Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Hipertireoidismo na gravidez: sintomas, possíveis complicações e como tratar

O hipertireoidismo pode surgir antes ou durante a gravidez, e quando não tratado pode causar problemas como parto prematuro, hipertensão, descolamento da placenta e aborto.

Essa doença pode ser detectada através de exame de sangue, e o seu tratamento é feito com o uso de medicamentos que regulam o funcionamento da tireoide. Após o parto, é necessário continuar o acompanhamento médico, pois é comum que a doença permaneça por toda a vida da mulher.

Hipertireoidismo na gravidez: sintomas, possíveis complicações e como tratar

Sintomas de hipertireoidismo na gravidez

Os sintomas de hipertireoidismo na gravidez podem ser muitas vezes confundido com os sintomas que surgem devido às alterações hormonais comuns na gravidez, podendo haver:

  • Calor e suor excessivo;
  • Cansaço;
  • Ansiedade;
  • Coração acelerado;
  • Náuseas e vômitos de grande intensidade;
  • Perda de peso ou incapacidade ganhar peso, mesmo se alimentando bem.

Assim, o principal sinal de que algo pode estar errado com a tireoide é a ausência de ganho de peso, mesmo com o aumento do apetite e da quantidade de alimentos consumidos.

É importante que a mulher seja acompanhada regularmente pelo médico para que sejam realizados exames que ajudem a avaliar o estado geral de saúde da mulher e do bebê. Assim, nesse caso, pode ser recomendada a realização da dosagem no sangue de T3, T4 e TSH, que quando em quantidades aumentadas pode ser indicativo de hipertireoidismo.

No entanto, é importante lembrar que o hormônio T4 pode estar elevado devido aos altos níveis de beta-HCG no sangue, principalmente entre a 8ª e 14ª semana de gestação, voltando ao normal após esse período.

Como tratar

O tratamento do hipertireoidismo na gravidez é feito com o uso de medicamentos que ajudam a regular a produção de hormônios pela tireoide, como o Metimazol e o Propilracil, que devem ser usados de acordo com a orientação do médico.

No início, são dadas doses maiores para controlar mais rapidamente os hormônios, e após 6 a 8 semanas de tratamento, se a mulher apresentar melhora, a dose do medicamento é reduzida, podendo até ser suspensa após as 32 ou 34 semanas de gestação.

É importante que o tratamento seja feito conforme a orientação médica, pois caso contrário os altos níveis de hormônios tireoidianos podem levar ao desenvolvimento de complicações tanto para a mãe quanto para o bebê.

Hipertireoidismo na gravidez: sintomas, possíveis complicações e como tratar

Possíveis complicações

As complicações do hipertireoidismo na gravidez estão relacionados com a ausência de tratamento ou tratamento incompleto para o hipertireoidismo, podendo resultar em:

  • Parto prematuro;
  • Baixo peso ao nascer;
  • Hipertensão na mãe;
  • Problemas de tireoide para o bebê;
  • Deslocamento da placenta;
  • Insuficiência cardíaca na mãe;
  • Aborto;

É importante lembrar que na maior parte dos casos as mulheres já apresentavam sintomas da doença antes da gravidez e por isso não percebem as alterações causadas no corpo quando engravidam. A principal causa de hipertireoidismo é a doença de Graves, que é uma doença autoimune em que as células do sistema imunológico atacam a própria glândula tireoide, resultando em desregulação da produção hormonal. Veja mais sobre a doença de Graves.

Cuidados no pós-parto

Após o parto, é necessário continuar tomando os remédios para controlar a tireoide, mas caso a medicação seja suspensa, deve-se fazer novos exames de sangue para avaliar os hormônios 6 semanas após o parto, pois é comum o problema reaparecer.

Além disso, durante o período de amamentação é recomendado que os medicamentos sejam tomados nas menores doses possíveis, de preferência logo após a mamada do bebê e de acordo com a orientação médica.

Também é importante lembrar que as crianças devem fazer exames de rotina para avaliar o funcionamento da tireoide, pois eles têm maiores chances de terem hiper ou hipotireoidismo.

Veja dicas da alimentação para tratar e prevenir problemas na tireoide assistindo ao vídeo a seguir:

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem