Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Remédios para emagrecer: quando usar e quando podem ser perigosos

O uso de remédios para emagrecer deve ser recomendado pelo endocrinologista após avaliação do estado de saúde da pessoa, estilo de vida e da relação entre a perda de peso e melhora da saúde da pessoa. O uso desses remédios normalmente é indicado em situações em que a pessoa não consegue perder peso apenas realizando atividade física e tendo uma alimentação saudável e equilibrada.

Os remédios para emagrecer são eficazes, uma vez que podem atuar inibindo o apetite, promovendo a sensação de saciedade ou não absorvendo a gordura que for ingerida, no entanto para que a perda de peso seja eficaz a longo prazo é importante que o remédio seja usado de acordo com a recomendação do médico, caso contrário há maior risco de dependência química e efeito sanfona, por exemplo.

Remédios para emagrecer: quando usar e quando podem ser perigosos

Quando os remédios para emagrecer são perigosos

Os remédios para emagrecer possuem risco para a saúde quando são utilizados sem indicação médica ou de forma diferente da indicada pelo médico. Isso porque quando são utilizados de forma indevida podem resultar em dependência química, efeito sanfona e efeitos colaterais indesejados, como alterações gastrointestinais, insônia e alterações cardíacas, por exemplo.

Além disso, outros perigos do uso indevido dos remédios para emagrecer são:

  • Sensação de boca seca;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Prisão de ventre ou diarreia;
  • Alteração da frequência cardíaca;
  • Hipertensão pulmonar;
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC);
  • Enjoo;
  • Anemia.

Os remédios para emagrecer são normalmente indicados pelo médico quando a pessoa não consegue perder peso mesmo com a prática regular de exercícios e alimentação saudável, quando possui Índice de Massa Corporal (IMC) superior a 30 ou quando possui IMC superior a 27 e existem outros problemas de saúde relacionados com a obesidade.

Atualmente, os remédios para emagrecer podem atuar de 3 formas diferentes: inibindo o apetite, aumentando a sensação de saciedade ou não absorvendo a gordura consumida. O tipo de remédio a ser usado depende do organismo da pessoa, estilo de vida e quantidade de peso que é recomendado perder, devendo, por isso, que o uso de remédios seja indicado pelo médico.

Remédios para emagrecer: quando usar e quando podem ser perigosos

Quando são indicados

Os remédios para emagrecer devem ser indicado pelo endocrinologista, sendo normalmente indicados no caso de pessoas que mesmo com a prática de exercícios e mudança dos hábitos alimentares não perda de peso como o desejado, podendo isso estar relacionado com disfunções hormonais. O médico pode também indicar o uso dos remédios em caso de obesidade, principalmente quando está relacionada com outros problemas de saúde, como diabetes e alterações cardiovasculares, o que pode colocar em risco a vida da pessoa.

De forma geral, a recomendação do uso de remédios para emagrecer acontece quando a pessoa:

  • Possui IMC superior a 30, que é considerado obesidade, e não consegue perder peso com dieta adequada e exercícios;
  • Possui IMC superior a 27 e problemas de saúde relacionados com o excesso de peso como diabetes, colesterol ou pressão alta e não consegue perder peso com dieta ou exercício.

Antes de indicar o remédio para emagrecer, o médico faz uma avaliação do histórico de saúde da pessoa, os possíveis efeitos colaterais do remédio e as possíveis interações do remédio com outros medicamentos que a pessoa possa estar tomando. Os remédios que podem ser indicados normalmente atuam aumentando o metabolismo e a queima de gordura, reduzindo a absorção de gordura no intestino e diminuindo o apetite e a retenção de líquidos.

No entanto, mesmo que os remédios sejam eficazes, é preciso que além de acompanhamento médico, a pessoa realize atividade física regularmente e, de preferência, acompanhada de um personal trainer, e que tenha uma alimentação saudável e de acordo com os seus objetivos, sendo importante, por isso, o acompanhamento profissional. Isso porque o uso isolado do medicamento pode não ter resultados definitivos, ou seja, a pessoa pode voltar a engordar após a interrupção do uso do remédio.

Além disso, para evitar que aconteça o ganho de peso após a interrupção do uso do medicamento, é importante que a pessoa deixe de tomar de forma gradual e de acordo com a orientação do médico.

Conheça os principais remédios para emagrecer.

Contraindicações dos remédios para emagrecer

O uso de remédios para emagrecer deve ser feito sob orientação do médico e não é recomendado para pessoas que são saudáveis e que querem perder até 15 kg, que possuem IMC inferior a 30, que conseguem perder peso com dieta e exercícios e que possuem IMC inferior a 27, mesmo que possua problemas de saúde associados, como colesterol ou pressão alta.

Nestes casos, como alternativa aos remédios podem ser usados suplementos para emagrecer que quando associados a uma dieta e à prática regular de exercício físico podem ajudar a emagrecer. O uso dos suplementos deve ser orientado pelo médico ou nutricionista, de acordo com os objetivos e estado de saúde da pessoa. Confira alguns suplementos para emagrecer.

Como emagrecer sem tomar remédios

O uso de remédios e realização de cirurgias só devem ser opções para perder peso quando nada mais funciona ou quando há alterações endócrinas e metabólicas relacionadas com o fato de não conseguir emagrecer. A perda de peso sem tomar remédios pode ser alcançada através da realização de atividade física de forma regular e através de uma dieta equilibrada e saudável sob orientação do nutricionista, pois dessa forma é possível que o plano alimentar seja feito de acordo com as características e objetivos da pessoa.

É importante que a atividade física seja acompanhada por um profissional de educação física, principalmente se a pessoa tiver obesidade mórbida ou for muito sedentária, pois alguns tipos de exercícios podem prejudicar as articulações. Nesses casos, pode ser indicada a realização de caminhadas, pois possuem menor impacto nas articulações e são suficientes para melhorar a circulação sanguínea e estimular a queima de calorias. Além da caminhada podem ser recomendados outros exercícios, como hidroginástica e musculação, por exemplo.

Em relação à alimentação, é importante evitar alimentos muito gordurosos e grandes quantidades de carboidratos. É normal que os primeiros dias de dieta sejam mais difíceis, já que a pessoa encontra-se em um período de adaptação. Confira outras dicas de alimentação para perder peso no vídeo a seguir:

Bibliografia >

  • SANTOS, Kadu P.; SILVA, Guilherme Eduardo; MODESTO, Karina R. Perigo dos medicamentos para emagrecer. Rev Inic Cient e Ext. Vol 2. 1 ed; 37-45, 2019
  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O ESTUDO DA OBESIDADE E DA SÍNDROME METABÓLICA. A visão distorcida e o preconceito em relação a remédios para emagrecer. Disponível em: <http://www.abeso.org.br/pdf/Artigo%20-%20Preconceito%20com%20anorexigenos.pdf>. Acesso em 05 Fev 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem