Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é a úlcera venosa e como é feito o tratamento

A úlcera venosa é um tipo de ferida que surge mais frequentemente nas pernas, principalmente no tornozelo, devido à insuficiência venosa, o que leva ao acúmulo de sangue e rompimento das veias e, consequentemente, ao surgimento de feridas que doem e não cicatrizam, além de inchaço na perna e escurecimento da pele. Veja quais são os principais sintomas de má circulação.

A presença de úlceras venosa, apesar que não ser fatal, pode causar grande desconforto e até mesmo gerar incapacidade, afetando a qualidade de vida da pessoa, principalmente. Esse tipo de úlcera é mais frequente em pessoas idosas ou que possuem vários problemas sistêmicos que podem interferir na circulação sanguínea ou no processo de cicatrização.

O tratamento para a úlcera venosa é feito de acordo com a orientação médica e normalmente é feita com o uso de meias compressivas, que estimulam a circulação local, e com o uso de pomadas que facilitam a cicatrização.

O que é a úlcera venosa e como é feito o tratamento

Como é feito o tratamento

O tratamento para a úlcera venosa deve ser feita com a recomendação médica e tem como objetivo prevenir o surgimento de novas úlceras, aliviar a dor, evitar infecções, melhorar a circulação venosa e facilitar a cicatrização da úlcera já presente.

Uma das opções de tratamento para a úlcera venosa é a terapia compressiva que consiste no uso de meias compressivas que têm como objetivo estimular a circulação local, diminuindo o inchaço e risco de formação de novas feridas. Além disso, devido ao estímulo da micro e macrocirculação, o uso das meias compressivas pode ser útil para diminuir a saída de líquidos da úlcera. É importante também identificar os fatores que podem estar relacionados à alteração da circulação para que o médico possa estabelecer um tratamento voltado para a causa.

Além disso, é importante realizar a limpeza da ferida para evitar que ocorra infecções, o que pode piorar a úlcera levando à necrose do tecido. A limpeza deve ser feita com uma solução de soro fisiológico à 0,9% que não interfere no processo de cicatrização, não provoca reações alérgicas na pele e nem altera a microbiota normal da pele.

Após a limpeza é recomendado fazer um curativo com hidrogel ou aplicar papaína ou colagenase, que é uma substância que possui a capacidade de remover o tecido morto e facilitar a cicatrização. Saiba mais sobre a colagenase.

É importante também movimentar a perna, por meio de caminhadas ou exercícios de fisioterapia, para ativar a circulação local e diminuir o congestionamento de sangue, evitando a formação de novas úlceras e a recidiva. Caso seja notado a presença de infecção por bactérias na ferida, o médico poderá indicar também o uso de antibióticos de acordo com o microrganismo presente na ferida.

Características da úlcera venosa

A úlcera venosa é uma ferida crônica, mais frequente no tornozelo, caracterizada por ser uma lesão que não cicatriza facilmente e que no início possui bordas irregulares e são superficiais, mas com a progressão da lesão pode ser tornar profunda e com bordas bem definidas, podendo ainda haver a saída de um líquido amarelado da úlcera.

Outras características da úlcera venosa são:

  • Dor de intensidade variável;
  • Inchaço;
  • Edema;
  • Descamação;
  • Escurecimento e espessamento da pele;
  • Presença de varizes;
  • Sensação de peso nas pernas;
  • Coceira.

O diagnóstico é feito a partir da avaliação das características da úlcera, como por exemplo localização, tamanho, profundidade, bordas, presença de líquido e inchaço da região. Além disso, o médico verifica espessamento, escurecimento da pele e características de inflamação.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar