Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é a coloboma ocular e como tratar

A síndrome do olho de gato é um tipo de malformação do olho, conhecida como coloboma, que faz com que a camada média do olho, chamada de úvea, não exista ou esteja alterada. Isso afeta a estrutura que sustenta a íris e, por isso, seu formato é alterado, ficando semelhante à de um gato, porém a capacidade de visão é quase sempre mantida.

Embora este seja um dos casos mais conhecidos, existem outros tipos de alterações das estruturas do olho que são incluídas no grupo das colobomas oculares, e que incluem:

  • Coloboma pálpebral: o bebê nasce com falta de um pedaço da pálpebra superior ou inferior, mas tem uma visão normal;
  • Coloboma do nervo ótico: faltam partes do nervo ótico, que podem acabar afetando a visão ou causar cegueira;
  • Coloboma da retina: a retina está pouco desenvolvida ou possui pequenas falhas que afetam a visão, podendo criar manchas escuras na imagem enxergada, por exemplo;
  • Coloboma macular: existe uma falha no desenvolvimento da região central da retina e, por isso, a visão é muito afetada.

Em alguns casos, a coloboma pode ser bilateral e, por isso, afetar os dois olhos, no entanto, o tipo de coloboma pode variar de um olho para o outro.

Ainda não existe uma cura para este tipo de malformação no olho, mas o tratamento ajuda a reduzir alguns dos sintomas e melhorar a qualidade de vida da pessoa.

O que é a coloboma ocular e como tratar

Principais sintomas

Os sintomas da coloboma varia de acordo com o seu tipo, no entanto, os sinais mais comuns são:

  • Púpila em forma de 'buraco de fechadura';
  • Falta de um pedaço da pálpebra;
  • Sensibilidade excessiva para a luz;
  • Dificuldades para enxergar que não melhoram com óculos.

Além disso, se se tratar de uma coloboma do nervo ótico, da retina ou da mácula também podem surgir graves diminuições na capacidade para enxergar e, algumas crianças, podem até nascer com cegueira.

Uma vez que estas alterações estão muitas vezes relacionadas a outros problemas, como cataratas, glaucoma ou nistagmo, por exemplo, o médico pode precisar fazer vários exames aos olhos da criança para avaliar se existe algum outro problema que precise ser tratado.

O que causa a coloboma

A coloboma surge quando há uma mutação genética durante os 3 primeiros meses da gestação. Embora essa mutação possa ser passada de pais para filhos, também existem muitos casos em que acontece espontaneamente, sem que existam outros casos na família.

Como é feito o tratamento

O tratamento para uma coloboma, como a do síndrome do olho de gato, só é necessário quando a alteração provoca dificuldade para enxergar ou algum outro sintoma. Caso contrário, o oftalmologista apenas agenda consultas a cada 6 meses para avaliar o desenvolvimento do olho, pelo menos, até aos 7 anos de idade.

Já nos casos em que é necessário tratamento, a técnica utilizada varia de acordo com o sintoma:

  • Uso de lentes de contato coloridas: possuem uma íris pintada que permite esconder a pupila com formato semelhante à de um gato;
  • Uso de óculos de sol ou colocação de filtros nas janelas de casa e do carro: ajudam a diminuir a quantidade de luz quando existe sensibilidade ocular em excesso;
  • Cirurgia estética: permite reconstruir o pedaço de pálpebra que falta ou restabelecer definitivamente o formato da pupila.

Quando existe diminuição da capacidade para enxergar, o oftalmologista pode ainda experimentar várias técnicas como óculos, lentes ou até cirurgia lasik, para tentar identificar se existe possibilidade de melhora para a visão.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...