Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Úlcera venosa: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
janeiro 2023

A úlcera venosa é uma ferida que pode aparecer nas pernas, principalmente no tornozelo, que não cicatriza facilmente, pode ficar mais profunda ao longo do tempo, dói e coça, além de também poder haver inchaço na perna e escurecimento e espessamento da pele.

A úlcera venosa, também chamada de úlcera varicosa, acontece devido a alterações na circulação sanguínea, podendo ser consequência da trombose venosa profunda, envelhecimento ou uso de medicamentos. A presença de úlceras venosa, apesar que não ser fatal, pode causar grande desconforto e até mesmo gerar incapacidade, afetando a qualidade de vida da pessoa, principalmente.

O tratamento para a úlcera venosa é feito de acordo com a orientação médica e normalmente é feita com o uso de meias compressivas, que estimulam a circulação local, e com o uso de pomadas que facilitam a cicatrização.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de úlcera venosa

Os principais sinais e sintomas de úlcera venosa são:

  • Ferida que não cicatriza facilmente;
  • Ferida com bordas irregulares e superficiais, podendo ficar mais profunda e com bordas definidas ao longo do tempo;
  • Saída de líquido amarelado pela ferida;
  • Dor, coceira e vermelhidão no local;
  • Inchaço na região da ferida;
  • Escurecimento e espessamento da pele;
  • Descamação do local.

A úlcera venosa aparece normalmente no tornozelo e pode também estar associada a outros sintomas como aparecimento de varizes e sensação de peso nas pernas.

É importante que o médico seja consultado assim que forem notados sinais e sintomas que possam ser indicativos de úlcera venosa, pois assim é possível iniciar o tratamento para tratar a úlcera e evitar infecção e morte do tecido.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da úlcera venosa deve ser feito pelo angiologista, dermatologista ou clínico geral a partir da avaliação das características da úlcera, como localização, tamanho, profundidade, bordas, presença de líquido e inchaço da região. Além disso, o médico verifica espessamento, escurecimento da pele e características de inflamação.

Principais causas

O aparecimento da úlcera venosa está normalmente associada como problemas de circulação, podendo ser consequência de:

  • Trombose venosa profunda;
  • Envelhecimento;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Tabagismo;
  • Ficar muitas horas em pé.

Além disso, a gravidez e o uso de medicamentos, como anticoncepcionais, por exemplo, pode provocar alterações na circulação sanguínea e aumentar o risco do aparecimento da úlcera. Veja mais sobre as causas de má circulação.

Como é feito o tratamento

O tratamento para a úlcera venosa deve ser feita com a recomendação médica e tem como objetivo prevenir o surgimento de novas úlceras, aliviar a dor, evitar infecções, melhorar a circulação venosa e facilitar a cicatrização da úlcera já presente.

1. Limpeza da ferida

É importante realizar a limpeza da ferida para evitar que ocorram infecções, o que pode piorar a úlcera levando à necrose do tecido. A limpeza deve ser feita com uma solução de soro fisiológico à 0,9% que não interfere no processo de cicatrização, não provoca reações alérgicas na pele e nem altera a microbiota normal da pele.

Após a limpeza é recomendado fazer um curativo com hidrogel, alginatos, papaína ou colagenase, dependendo da indicação médica, e que são substâncias que possuem a capacidade de remover o tecido morto e facilitar a cicatrização.

2. Uso de meias de compressão

Pode ser também recomendado pelo médico o uso de meias de compressão para estimular a circulação local, diminuindo o inchaço e risco de formação de novas feridas, pois estimula a micro e macrocirculação.

O uso das meias de compressão graduada deve ser prescrito pelo médico vascular, podendo ser de vários tipos, sendo por isso importante também identificar os fatores que podem estar relacionados à alteração da circulação, para que o médico possa estabelecer um tratamento voltado para a causa.

3. Movimentar a perna

É também importante movimentar a perna, por meio de caminhadas ou exercícios de fisioterapia, para ativar a circulação local e diminuir o congestionamento de sangue, evitando a formação de novas úlceras e a recidiva. 

4. Uso de medicamentos

Caso seja notado a presença de infecção por bactérias na ferida, o médico poderá indicar também o uso de antibióticos de acordo com o microrganismo presente na ferida.

5. Cirurgia

Em lesões de difícil cicatrização, que não cicatrizaram com uso das terapias compressivas e com curativos, ou quando são úlceras muito grandes, pode ser indicada a realização de uma cirurgia em que é colocado um enxerto de pele na região da úlcera, no qual é retirado um pedaço de tecido de outra parte do corpo e colocado no local onde está a úlcera, facilitando a cicatrização.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em janeiro de 2023. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em fevereiro de 2020.

Bibliografia

  • ÚLCERA VENOSA. Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Disponível em: <https://sbacvsp.com.br/ulcera-venosa/>. Acesso em 25 jan 2023
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.