Parto domiciliar (em casa): tudo o que você precisa saber

O parto domiciliar é aquele que ocorre em casa, geralmente escolhido por mulheres que buscam um ambiente mais acolhedor e íntimo para ter o seu bebê. Entretanto, é indispensável que este tipo de parto seja feito com um ótimo planejamento pré-natal e com o acompanhamento de uma equipe de saúde especializada, para garantir a assistência à saúde da mãe e do bebê e monitorização constante da temperatura, pulso pressão sanguínea e batimentos cardíacos do feto.

Além disso, é importante ressaltar que o parto em casa não é recomendado para todas as mulheres, pois há situações que contra-indicam, como mulheres diabéticas, hipertensas ou com gestação de gêmeos, pois apresentam maior risco de complicações durante o parto. 

Embora o parto domiciliar permita trazer comodidade e conforto para a gestante, o trabalho de parto e o nascimento do bebê podem ser imprevisíveis, além de a casa ser considerada um local menos preparado para oferecer cuidados, caso haja algum tipo de complicação. Por este motivo, as principais entidades médicas não são a favor do parto domiciliar, recomendando que o parto ocorra em ambiente hospitalar para maior segurança da mãe e do bebê.

Parto domiciliar (em casa): tudo o que você precisa saber

Vamos esclarecer algumas das principais dúvidas sobre este tema:

1. Qualquer gestante pode ter o parto em casa?

Não. O parto em casa pode ser feito apenas por mulheres grávidas saudáveis, que tenham feito um pré-natal completo e que tenham entrado em trabalho de parto naturalmente. Como forma de proteger a saúde do bebê e da mulher, não é recomendado o parto domiciliar caso a gestante apresente as seguintes situações:

  • Pressão alta, pré-eclâmpsia ou diabetes gestacional ou qualquer outra condição que provoque uma gravidez de alto risco, devido à doenças como cardiopatias, pneumopatias, doenças renais, hematológicas ou neurológicas;
  • Ter tido uma cesariana anterior ou outros tipos de cirurgia no útero;
  • Ter gravidez de gêmeos;
  • Bebê em posição sentada;
  • Qualquer tipo de infecção ou doença sexualmente transmissível;
  • Suspeita de malformação ou doença congênita do bebê;
  • Alterações anatômicas na bacia, como estreitamento.

Estas situações aumentam o risco de complicações durante o parto, não sendo seguro que este seja feito fora do ambiente hospitalar.

2. Como é composta a equipe que faz o parto?

A equipe que faz o atendimento do parto em casa deve ser composta por enfermeiros especialistas em saúde materna e obstétrica e/ou médico obstetra. É possível também ter uma doula para proporcionar suporte físico e emocional. Algumas mulheres optam por fazer o parto somente com enfermeiras obstétricas, entretanto, deve-se ter a compreensão que, caso haja alguma complicação durante o parto, haverá uma maior demora para receber os primeiros cuidados médicos, e o tempo é crucial durante uma emergência. 

3. Quanto custa o parto em casa? Existe gratuito?

O parto domiciliar não é coberto pelo SUS, por isso, as mulheres que desejarem, necessitam contratar uma equipe especializada neste tipo de parto. 

Para contratar uma equipe de parto em casa, o custo pode ser, em média, entre 15 e 20 mil reais, o que varia de acordo com o local e o valor cobrado pelos profissionais envolvidos.

4. É seguro ter o parto em casa?

É verdade que, na maioria das vezes, o parto normal acontece naturalmente e sem qualquer tipo de intervenção. Entretanto, é importante lembrar que qualquer parto, mesmo nas mulheres saudáveis, pode evoluir com algum tipo de complicação, como dificuldades na contração e na dilatação uterina, nó verdadeiro no cordão umbilical, alterações na placenta, sofrimento fetal, ruptura uterina ou hemorragia uterina.

Assim, ao estar em casa durante o parto, caso haja alguma dessas complicações, irá atrasar o início de atendimentos que poderiam salvar a vida da mãe ou do bebê, ou evitar que o bebê nasça com sequelas, como a paralisia cerebral.

5. Como acontece o parto domiciliar?

O parto em casa acontece semelhante ao parto normal no hospital, entretanto, a mãe estará na sua cama ou numa banheira especial, de forma a se sentir confortável. O trabalho de parto costuma durar entre 8 e 12 horas, e neste período a gestante deve se alimentar de alimentos leves, como alimentos integrais, frutas e legumes cozidos.

Durante o procedimento, é necessário que haja material limpo, como lençóis descartáveis ou sacos de lixo, além de um ambiente limpo e aquecido para receber o bebê. 

6. É possível receber anestesia?

Não é feita anestesia durante o parto em casa, já que este é um tipo de procedimento que deve ser feito em ambiente hospitalar.

7. O que é feito caso haja alguma complicação durante o parto?

É importante que a equipe de saúde responsável pelo parto domiciliar tenha disponíveis materiais para serem utilizados caso haja algum tipo de intercorrência, como sangramentos ou demora para a saída do bebê. Assim, deve haver fios de sutura, anestésico local, fórceps ou material de reanimação para o bebê, caso seja necessário.

Entretanto, caso haja uma intercorrência mais séria, como hemorragia ou sofrimento fetal, é necessário que a gestante e o bebê sejam transferidos imediatamente para o hospital.

8. É possível ter um parto humanizado sem ser em casa?

Sim. Hoje em dia muitos hospitais têm programas de parto humanizado, em um ambiente muito acolhedor para a mãe e o bebê, com uma equipe especializada neste tipo de parto.  

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • WALKER J. J. Planned home birth. Best Pract Res Clin Obstet Gynaecol. 43. 76-86, 2017
  • ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PELOS DIREITOS DA MULHER NA GRAVIDEZ E PARTO. Reflexão sobre o trabalho de parto e Parto: construção de um plano de preferências de parto.. 2017. Disponível em: <http://www.associacaogravidezeparto.pt/wp-content/uploads/2016/08/Reflex%C3%A3o-para-a-constru%C3%A7%C3%A3o-do-plano-de-parto-introducao.pdf>. Acesso em 24 Set 2021
  • KAUFMAN, Tamara. Evolution of the Birth Plan. J Perinat Educ. 16. 3; 47–52, 2007
  • CURSINO, Thaís P.; BENINCASA, Miria. Parto domiciliar planejado no Brasil: uma revisão sistemática nacional. Ciência e saúde coletiva. 2020. 25; 4,
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Parto domiciliar: Nota de esclarecimento à sociedade. 2018. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/MATERIA-ATARDE-PARTO-DOMICILIAR-NOTA.pdf>. Acesso em 24 Set 2021
  • BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE. Parto e nascimento domiciliar assistidos por parteiras tradicionais - Programa Trabalhando com Parteiras Tradicionais e experiências exemplares. 2010. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/parto_nascimento_domiciliar_parteiras.pdf>. Acesso em 24 Set 2021
Mais sobre este assunto: