Canal lacrimal entupido: sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
abril 2022

O canal lacrimal entupido é uma condição que acontece quando existe um bloqueio total ou parcial do canal que conduz as lágrimas, levando ao surgimento de sintomas como vermelhidão, lacrimejamento, dor ou inchaço no canto interno do olho.

Esse entupimento do canal lacrimal, conhecido cientificamente como dacrioestenose, pode surgir em bebês, logo desde o nascimento, devido a uma malformação, por exemplo. Mas também pode se desenvolver em outras idades, sendo que, nesses casos, é mais comum que seja resultado de uma infecção ou pancadas no nariz.

O entupimento do canal lacrimal normalmente não é uma condição grave, no entanto, deve-se consultar o oftalmologista que pode indicar o tratamento mais adequado, caso haja necessidade, já que, em alguns casos, a obstrução do canal lacrimal pode causar inflamação ou infecção no olho, sendo essa situação conhecida como dacriocistite. Entenda melhor o que é a dacriocistite.  

Principais sintomas

O canal lacrimal entupido pode causar sintomas como:

  • Lacrimejamento excessivo;
  • Vermelhidão da parte branca do olho;
  • Irritação do olho afetado;
  • Presença de secreção ou pus no olho afetado;
  • Crostas na pálpebra;
  • Inchaço do canto interno do olho;
  • Visão embaçada.

Além disso, em bebês ou crianças, podem surgir outros sintomas indicativos de canal lacrimal entupido como acúmulo de lágrimas no canto do olho, vermelhidão ao redor dos olhos, corrimento amarelado no canto do olho ou lágrimas escorrendo na pálpebra ou bochecha sem ter sido causadas por choro.

É importante consultar um oftalmologista na presença de sintomas que possam indicar entupimento do canal lacrimal, pois, em algumas pessoas, o bloqueio da saída da lágrima pode levar a um acúmulo de líquido no canal lacrimal, o que aumenta o risco de inflamação ou infecção.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do canal lacrimal entupido é feito pelo oftalmologista através da avaliação dos sintomas e do exame dos olhos. Além disso, o médico pode fazer um teste de drenagem do canal lacrimal, colocando uma gota de um corante de fluoresceína na superfície de cada olho. Se o corante permanecer no olho por cerca de 5 minutos após sua aplicação, pode indicar que o canal lacrimal está obstruído.

Outros exames que o oftalmologista pode solicitar para confirmar o diagnóstico do canal lacrimal entupido são exames de imagem como raio X, ressonância magnética ou tomografia computadorizada do olho afetado.

Possíveis causas

As principais causas do entupimento do canal lacrimal são:

  • Bloqueio congênito do canal lacrimal, devido à malformação do canal lacrimal ou desenvolvimento anormal da face;
  • Lesão ou trauma no rosto, pancadas no nariz ou nos ossos da face;
  • Infecções ou inflamações crônicas nos olhos ou nas vias nasais;
  • Tumor ou câncer no nariz ou nos canal lacrimal;
  • Pólipos nasais;
  • Quimioterapia para tratamento de câncer;
  • Radioterapia, especialmente quando a radiação for feita no rosto ou na cabeça;
  • Cicatriz de cirurgia no olho, pálpebra, nariz ou seios nasais;
  • Uso de colírios para o tratamento do glaucoma.

Além disso, o desenvolvimento de canal lacrimal entupido também parece ser mais comum com a idade, devido ao envelhecimento natural do corpo, que leva a um estreitamento gradual dos canais que drenam as lágrimas.

Canal lacrimal entupido no bebê

O canal lacrimal entupido no bebê, também chamado de dacrioestenose congênita, pode ser percebido em bebês entre 3 e 12 semanas de nascimento, e ocorre devido à malformação do sistema nasolacrimal, prematuridade do bebê ou devido à desenvolvimento anormal do crânio ou da face.

O entupimento do canal lacrimal no bebê pode ser facilmente identificado e pode desaparecer espontaneamente entre os 6 e os 9 meses de idade ou mais tarde, de acordo com o amadurecimento do sistema nasolacrimal. No entanto, quando o bloqueio do canal lacrimal interfere no bem estar do bebê, é importante levar a criança ao pediatra para que seja iniciado o tratamento adequado.

Como é feito o tratamento

O tratamento do canal lacrimal entupido deve ser orientado pelo oftalmologista, ou pelo pediatra, e varia de acordo com a idade e a causa da obstrução do canal lacrimal.

Os principais tratamentos que podem ser indicados são:

1. Massagem

O bloqueio do canal lacrimal em bebês, geralmente melhora com o amadurecimento do canal lacrimal, não sendo necessário nenhum tratamento específico. No entanto, o médico pode recomendar fazer uma massagem na região do canto interno do olho, que deve ser feita pelos pais entre 4 a 5 vezes por dia para diminuir o bloqueio.

As massagens devem ser feitas no olho afetado até o primeiro ano de vida da criança, caso contrário, pode ser necessária a realização de um pequeno procedimento cirúrgico para abrir o canal lacrimal.

Além disso, a massagem também pode ser recomendada para adultos quando o entupimento do canal lacrimal foi causado por lesão ou trauma no rosto, pois pode ajudar a desobstruir o canal à enquanto a lesão cicatriza.

2. Uso de colírios

No caso de inflamação ou infecção no olho, o médico pode indicar o uso de colírios anti-inflamatórios ou antibióticos, para combater a infecção ou a inflamação no olho afetado.

3. Colocação de sonda no canal lacrimal

A colocação de uma sonda no canal lacrimal, também chamada de  sondagem do canal lacrimal, consiste em inserir um pequeno tubo fino no canal lacrimal para desobstruir o canal e drenar as lágrimas. 

No caso de bebês, esse tipo de tratamento geralmente é feito com anestesia geral. No entanto, em adultos é feito com anestesia local, sendo que o médico além de passar a sonda para desobstruir o canal lacrimal, pode dilatar e lavar o ducto lacrimal.

4. Colocação de stent

O stent é um tubo fino que pode ser colocado no canal lacrimal pelo oftalmologista, e que é deixado por cerca de três meses, permitindo drenar as lágrimas para o nariz, desobstruindo o canal lacrimal.

Esse tipo de procedimento é indicado para adultos e feito com anestesia geral e após três meses, o stent é removido cirurgicamente.

5. Cirurgia

A cirurgia para a desobstrução do canal lacrimal, também chamada de dacriocistorrinostomia, é indicada para adultos, no caso de infecções crônicas ou recorrentes do canal lacrimal, e realizada pelo oftalmologista para abrir o canal lacrimal para a passagem da lágrima.

Geralmente essa cirurgia é feita através de um pequeno corte na lateral do nariz, próximo ao saco lacrimal, utilizando anestesia geral e não deixa cicatriz.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em abril de 2022. Revisão médica por Drª. Beatriz Beltrame - Pediatra, em maio de 2019.

Bibliografia

  • PAULSEN, F. P.; et al. New insights into the pathophysiology of primary acquired dacryostenosis. Ophthalmology. 108. 12; 2329-36, 2001
  • MOSCATO, E. E.; et al. Developmental anatomy of the nasolacrimal duct: implications for congenital obstruction. Ophthalmology. 117. 12; 2430-4, 2010
Mostrar bibliografia completa
  • MACEWEN, C. J. Congenital nasolacrimal duct obstruction. Compr Ophthalmol Update. 7. 2; 79-87, 2006
  • PEREZ, Y.; PATEL, B. C.; MENDEZ, M. D. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Nasolacrimal Duct Obstruction. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK532873/>. Acesso em 07 fev 2022
  • HOFLING-LIMA, Ana Luisa et al. Manual de Condutas em Oftalmologia. São Paulo: Editora Atheneu, 2008. 601-603.
Revisão médica:
Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
Formada pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, em 1993 com registro profissional no CRM PR - 14218.