Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Carboidratos: o que são, funções, metabolismo e alimentos

Os carboidratos, também conhecidos por hidratos de carbono ou sacarídeos, são moléculas com uma estrutura composta por carbono, oxigênio e hidrogênio, cuja principal função é a de proporcionar energia ao organismo, já que 1 grama de carboidrato corresponde a 4 Kcal, constituindo cerca de 50 a 60 % da dieta.

Alguns exemplos de alimentos que contêm hidratos de carbono são o arroz, aveia, mel, açúcar, batata, entre outros, podendo ser classificados em carboidratos simples e complexos, segundo a sua estrutura molecular.

Carboidratos: o que são, funções, metabolismo e alimentos

Funções no organismo

Os carboidratos são a principal fonte de energia do organismo porque, durante a digestão, se gera glucose, que é o componentes preferido das células para produzir energia, que degradam esta molécula em ATP, utilizado em diversos processos metabólicos, para o bom funcionamento do organismo. A glucose é utilizada principalmente pelo cérebro, que utiliza cerca de 120 g, de um total de 160 g utilizados diariamente.

Além disso, uma parte da glucose gerada é armazenada na forma de glicogênio, no fígado, e uma pequena porção é armazenada nos músculos, para situações em que o organismo necessite de reservas, como em situações de jejum prolongado, de alerta ou de estresse metabólico, por exemplo.

O consumo de carboidratos também é importante para a preservação dos músculos, já que a falta de glucose favorece a perda de massa muscular. A fibra também é um tipo de carboidrato, que apesar de não ser digerida em glucose, é essencial para o processo de digestão, já que diminui a absorção de colesterol, ajuda a manter o açúcar no sangue, aumenta os movimentos intestinais e favorece o aumento do volume das fezes, evitando a prisão de ventre.

Existe outra fonte de energia além da glicose?

Sim. Quando o organismo utiliza reservas de glicose e não há ingestão de carboidratos ou quando a ingestão é insuficiente, o organismo começa a utilizar as reservas de gordura do organismo para gerar energia (ATP), substituindo a glucose por corpos cetônicos.

Classificação dos carboidratos

Os carboidratos podem ser classificados de acordo com a sua complexidade, em:

Carboidratos: o que são, funções, metabolismo e alimentos

1. Simples

Os carboidratos simples são unidades que, ao unir-se, formam carboidratos mais complexos. Exemplos de carboidratos simples são a glicose, ribose, xilose, galactose e frutose. Ao consumir uma porção de carboidrato, esta molécula mais complexa vai-se decompondo a nível do trato gastrointestinal, até chegar ao intestino em forma de monossacáridos, para depois serem absorvidos.

A união de duas unidades de monossacáridos formam os dissacáridos, como a sacarose (glucose + frutose), que é o açúcar de mesa, a lactose (glucose + galactose) e a maltose (glucose + glucose), por exemplo. Além disso, a união de 3 a 10 unidades de monossacáridos dá origem aos oligossacáridos.

2. Complexos

Os carboidratos complexos ou polissacáridos, são aqueles que contêm mais de 10 unidades de monossacáridos, formando estruturas moleculares complexas, que podem ser lineares ou ramificadas. Alguns exemplos são o amido ou o glicogênio.

Carboidratos: o que são, funções, metabolismo e alimentos

Quais são os alimentos com carboidratos

Alguns alimentos ricos em carboidratos são o pão, farinha de trigo, rabanadas, feijões, lentilhas, grão de bico, cevada, aveia, maisena, batata e batata doce, por exemplo.

O excesso de carboidratos deposita-se no organismo em forma de gordura, por isso, apesar de serem muito importantes, deve-se evitar ingerir em excesso, sendo recomendado uma ingestão de cerca de 200 a 300 gramas por dia, que é uma quantidade que varia conforme o peso, idade, sexo e exercício físico.

Veja mais alimentos ricos em carboidratos.

Como acontece o metabolismo dos carboidratos

Os carboidratos intervêm em diversas vias metabólicas, como:

  • Glicólise: é a via metabólica em que a glicose é oxidada para obter energia para as células do organismo. Durante este processo, forma-se ATP e 2 moléculas de piruvato, que são utilizadas em outras vias metabólicas, para obter mais energia;
  • Gluconeogênese: através desta via metabólica, pode-se produzir glicose a partir de outras fontes que não são carboidratos. Esta via é ativada quando o organismo passa por um período de jejum prolongado, em que a glicose pode ser produzida através de glicerol, a partir de ácidos graxos, aminoácidos ou lactato;
  • Glicogenólise: é um processo catabólico, em que se degrada o glicogênio que está armazenado no fígado e/ou nos músculos, para a formação de glucose. Esta via ativa-se quando o organismo requer um aumento de glucose no sangue;
  • Glucogênese: é um processo metabólico em que se produz glicogênio, que é composto por várias moléculas de glucose, que é armazenado no fígado e, em menores quantidades, nos músculos. Este processo ocorre após a ingestão de alimentos com carboidratos.

Estas vias metabólicas são ativadas em função das necessidades do organismo e da situação em que se encontra.


Bibliografia

  • MAHAN, L. Kathleen et al. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 13.ed. São Paulo: Elsevier Editora, 2013. 33-39.
  • NELSON David y COX Michael. Lehninger Principios de Bioquímica. 7º. São Paulo, Brasil: Artmed, 2019. 241-272.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem