Tratamento para câncer de intestino

publicidade

O tratamento para câncer de intestino pode ser feito com cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou imunoterapia, dependendo da localização, tamanho e desenvolvimento do tumor. Os tratamentos podem ser realizados simultaneamente, ou um após o outro.

O câncer de intestino tem cura quando é diagnosticado no início da doença e o tratamento iniciado prontamente, mas quando o tumor colorretal é descoberto numa fase avançada as chances de cura diminuem.

Cirurgia para câncer de intestino

A cirurgia é o principal método de tratamento do câncer de intestino e pode ser realizada em câncer de grau 1, 2 ou 3, podendo ser feita por colonoscopia, laparoscopia ou cirurgia aberta. O objetivo é retirar o tumor, uma parte do intestino afetada e uma pequena parte do intestino saudável, para garantir que não restem células cancerígenas no local.

No caso de câncer no cólon, em fase inicial, a cirurgia é realizada logo após o diagnóstico da doença, enquanto a cirurgia no câncer do reto só é realizada após 8 a 12 semanas de tratamento com quimioterapia para diminuir o tamanho do tumor. Em ambas as situações, os linfonodos da região também são removidos.

A recuperação após a cirurgia do câncer de intestino é demorada e o paciente pode apresentar:

  • dor,
  • cansaço,
  • fraqueza,
  • prisão de ventre,
  • diarreia ou sangramento;
  • dor durante a relação.

Estes efeitos colaterais da cirurgia dependem do tamanho e localização do tumor, do tipo de cirurgia e estado de saúde do paciente, mas para diminuí-los pode-se tomar analgésicos e suplementos vitamínicos, sob orientação do médico oncologista.

Quimioterapia para câncer de intestino

A quimioterapia para câncer de intestino é recomendada para câncer de intestino grau 3 ou 4. Ela consiste no uso de medicamentos que matam as células cancerígenas, podendo ser em forma de comprimidos ou injeção. A duração do tratamento pode variar de 6 meses a 1 ano, ou mais.

Os tipos de quimioterapia utilizadas no câncer de intestino podem ser:

  • Quimioterapia adjuvante: realizada após a cirurgia para destruir as células cancerígenas que não foram removidas na cirurgia;
  • Quimioterapia neoadjuvante: utilizada antes da cirurgia para diminuir o tumor e facilitar a sua retirada;
  • Quimioterapia para câncer avançado: utilizada para diminuir o tamanho do tumor e aliviar os sintomas causados pelas metástases. 

Alguns exemplos de remédios utilizados na quimioterapia são o Capecitabina, 5-FU e o Irinotecano. Os efeitos colaterais da quimioterapia podem ser:

  • perda de cabelo,
  • inflamações da boca,
  • náuseas,
  • vômitos,
  • perda do apetite,
  • infecções,
  • diarreia ou
  • dor muscular.

A maioria deste efeitos desaparecem ao fim do tratamento, mas podem ser usados analgésicos ou remédios para o enjoo para aliviar estes sintomas.

Radioterapia para câncer de intestino

A radioterapia para câncer de intestino utiliza radiações para matar as células cancerígenas no local onde é aplicada, podendo ser usada em combinação com a quimioterapia em pacientes com câncer de intestino grau 3 ou 4. 
A radioterapia pode ser aplicada de diferentes formas:

  • Radiação externa: a radiação vem de uma máquina, sendo necessário o paciente ir ao hospital fazer o tratamento, durante 5 dias por semana. 
  • Radiação interna: a radiação vem de um implante contendo o material radioativo colocado junto do tumor, devendo o paciente permanecer no hospital durante alguns dias para o tratamento.  

Os efeitos colaterais da radioterapia podem ser:

  • irritação da pele na região tratada,
  • náuseas,
  • irritação retal,
  • incontinência fecal,
  • fadiga,
  • impotência,
  • irritação vaginal.

Estes efeitos colaterais tendem a diminuir ao final do tratamento, mas a irritação do reto e da bexiga podem persistir por meses.

Imunoterapia para câncer de intestino

A imunoterapia para câncer de intestino utiliza determinados anticorpos que são injetados no organismo para identificar e atacar as células cancerígenas, impedindo o crescimento do tumor e as chances de metástases. Estes medicamentos não afetam as células normais diminuindo assim os efeitos colaterais. 

Os medicamentos mais utilizados na imunoterapia são o Bevacizumab, Cetuximab ou Panitumumab. Os efeitos colaterais da imunoterapia no tratamento para câncer de intestino podem ser erupção cutânea, dor de barriga, diarreia, sangramento, sensibilidade à luz ou problemas respiratórios.

Links úteis:

Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última data de atualização do site: 17/04/2014 Última data de atualização da página: 23/01/2014
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.