Lisina: para que serve, como tomar e contraindicações

setembro 2022

A lisina é um aminoácido essencial que não é produzido no corpo, devendo ser obtido através dos alimentos, como carne, leite, soja ou peixe, por exemplo, ou na forma de suplemento alimentar.

Esse aminoácido atua sobre o sistema imune, ajudando no seu fortalecimento e evitando a replicação de alguns tipos de vírus, como é o caso do vírus do herpes simples.

O suplemento de lisina pode ser comprado em forma de cápsula, comprimido ou em pó, podendo ser encontrado em algumas farmácias ou lojas online, não sendo necessária apresentação de receita médica.

Para que serve

Os suplementos de lisina são indicados para ajudar a prevenir e a evitar infecções recorrentes pelo vírus do herpes. O seu uso contínuo evita que o vírus se replique no organismo.

Além disso, em caso de infecções ativas pelo vírus, o suplemento de lisina poderia fazer com que as lesões se curem e desapareçam mais rapidamente, no entanto são necessário mais estudos científicos que comprovem esse efeito.

O suplemento de lisina também é recomendado para aumentar as defesas do corpo, prevenindo a gripe e o resfriado, e ajudando no crescimento infantil.

Como tomar

Para reduzir os sintomas do herpes, é recomendado consumir cerca de 2 gramas de lisina por dia em doses divididas entre as refeições.

As cápsulas de lisina não devem ser ingeridas por mais de 6 meses ou por mais tempo que o recomendado pelo médico, já que poderia causar desequilíbrio na concentração de outro aminoácido, a arginina.

Efeitos secundários

Alguns efeitos secundários que podem surgir com o uso do suplemento de lisina são dor de estômago ou diarreia, principalmente quando se toma em quantidade superior à dor recomendada.

Quem não deve usar

O suplemento de lisina não é recomendado para pessoa com doenças renais, cardíacas ou do fígado, e com alergia ou hipersensibilidade a algum componente da fórmula.

Além disso, o suplemento de lisina não deve ser usado por mulheres grávidas ou período de lactância.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em setembro de 2022.

Bibliografia

  • MAILOO V et al. Lysine for Herpes Simplex Prophylaxis: A Review of the Evidence. Integrative Medicina: A Clinician's Journal. 16. 3; 42-46, 2017
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.