Doença do silicone: o que é, sintomas e tratamento

Atualizado em abril 2023
  1. Sintomas
  2. Diagnóstico
  3. Causas
  4. Tratamento

Doença do silicone é um termo utilizado para descrever alguns sintomas de reações autoimunes ou inflamatórias causadas pelas próteses mamárias de silicone, como dor nas articulações, queda de cabelo, alterações psicológicas e cansaço excessivo, por exemplo, que podem surgir poucos dias ou anos após a colocação da prótese.

Assim, na presença de sinais e sintomas é importante que o cirurgião ou mastologista seja consultado para que seja feita uma avaliação e possa ser indicado o melhor tratamento, que normalmente é a remoção da prótese.

Apesar da doença de silicone ser normalmente referida como sinônimo da síndrome ASIA, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica esclarece que são situações diferentes, até porque a doença do silicone não é considerada uma doença, mas sim um conjunto de sintomas.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas da doença do silicone

Os principais sintomas da doença do silicone são:

  • Cansaço excessivo;
  • Ansiedade ou depressão;
  • Insônia;
  • Problemas de memória e concentração;
  • Alteração do funcionamento intestinal;
  • Dor nas articulações;
  • Dor ou fraqueza muscular;
  • Queda de cabelo;
  • Olhos secos ou diminuição da visão.

Esses sintomas podem surgir alguns dias após a cirurgia para colocar a prótese mamária de silicone, ou surgir anos após a sua colocação.

Por isso, no caso da pessoa ter próteses mamárias de silicone e apresentar os sintomas doença do silicone, deve-se consultar o mastologista ou o cirurgião plástico, para que seja diagnosticada e iniciado o tratamento mais adequado.

O que é síndrome ASIA?

A síndrome ASIA, do inglês Autoimmune Syndrome Induced by Adjuvants, é uma alteração autoimune que pode ser desencadeada por adjuvantes, ou seja, substâncias "estranhas" para o organismo que podem resultar em um processo inflamatório crônico em pessoas que já possuem predisposição para doenças autoimunes.

Dentre os adjuvantes que podem favorecer o desenvolvimento dessa síndrome estão o silicone, hidróxido de alumínio, mercúrio, óleo mineral e titânio, por exemplo.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da doença do silicone é feito pelo mastologista ou cirurgião plástico através da avaliação dos sintomas e histórico de saúde, isso porque não existem exames laboratoriais e radiológicos que possam confirmar a doença.

Marque consulta com um Cirurgião perto de você!

Atendemos mais de 150 convênios em 7 estados do Brasil*.

Marcar Consulta

*Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Sergipe e Distrito Federal

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

No entanto, o médico pode solicitar exames para descartar outras doenças que tenham sintomas semelhantes, como artrite reumatoide ou doença de Lyme. Veja os principais exames para artrite reumatoide e doença de Lyme.  

Possíveis causas

A causa exata da doença do silicone não é totalmente conhecida, mas acredita-se que ocorra devido a reações autoimunes ou inflamatórias à prótese de silicone mamária.

Como é feito o tratamento

O tratamento para a doença do silicone deve ser feito sob a orientação do cirurgião plástico, sendo normalmente indicada a realização do explante, que consiste na retirada da prótese de silicone, sendo suficiente para desaparecimento dos sintomas.

Em alguns casos, quando são verificados pelo médico sinais inflamatórios ou que possam estar relacionados com alterações autoimunes, o médico pode recomendar o uso de medicamentos corticoides ou inflamatórios.

Queremos te ajudar!

Nossos Cirurgiões Plástico estão disponíveis para te ajudar, em 7 estados do Brasil*

Marcar consulta

*Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Sergipe e Distrito Federal