Gravidez em mola

publicidade

A gravidez em mola, também chamada de gravidez molar ou mola hidatiforme, é uma complicação rara da gravidez que leva ao aborto espontâneo e que pode ser classificada em completa ou parcial.

Na gravidez em mola completa o feto recebe apenas as células do pai duplicadas, e na parcial o feto recebe as células duplicadas do pai mais as células da mãe. Estas alterações formam um emaranhado de células semelhantes a cachos de uvas no útero da mulher, causando a malformação da placenta e do feto, não havendo a possibilidade deste se tornar um bebê.

Este conjunto de células anormais pode espalhar-se para fora do útero e gerar complicações como um câncer, por exemplo.

Sintomas da gravidez em mola

Os sintomas da gravidez em mola podem ser semelhantes aos de uma gravidez normal como atraso menstrual e enjoos matinais, mas após a 6ª semana de gestação pode haver:

  • Aumento exagerado do útero;
  • Sangramento vaginal intenso ou não;
  • Dor abdominal e nas costas.

O diagnóstico da gravidez molar é feito através do exame de sangue que mostra quantidades muito elevadas do hormônio Beta HcG e através do ultrassom transvaginal que evidencia a mal formação.

As causas da gravidez em mola ainda não são totalmente conhecidas mas acredita-se que ela ocorra quando o óvulo é fecundado por 2 espermatozóides ao mesmo tempo.

Foto da gravidez em mola

A foto representa a placenta com estruturas em cacho de uva que é a característica da gravidez em mola.

Tratamento da gravidez em mola

O tratamento da gravidez em mola pode ser feito com o uso de remédios que provocam o aborto ou curetagem, que consiste na raspagem do interior do útero, para remover totalmente as células anormais.

Algumas mulheres mesmo após a curetagem podem permanecer com células do embrião dentro do útero e estas podem virar um câncer. Caso ela seja diagnosticada com um tumor maligno o tratamento deve ser realizado à base de quimioterapia, radioterapia ou cirurgia, e ela deverá realizar o exame de sangue Beta HcG, de 6 em 6 meses, por toda a vida.

A mulher que teve uma gravidez molar deve esperar cerca de 1 ano antes de engravidar novamente, sendo que o risco de voltar a ter gravidez em mola é de 1%.

Referência Bibliográfica

ANDRADE JM. Mola hidatiforme e doença trofoblástica gestacional. Acesso em Jan. 2014.

Link útil:

Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última data de atualização do site: 21/04/2014 Última data de atualização da página: 24/02/2014
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.