Estresse na gravidez: quais os riscos e como aliviar

junho 2022

O estresse na gravidez é uma situação relativamente comum, podendo ocorrer devido às mudanças no corpo da mulher, alterações hormonais normais durante a gestação, preocupação com o parto e preparações para a chegada do bebê. 

No entanto, quando o estresse na gravidez é frequente ou excessivo, pode aumentar a liberação de citocinas inflamatórias e de cortisol, que é o hormônio relacionado com o estresse, que podem chegar até o bebê pela placenta, e interferir no seu desenvolvimento, além de aumentar o risco de infecções, parto prematuro ou baixo peso ao nascer.

Assim, para evitar os riscos para o bebê, é importante que a mulher tente relaxar durante a gravidez, sendo importante descansar, fazer atividades que gosta e ter uma alimentação saudável, sempre com orientação do obstetra. Veja como deve ser a alimentação na gravidez

Possíveis riscos do estresse

Alguns dos possíveis riscos do estresse na gravidez para o bebê são:

  • Aumento do risco de alergias, porque o excesso de cortisol, pode afetar o sistema imunológico do feto, fazendo com que o bebê produza mais imunoglobulina E, uma substância relacionada às alergias, como a asma alérgica, rinite alérgica ou dermatite atópica, por exemplo;
  • Baixo peso ao nascer devido a diminuição da quantidade de sangue e oxigênio que chega ao bebê;
  • Aumento das chances de parto prematuro devido ao aumento da tensão muscular da mãe, que pode levar ao trabalho de parto;
  • Maior resistência à insulina e maior risco de obesidade na vida adulta devido a exposição às citocinas inflamatórias;
  • Aumento do risco de doenças cardíacas, pois o excesso de cortisol estimula a produção de adrenalina e noradrenalina, que controlam a pressão arterial e os batimentos cardíacos;
  • Alterações cerebrais, como dificuldade de aprendizagem, hiperatividade e aumento do risco de transtornos como depressão, ansiedade e esquizofrenia devido a exposição repetida de cortisol.

Como aliviar o estresse na gravidez

Para reduzir o estresse durante a gravidez e, assim evitar complicações para o bebê e promover a sensação de bem estar na mulher, é importante que sejam adotadas algumas estratégias, como:

  • Falar com uma pessoa de confiança e contar o motivo da ansiedade, pedindo ajuda para lidar com o problema;
  • Descansar ao máximo e focar no bebê, lembrando que ele pode te ouvir e ser seu companheiro durante toda a vida;
  • Ter uma alimentação saudável, consumindo bastantes frutas, legumes e alimentos integrais, e evitando doces e gorduras; 
  • Fazer atividade física regularmente, como caminhada e hidroginástica, pois ajuda a aliviar o estresse e produzir hormônios que dão a sensação de bem estar;
  • Fazer atividades que gosta, como assistir a filmes de comédia, tomar banhos relaxantes e ouvir música;
  • Tomar chás calmantes como chá de camomila e o suco de maracujá, que podem ser consumidos até 3 vezes por dia;
  • Fazer uma terapia complementar, como praticar yoga, meditação, fazer massagens relaxantes ou usar a aromaterapia para relaxar.

Caso os sintomas de estresse não melhorem ou em caso de depressão ou de Transtorno de Estresse Pós-Traumático, deve-se procurar o médico para que ele possa prescrever remédios específicos quando necessário. Ansiolíticos e antidepressivos podem ser indicados mas só devem ser usados sob orientação médica.

Veja algumas dicas de alimentação no vídeo a seguir que ajudam a diminuir o estresse:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em junho de 2022.

Bibliografia

  • SMEJEDA, K.; et al. Maternal Stress and Allergic Diseases in Children: A systematic review. Journal of Dermatology and Skin. 1. 1; 1-7, 2019
  • MAGI, C-A O.; et al. Allergic disease and risk of stress in pregnant women: a PreventADALL study. ERJ Open Res. 6. 4; 00175-2020, 2020
Mostrar bibliografia completa
  • ZIETLOW, A. L.; et al. Emotional Stress During Pregnancy – Associations With Maternal Anxiety Disorders, Infant Cortisol Reactivity, and Mother–Child Interaction at Pre-school Age. Front. Psychol. 10. 2019
  • DOLE, N.; et al. Maternal stress and preterm birth. Am J Epidemiol. 157. 1; 14-24, 2003
  • WOODS, S. M.; et al. Psychosocial stress during pregnancy. American Journal of Obstetrics and Gynecology. 202. 1; 61.e1–61.e7, 2010
  • GONZÁLEZ-OCHOA, R.; et al. Evaluating stress during pregnancy: do we have the right conceptions and the correct tools to assess it?. Journal of Pregnancy. 2018. 4857065, 2018
  • VALSAMAKIS, G.; et al. Stress, female reproduction and pregnancy. Psychoneuroendocrinology. 100. 48-57, 2019
  • COOK, N.; et al. Maternal posttraumatic stress disorder during the perinatal period and child outcomes: A systematic review. J Affect Disord. 225. 18-31, 2018
  • ALVES, A. C.; et al. Resilience and Stress during Pregnancy: A Comprehensive Multidimensional Approach in Maternal and Perinatal Health. ScientificWorldJournal. 2021. 9512854, 2021
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.

Tuasaude no Youtube

  • Alimentos para combater o estresse e a ansiedade

    02:05 | 474874 visualizações