Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Cetoacidose diabética: o que é, sintomas e tratamento

A cetoacidose diabética é uma complicação da diabetes caracterizada pela grande quantidade de glicose no sangue, aumento da concentração de cetonas circulantes e diminuição do pH sanguíneo, e que geralmente acontece quando o tratamento com insulina não é realizado corretamente ou quando surgem outros problemas, como infecções ou doenças vasculares, por exemplo.

O tratamento da cetoacidose deve ser feito o mais rápido possível para evitar complicações e é recomendado ir para o hospital ou pronto-socorro mais próximo assim que surgirem os primeiros sintomas, como sensação de sede intensa, hálito com cheiro a acetona, cansaço, dor abdominal e diarreia, por exemplo.

Cetoacidose diabética: o que é, sintomas e tratamento

Sintomas de cetoacidose diabética

Os principais sintomas indicativos de cetoacidose diabética são:

  • Sensação de sede intensa e boca seca;
  • Pele seca;
  • Vontade frequente para urinar;
  • Hálito com cheiro a acetona;
  • Cansaço e fraqueza;
  • Respiração superficial e rápida;
  • Dor abdominal, náuseas e vômitos;
  • Confusão mental.

Em casos mais graves, a cetoacidose também pode causar edema cerebral, coma e morte quando não identificada e tratada rapidamente.

Caso sejam observados sinais de cetoacidose diabética, é importante avaliar a quantidade de açúcar no sangue com o auxílio de um glicosímetro. Caso seja verificada concentração de glicose igual ou superior a 300 mg/dL, é recomendado ir imediatamente ao pronto-socorro ou ligar para uma ambulância para que o tratamento possa ser iniciado o mais rápido possível.

Além da avaliação da concentração de glicose, normalmente são verificados os níveis de cetona no sangue, que também se encontram elevados, e o pH do sangue que, nesse caso, é ácido. Veja como saber o pH do sangue.

Como acontece a cetoacidose diabética

No caso da diabetes do tipo 1, o organismo é incapaz de produzir ou produz pouca insulina, o que faz com que a glicose permaneça em elevadas concentrações no sangue e em baixa quantidade dentro das células. Isso faz com que o organismo passe a utilizar a gordura como fonte de energia para manter as funções do corpo, levando à produção de corpos cetônicos em excesso, o que recebe o nome de cetose.

A presença em excesso de corpos cetônicos faz com que haja diminuição do pH do sangue, deixando-o mais ácido, o que é chamado de acidose. Quanto mais ácido é o sangue, menor é a capacidade do corpo de realizar as suas funções, o que pode levar a pessoa ao coma e, até mesmo, ao óbito.

Como é o tratamento

O tratamento para cetoacidose metabólica deve ser iniciado o mais rapidamente possível em internamento no hospital, pois é necessário fazer injeções de soro e insulina diretamente na veia para repôr os minerais e hidratar adequadamente o paciente.

Além disso, é importante que o tratamento da diabetes seja restabelecido por meio de injeções de insulina com o objetivo de regular os níveis de insulina, devendo ser continuado pelo paciente para controle da doença.

Normalmente, a alta do paciente acontece em cerca de 2 dias e, em casa, o paciente deve manter o programa de insulina prescrito durante o internamento e comer refeições equilibradas de 3 em 3 horas, para evitar que a cetoacidose diabética volte a surgir. Confira como é a alimentação para a diabetes no vídeo a seguir:

Alimentação para DIABÉTICO

757 mil visualizações

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem