Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

Quando é indicado usar remédios para emagrecer

Fevereiro 2020

O uso de remédios para emagrecer deve ser recomendado pelo médico de acordo com as características da pessoa e relação entre a perda de peso e melhora da saúde da pessoa. Dessa forma, os remédios para emagrecer normalmente só são recomendados para pessoas que não conseguem emagrecer apenas realizando atividade física e alimentação adequada.

Apesar dos remédios conseguirem fazer com que as pessoas percam peso, é importante que além dos remédios a pessoa também tenha hábitos de vida saudáveis, pois assim é possível manter o peso perdido.

Quando tomar remédios

Os remédios para emagrecer só devem ser tomados sob orientação do endocrinologista e normalmente é indicado quando mesmo através de exercícios e mudança na dieta a perda de peso não acontece como deveria, o que pode estar relacionado com disfunções hormonais. Além disso, o médico pode prescrever o uso de remédios em caso de obesidade, principalmente quando está associado a outros problemas de saúde, como diabetes ou problemas cardiovasculares, que pode colocar em risco a vida da pessoa.

De forma geral, a recomendação do uso de remédios para emagrecer acontece quando a pessoa:

  • Tem um índice de massa corporal (IMC) superior a 30, que é considerado obesidade, e não consegue perder peso com dieta ou exercício;
  • Tem um IMC superior a 27 e problemas de saúde relacionados com o peso como diabetes, colesterol ou pressão alta e não consegue perder peso com dieta ou exercício.

Antes de escolher um remédio para emagrecer, o médico avalia o histórico de saúde do paciente, os possíveis efeitos colaterais do remédio e as possíveis interações do remédio com outros medicamentos que o paciente está tomando. Os remédios que podem ser indicados normalmente atuam aumentando o metabolismo e a queima de gordura, reduzindo a absorção de gordura no intestino, além de diminuir o apetite e a retenção de líquidos.

No entanto, mesmo que os remédios sejam eficazes, é preciso que além de acompanhamento médico, a pessoa realize atividade física regularmente e, de preferência, acompanhada de um personal trainer, e que tenha uma alimentação saudável e de acordo com os seus objetivos, sendo importante, por isso, o acompanhamento profissional. Isso porque o uso isolado do medicamento pode não ter resultados definitivos, ou seja, a pessoa pode voltar a engordar após a interrupção do uso do remédio.

Além disso, para evitar que aconteça o ganho de peso após a interrupção do uso do medicamento, é importante que a pessoa deixe de tomar de forma gradual e de acordo com a orientação do médico.

Conheça os principais remédios para emagrecer.

Contraindicações

O uso de remédios para emagrecer deve ser feito sob orientação do médico e não é recomendado para pessoas que são saudáveis e que querem perder até 15 kg, que possuem IMC inferior a 30, que conseguem perder peso com dieta e exercícios e que possuem IMC inferior a 27, mesmo que possua problemas de saúde associados, como colesterol ou pressão alta.

Nestes casos, uma boa alternativa aos remédios são os suplementos para emagrecer que quando associados a uma dieta e à prática regular de exercício físico podem ajudar a emagrecer. O uso dos suplementos deve ser orientado pelo médico ou nutricionista, de acordo com os objetivos e estado de saúde do indivíduo. Confira alguns suplementos para emagrecer.

Como emagrecer sem tomar remédios

A toma de remédios e realização de cirurgias só devem ser opções para perder peso quando nada mais funciona ou quando há alterações endócrinas e metabólicas relacionadas com o fato de não conseguir emagrecer. A perda de peso sem tomar remédios pode ser alcançada através da realização de atividade física, que deve ser feita regularmente, de acordo com a capacidade e limitações da pessoa e através de uma dieta equilibrada e saudável e, de preferência, sob orientação do nutricionista, pois dessa forma é possível que o plano alimentar seja feito de acordo com as características e objetivos da pessoa.

É importante que a atividade física seja acompanhada por um profissional de educação física, principalmente se a pessoa tiver obesidade mórbida ou for muito sedentária, pois alguns tipos de exercícios podem prejudicar as articulações. Nesses casos, pode ser indicada a realização de caminhadas, pois possuem menor impacto nas articulações e são suficientes para melhorar a circulação sanguínea e estimular a queima de calorias. Além da caminhada podem ser recomendados outros exercícios, como hidroginástica e musculação, por exemplo.

Em relação à alimentação, é importante evitar alimentos muito gordurosos e grandes quantidades de carboidratos. É normal que os primeiros dias de dieta sejam mais difíceis, já que a pessoa encontra-se em um período de adaptação.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem