Entenda o que é a adenomiose

PUBLICIDADE

A adenomiose uterina é uma doença onde ocorre um espessamento dentro das paredes do próprio útero provocando sintomas como dor, sangramento ou cólicas fortes, especialmente durante a menstruação. Esta doença tem cura através da cirurgia para retirada do útero, porém, este tipo de tratamento só é feito quando os sintomas não conseguem ser controlados com remédios anti-inflamatórios ou hormônios, por exemplo.

PUBLICIDADE

Os primeiros sintomas de adenomiose podem surgir 2 a 3 anos após o parto, mesmo nos casos em que a mulher já tem adenomiose desde a infância, e geralmente deixam de surgir após a menopausa, quando o ciclo menstrual deixa de acontecer.

A adenomiose é o mesmo que endometriose?

A adenomiose é considerado um tipo de endometriose. A endometriose é o crescimento de tecido do endométrio fora do útero, e o que acontece na adenomiose, é o crescimento deste tecido especificamente dentro do músculo do útero.

Além disso, existem vários tipos de adenomiose, e esta pode ser focal, quando se localiza numa determinada região do útero, ou difusa, quando se espalha por toda a parede do útero, deixando-o mais pesado e volumoso.

Adenomiose pode afetar a gravidez?

A adenomiose pode provocar complicações graves na gravidez, como gravidez ectópica ou aborto, por exemplo, sendo recomendado o acompanhamento regular do obstetra, para evitar complicações. Além disso, em alguns casos a adenomiose, pode dificultar a fixação do embrião no útero, dificultando assim a gravidez.

Os sintomas de adenomiose aparecem geralmente após a gravidez, devido ao estiramento do útero que acontece, e por isso, a maioria das mulheres consegue engravidar e ter filhos antes do aparecimento da doença.

Aparência de um útero normalAparência de um útero normal
Aparência de um útero com adenomiose com tecido dentro do músculoAparência de um útero com adenomiose com tecido dentro do músculo

Causas da Adenomiose

As causas da adenomiose não são totalmente conhecidas, porém esta pode ser causada por traumas no útero, como histórico de cirurgia uterina ou ginecológica ou mais de uma gravidez ao longo da vida, ou pelo parto através de cesária, por exemplo.

Além disso, a adenomiose pode ser uma das causas de outros problemas como dismenorreia ou hemorragia uterina anormal, sendo muitas vezes difícil de diagnosticar.

Sintomas e diagnóstico da adenomiose

Os principais sintoma da adenomiose são:

  • Inchaço da barriga;
  • Cólicas muito fortes durante a menstruação;
  • Dor durante a relação intima;
  • Aumento da quantidade e duração do fluxo menstrual;
  • Prisão de ventre e dor ao evacuar.

A adenomiose nem sempre provoca sintomas, porém, geralmente os sintomas aparecem após a gravidez e desaparecem após a menopausa. Além disso, a adenomiose pode ser uma das causas da dismenorreia e de hemorragia uterina anormal, sendo muitas vezes difícil de diagnosticar.

O diagnóstico da adenomiose deve ser realizado pelo ginecologista, e é geralmente feito através da realização de uma ressonância magnética e através da observação de sintomas como dor, sangramentos intensos ou queixas de dificuldade para engravidar. Além disso, o diagnóstico da doença também pode ser feito usando outros exames de imagem, como ultrassonografia transvaginal ou histerossonografia, por exemplo, que avaliam o espessamento do útero.

Tratamento para adenomiose

O tratamento para a adenomiose varia de acordo com os sintomas sentidos e devem ser orientado por um ginecologista, e pode ser feito com remédios ou através da realização de cirurgia. Assim, os tratamentos mais utilizados são:

  • Tratamento com anti-inflamatórios, como Cetoprofeno ou Ibuprofeno, para o alivio da dor e inflamação;
  • Tratamento com remédios hormonais, como pilula anticoncepcional com progesterona, Danazol, adesivo anticoncepcional, anel vaginal ou SIU, por exemplo;
  • Cirurgia de retirada do excesso de tecido endometrial dentro do útero, em casos onde a adenomiose esta localizada numa determinada região do útero e não se encontra muito penetrada dentro do músculo;
  • Cirurgia para retirada do útero, onde é feita uma uma histerectomia total, para remoção completa do útero. Nesta cirurgia, geralmente os ovários não precisam de ser removidos.

A cirurgia para retirada do útero elimina completamente os sintomas da doença, porém apena é feita em casos mais graves, quando a mulher já não pretende engravidar e quando a adenomiose provoca dor constante e sangramentos abundantes. Saiba mais sobre as opções de tratamento em Como tratar a adenomiose.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE