Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como reconhecer o Oxiúrus e seus sintomas

O sintoma mais comum do oxiúrus, que é uma doença causada pelo Enterobius vermicularis, popularmente conhecido como oxiúrus, é a intensa coceira anal, especialmente à noite, que acontece porque as fêmeas do verme se dirige até o ânus para colocar seus ovos na região perianal, causando os sintomas.

Como causa intensa coceira à noite, é possível também que exista alteração no sono. Além disso, caso haja uma grande quantidade de parasitas, é possível que surjam outros sintomas, como perda de peso, enjoo, irritabilidade, vômitos e cólicas abdominais.

Nas meninas, a infecção pode causar ainda contaminação vaginal, gerando vaginite e até mesmo infertilidade caso os parasitas multipliquem-se nas trompas e causem o seu bloqueio. No caso do parasita subir pelo intestino, pode chegar ao apêndice e gerar uma apendicite aguda, embora isso não seja muito comum.

Como reconhecer o Oxiúrus e seus sintomas

Se tem coceira anal, assinale a seguir os sintomas que apresenta e saiba outras possíveis causas desse sintoma:

  1. 1. Dor ou dificuldade para defecar
    Sim
    Não
  2. 2. Presença de sangue no papel higiênico
    Sim
    Não
  3. 3. Descamação e vermelhidão no ânus
    Sim
    Não
  4. 4. Presença de pequenos pontos brancos nas fezes
    Sim
    Não
  5. 5. Coceira que surgiu durante ou após o uso de antibiótico
    Sim
    Não
  6. 6. Coceira que surge ou piora após a depilação, depois de usar algum tipo de roupa íntima ou absorvente
    Sim
    Não
  7. 7. Coceira que surgiu após sexo anal desprotegido
    Sim
    Não
Imagem que indica que o site está carregando

Como reconhecer o Oxiúrus

O oxiúrus é conhecido cientificamente como Enterobius vermicularis e é um parasita fino e cilíndrico que pode medir entre 0,3 mm e 1 cm de comprimento. Esses parasitas habitam o intestino e as fêmeas costumam deslocar-se para a região perianal para colocar seus ovos, causando intensa coceira. Os ovos do Enterobius vermicularis são transparentes, possuem formato oval em forma de D e contêm a larva desenvolvida em seu interior, no entanto só são visualizados microscopicamente.

Quando uma pessoa encontra-se contaminada com este verme, suas roupas e roupas de cama utilizadas podem conter ovos desse parasita e, dessa forma, pode haver o contágio de outras pessoas. Por isso, é importante que caso seja detectado um caso de oxiúrus na família, que se tenham cuidados de higiene específicos, como lavar as roupas e roupas de cama separadamente em alta temperatura e evitar o compartilhamento de toalhas, por exemplo. Além disso, é recomendado que toda a família realize o tratamento, mesmo que não existam sintomas.

Os pequenos parasitas tem hábitos noturnos, por isso é neste período que a pessoa sente mais coceira no ânus. O diagnóstico do oxiúrus é feito pelo médico por meio da avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa e pelo exame da fita-cola, que ainda é bastante utilizado na prática laboratorial. Esse exame consiste em colar uma fita adesiva na região perianal, de preferência pela manhã antes da pessoa lavar ou defecar, e depois observá-la microscopicamente, podendo ser visualizado os ovos desse parasita.

Apesar de ser um método muito utilizado, esse método pode estragar os ovos e limitar outros processos laboratoriais. Por isso, a coleta pode ser realizada utilizando um swab, que depois é passado na lâmina e levado para observação.

Como é feito o tratamento

Caso haja confirmação de oxiúrus, o médico pode recomendar o uso de remédios para vermes como Albendazol ou Mebendazol em dose única. Entenda como deve ser feito o tratamento para oxiúrus.

Veja algumas opções de remédios caseiros para vermes, e como se proteger assistindo ao vídeo a seguir:

Sintomas e remédios para acabar com VERMES

639 mil visualizações

Bibliografia >

  • BARER, Michael R. et al. Medical Microbiology - A guide to Microbial Infections: pathogenesis, immunity, laboratory investigation and control. 19 ed. Elsevier, 2018. 620.
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Doenças infecciosas e parasitárias. 2010. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_bolso_4ed.pdf>. Acesso em 15 Nov 2019
  • SOCIEDADE PORTUGUESA DE PEDIATRIA. Protocolo de parasitoses intestinais. 2011. Disponível em: <https://www.spp.pt/Userfiles/File/App/Artigos/32/20120530172157_Consensos_Fernandes%20S_43(1).pdf>. Acesso em 15 Nov 2019
  • CENTERS OF DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Parasites - Enterobiasis (also known as Pinworm Infection). Disponível em: <https://www.cdc.gov/parasites/pinworm/index.html>. Acesso em 15 Nov 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem