Infarto

publicidade

O infarto agudo do miocárdio, ou ataque cardíaco, é caracterizado pela falta de sangue no coração, que pode levar o indivíduo a morte, se ele não for socorrido rapidamente. O principal sintoma do infarto é a dor no peito que irradia para o braço esquerdo, mas quase metade dos pacientes sentem outros sintomas não clássicos, como uma dor de estômago em forma de aperto ou mesmo uma sensação estranha na garganta, momentos antes do infarto acontecer.

Geralmente, o infarto ocorre devido ao acúmulo de placas de gordura no interior das artérias coronárias. Seu tratamento envolve o uso de medicamentos e por vezes, uma cirurgia cardíaca.

Sintomas do Infarto

Os principais sintomas do infarto são:

  • Dor do lado esquerdo do peito em forma de aperto, ou "angústia", que irradia como dormência ou dor para o braço esquerdo ou braço direito, pescoço, costas ou queixo;
  • Palidez (rosto branco);
  • Enjoo;
  • Suor frio;
  • Tontura.

Outros sintomas prévios que podem indicar um infarto são:

  • Dor de estômago, em forma de aperto ou queimação ou como se tivesse um peso em cima do indivíduo;
  • Dor nas costas;
  • Sensação de gases no estômago;
  • Enjoo;
  • Mal estar;
  • Falta de ar;
  • Desmaio.

Estes sintomas podem iniciar subitamente ou ir piorando em cerca de 20 minutos.

Em caso de suspeita de infarto recomenda-se ligar para o número 192 (SAMU) e chamar uma ambulância ou levar o indivíduo imediatamente para o hospital.

O diagnóstico do infarto pode ser feito através da história clínica do pacientes e de exames como eletrocardiograma, dosagem das enzimas cardíacas e cateterismo em ambiente hospitalar.

Causas do Infarto

Na maior parte das vezes, a causa do infarto é um bloqueio na passagem do sangue para o coração, devido ao acúmulo de gordura nas artérias, ou devido a:

  • Estresse e irritabilidade;
  • Hábito de fumar,
  • Uso de drogas ilícitas;
  • Frio excessivo;
  • Dor excessiva.

Alguns fatores de risco que aumentam as chances do indivíduo ter um infarto são:

  • História familiar de infarto ou de doenças cardíacas;
  • Já ter sofrido um infarto anteriormente;
  • Fumo ativo ou passivo;
  • Pressão alta;
  • Colesterol LDL alto ou HDL baixo;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Diabetes.

O fator familiar, quando um indivíduo possui algum parente próximo como pai, mãe, avós ou irmão com doenças cardíacas, é muito importante.

Tratamento do Infarto

O tratamento do infarto é feito no hospital, com o uso de uma máscara de oxigênio ou mesmo ventilação mecânica, para que o paciente respire mais facilmente, e a administração de  medicamentos como antiagregantes plaquetários, aspirina, anticoagulantes venosos, Inibidores da ECA e beta-bloqueadores, estatinas, analgésicos fortes, nitratos, que atuam tentando regular a passagem de sangue para o coração.

O tratamento busca estabilizar o quadro, diminuir a dor, diminuir o tamanho da área afetada, reduzir as complicações pós-infarto e envolve cuidados gerais como repouso, monitorização intensiva da doença e uso de medicamentos.  Pode ser necessária a realização de um cateterismo de urgência, dependendo do tipo do infarto. Esse cateterismo define o vaso que está entupido e se o tratamento final será uma angioplastia ou uma cirurgia cardíaca para colocação de pontes.

Para evitar o infarto, deve-se ter um estilo de vida saudável, procurando alimentar-se corretamente, praticar exercícios físicos regularmente e evitar o estresse, além de manter sob controle, doenças como hipertensão, obesidade e diabetes melitus.

Links úteis:

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade