Sintomas da AIDS

publicidade

Os primeiros sintomas da AIDS manifestam-se 3 a 6 semanas após a infecção com o vírus HIV e podem incluir febre ou mal estar geral que são facilmente confundidos com um resfriado ou gripe. Porém, o teste do HIV só deve ser feito 40 a 60 dias após o comportamento de risco como contato íntimo desprotegido ou troca de seringas, por exemplo, pois antes deste período, o resultado pode ser falso.

Os principais sintomas da AIDS como manchas avermelhadas na pele, diarreia que dura mais de 1 mês ou candidíase oral ou genital persistente geralmente só aparecem 8 a 10 anos após a contaminação com o vírus HIV.

Primeiros sintomas da AIDS

Os primeiros sintomas da AIDS, que caracterizam a fase aguda da doença e que podem aparecer nos primeiros 21 dias após a contaminação com o vírus HIV, podem ser:

  • Febre alta;
  • Mal estar;
  • Dor de garganta;
  • Tosse seca.

Estes sintomas duram, em média, 14 dias e podem ser confundidos com outras doenças, como a gripe, por exemplo. Nesta fase, mesmo que se faça o teste do HIV, o resultado será falso-negativo. Ou seja, o indivíduo está contaminado com o HIV, já pode infectar outros, mas a doença ainda não consegue ser detectada pelo exame.

Principais sintomas da AIDS

Os principais sintomas da AIDS aparecem, em média, após 10 anos da contaminação com o vírus. São eles:

  • Febre persistente;
  • Tosse seca prolongada;
  • Suor noturno;
  • Inchaço dos gânglios linfáticos por mais de 3 meses;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nos músculos e nas articulações;
  • Cansaço ou perda de energia;
  • Rápido emagrecimento, como perder 10% do peso corporal em um mês, sem dieta;
  • Candidíase oral ou genital persistente;
  • Diarreia por mais de 1 mês;
  • Manchas avermelhadas ou pequenas erupções na pele.

Estes sintomas surgem quando o organismo apresenta poucas células de defesa e elevada carga viral. Nestes, a contagem do Linfócito T CD4 deve ser de aproximadamente 200, quando, num indivíduo adulto saudável, esse número deveria estar entre 800 a 1200 por mm³ de sangue.

Durante esta fase surgem doenças oportunistas, como a hepatite viral, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose ou outras.

Por norma, a AIDS se manifesta através de diferentes fases, onde:

  • Fase 1: Fase aguda, que pode ser confundida com outras doenças;
  • Fase 2: Fase assintomática e que perdura por anos;
  • Fase 3: Quando os principais sintomas da AIDS se manifestam;
  • Fase 4: Quando as doenças oportunistas aparecem.

Tratamento da AIDS

O tratamento da AIDS é feito com um coquetel de medicamentos, que fortalecem o sistema imune e combatem o vírus ao mesmo tempo. O coquetel, assim como todos os exames, são fornecidos gratuitamente pelo governo. Alguns exemplos de medicamentos contra a AIDS são:

  • Etravirina;
  • Tipranavir;
  • Tenofovir;
  • Lamivudina;
  • Efavirenz.

Acompanhamento psicológico, nutricional e a prática regular de atividade física também são importantes durante o tratamento.

É importante que o indivíduo siga o tratamento corretamente, para travar a evolução da doença e ajudar a controlar a epidemia de AIDS no mundo.

Para saber mais sobre a AIDS, de forma anônima e gratuita, ligue para o telefone: (0XX21) 2518-2221 de Segunda a Sexta, das 12 às 18 horas, ou envie um email para: disqueaids@pelavidda.org.br

Formas de contágio da AIDS

As formas de contagio da AIDS são:

  • Relação sexual sem preservativo com indivíduo contaminado com o vírus HIV;
  • De mãe para filho, através da gravidez, parto ou amamentação;
  • Partilha de seringas;
  • Contato direto de uma ferida com o sangue ou outras secreções de um indivíduo contaminado com o vírus HIV.

Abraços, beijos e cumprimentos não transmitem AIDS.

Como identificar a AIDS

AIDS é uma doença que pode ser identificada através do teste do HIV, que pode ser feito entre 40 a 60 dias do comportamento de risco, como ter relações sem preservativo ou partilhar seringas, por exemplo.

Trinta dias após o primeiro teste, recomenda-se repetir o exame, mesmo que o resultado do primeiro tenha dado Negativo. Isso serve para comprovar a presença de anticorpos Anti-HVI 1 e Anti-HIV 2 no organismo, evidenciando ou não a doença. Ainda é preciso repetir o exame entre 3 e 6 meses, devido à possibilidade de o indivíduo se encontrar na janela imunológica, que é quando a doença ainda não pode ser identificada, apesar do indivíduo já estar contaminado.

Links úteis:

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última atualização do site: 02/09/2014 Última atualização da página: 24/07/2014
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.