que poderia alongar e engrossar o pênis.

Apesar de ser considerada segura, a técnica de Jelqing não possui comprovação científica e, por isso, não é recomendada pelos médicos. Além disso, no caso de serem realizados movimentos incorretos, agressivos ou se os exercícios forem feitos muito frequentemente, pode haver dor, irritação, lesão e danos no tecido do pênis.

2. Aparelhos de alongamento

Os aparelhos de alongamento são normalmente presos na base da glande do pênis e têm como objetivo fazer pressão no corpo do pênis com o objetivo de promover o seu alongamento. Acredita-se que o uso contínuo desse tipo de aparelho seja capaz de promover o aumento do pênis durante a ereção.

Até o momento são poucos os estudos que indicam os efeitos positivos dos aparelhos de alongamento para aumentar o pênis e, por isso, não são recomendados pelos urologistas. Além disso, o uso desse tipo de aparelho, além de não ser confortável, pode criar força excessiva sobre o pênis e levar a lesões, danos em nervos e formação de coágulos.

3. Bombas de vácuo

As bombas de vácuo são normalmente indicadas pelo urologista no tratamento da disfunção erétil, isso porque promovem o aumento da quantidade de sangue no pênis durante a ereção. Assim, o uso da bomba deve ser feito de acordo com a recomendação médica.

No caso do uso das bombas de vácuo para aumentar o pênis não existem comprovações científicas, além de que o efeito é temporário, apenas durante a ereção, não sendo indicado pelo médico, isso porque na ausência de alterações, o uso frequente da bomba de vácuo pode resultar em danos nos tecidos do pênis e levar à problemas de ereção.

Técnicas para aumentar o pênis: realmente funcionam?

4. Uso de comprimidos

Atualmente existem vários comprimidos e cremes que acredita-se que contenham vitaminas e hormônios que ajudam a aumentar o tamanho do pênis devido ao fato de aumentar a quantidade de sangue no pênis e promover ereção mais duradoura. No entanto, a função dessas medicações é promover a ereção e não aumentar o tamanho e volume peniano.

Além disso, alguns comprimidos podem trazer prejuízos para a saúde do homem além de poder interagir com outros medicamentos que o homem possa estar fazendo uso.

5. Uso de anéis

A ideia do uso de anéis no pênis é devido ao aumento da quantidade de sangue no corpo do pênis durante a ereção, o que poderia causar um efeito temporário de aumento. No entanto essa técnica não possui evidências científicas e também é considerada perigosa, isso porque se o anel for muito apertado ou se ficar no pênis por muito tempo pode cortar o fluxo sanguíneo da região e trazer complicações para o homem.

6. Preenchimento do pênis

O preenchimento do pênis, também conhecida como bioplastia peniana, é uma técnica recente que diz ser eficaz para aumentar a circunferência e, em alguns casos, o comprimento do pênis, sendo necessário para isso a injeção de ácido hialurônico debaixo da pele do pênis.

Apesar de ser um procedimento simples, não é aconselhado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica devido aos riscos associados, isso porque dependendo da quantidade e qualidade da substância aplicada pode haver uma resposta inflamatória grave, aumento do risco de infecção e necrose do órgão genital, sendo necessária a amputação.

Além dos riscos associados ao procedimento, também são necessários mais estudos para que o procedimento seja padronizado e para que sejam comprovados seus efeitos a longo prazo, bem como tempo entre realização do preenchimento e aparecimento dos resultados.

7. Cirurgia de aumento do pênis

A cirurgia para aumentar o tamanho do pênis é a última opção que deve ser considerada pelo urologista para aumentar o pênis devido aos riscos associados ao procedimento, como aumento do risco de infecção, presença de cicatrizes e deformidades que podem acabar por dificultar a ereção. As alterações que podem ser vistas após a cirurgia normalmente estão relacionadas com a aspiração da gordura que estava em excesso no local, o que faz com que o pênis pareça maior, mas de fato possui o mesmo tamanho.

Dessa forma, a cirurgia para aumentar não é indicada nas situações em que o homem apresenta insatisfação com o tamanho, já que possui muitos riscos e não é considerada eficaz, sendo apenas levada em consideração em caso de micropênis quando outros tratamentos não foram eficazes.

Veja mais sobre a cirurgia para aumentar o pênis.

Confira no vídeo a seguir qual o tamanho "normal" do pênis e esclareça outras dúvidas relacionadas com o seu desenvolvimento:

Bibliografia >

  • VEALE, David et al. Sexual Functioning and Behavior of Men With Body Dysmorphic Disorder Concerning Penis Size Compared With Men Anxious About Penis Size and With Controls: A Cohort Study. Sex Med. Vol 03. 3 ed; 147-155, 2015
  • VEALE, David et al. Am I normal? A systematic review and construction of nomograms for flaccid and erect penis length and circumference in up to 15 521 men. BJU International. 978-986, 2014
  • ODERDA, Marco; GONTERO, Paolo. Non-invasive methods of penile lengthening: fact or fiction?. BJU International. Vol.107. 1278-1281, 2010
  • CAMPBELL, Jeffrey; GILLIS, Joshua. A review of penile elongation surgery. Translational Andrology and Urology. Vol.6 n.1. 69-78, 2017
  • NHS. Penis enlargement. Disponível em: <https://www.nhs.uk/live-well/sexual-health/penis-enlargement/>. Acesso em 07 Fev 2020
  • NIKOOBAKHT, Mohammadreza et al. Effect of Penile-Extender Device in Increasing Penile Size in Men With Shortened Penis: Preliminary Results. J Sex Med. Vol 08. 11 ed; 3188-3192, 2011
  • UROLOGY CARE FOUNDATION - AMERICAN UROLOGICAL ASSOCIATION. The Foundation´s Recommendations on Penile Augmentation. Disponível em: <https://www.urologyhealth.org/urologic-conditions/penile-augmentation>. Acesso em 04 Mar 2020
  • HEHEMANN, Marah C. et al. Penile Girth Enlargement Strategies: What's the Evidence?. Sex Med Rev. Vol 07. 3 ed; 535-547, 2019
  • MARRA, Giancarlo et al. Systematic Review of Surgical and Nonsurgical Interventions in Normal Men Complaining of Small Penis Size. Sex Med Rev , 8 (1), 158-180 Jan 2020. Vol 08. 1 ed; 158-180, 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem