Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como o Hipotireoidismo afeta a Gravidez

O hipotireoidismo, quando não é bem controlado na gravidez, pode causar problemas como aborto espontâneo, retardo no desenvolvimento mental e baixo Q.I. para o bebê.

Além disso, essa doença pode diminuir as chances de engravidar porque altera os hormônios reprodutores da mulher, fazendo com que nem sempre ocorra ovulação e período fértil durante o ciclo menstrual.

Riscos para a mãe e o bebê

Os riscos do hipotireoidismo na gravidez aparecem devido à falta de tratamento da doença ou ao tratamento incorreto, aumentando a chance de problemas como:

Riscos para a mãeRiscos para o bebê
Pré-eclâmpsiaDefeitos cardíacos
Parto prematuroAtraso no desenvolvimento mental
AnemiaBaixo Q.I.
Placenta préviaSofrimento fetal
Hemorragia após o partoBaixo peso ao nascer

A pré-eclâmpsia é uma condição que tende a começar a partir das 20 semanas de gestação e causa pressão alta na mãe, podendo afetar o funcionamento adequado dos órgãos e causar aborto ou parto prematuro. Veja mais aqui.

Como identificar

Na maior parte dos casos, as gestantes já têm hipotireoidismo antes da gravidez, mas os exames de pré-natal ajudam a detectar a doenças em mulheres que não apresentavam sintomas do problema.

Para diagnosticar a doença, deve-se fazer exames de sangue que avaliam a quantidade dos hormônios da tireoide no corpo e, nos casos positivos, deve-se repetir a análise a cada 4 ou 8 semana durante toda a gestação para manter o controle da doença.

Tratamento

Se a mulher já tem hipotireoidismo e planeja engravidar, deve manter a doença bem controlada e fazer exames de sangue a cada 6 a 8 semanas desde o primeiro trimestre de gestação, sendo normal a dose do medicamento ser maior do que antes da gestação.

Quando a doença é descoberta durante a gravidez, o uso de medicamentos para reposição dos hormônios da tireoide deve começar logo que o problema seja identificado, devendo-se também refazer as análises a cada 6 ou 8 semanas para reajuste da dose.

Hipotireoidismo no pós-parto

Além do período de gestação, o hipotireoidismo também pode surgir no primeiro ano após o parto, especialmente após 3 ou 4 meses do nascimento do bebê. Isso ocorre devido a alterações no sistema imune da mulher, que passa a destruir as células da tireoide.

Na maior parte dos casos, o problema é passageiro e se resolve até 1 ano de pós parto, mas algumas mulheres desenvolvem hipotireoidismo permanente, e todas passam a ter maiores chances de ter novamente o problema em uma futura gestação.

Assim, deve-se esta atenta aos sintomas da doença e fazer exames de sangue que avaliem o funcionamento da tireoide durante o primeiro ano depois do parto. Por isso, veja quais os sintomas de hipotireoidismo.

Assista ao vídeo a seguir para saber o que comer para prevenir problemas na tireoide:

Se seu problema é excesso de hormônios, veja Como o Hipertireoidismo afeta a Gravidez.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...