Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Entenda quando a vacina da Rubéola pode ser perigosa

A vacina contra a Rubéola que é produzida a partir do vírus vivo atenuado, faz parte do plano nacional de vacinação, e tem muitas condições para ser aplicada. Por isso, além não ser indicada para mulheres durante a gravidez, ela também pode ser perigosa em caso de pessoas com:

  • Histórico de hipersensibilidade aos componentes da vacina; incluindo gelatina ou neomicina;
  • Leucemia;
  • Linfoma ou qualquer tipo de câncer que afete a medula óssea ou sistema linfático;
  • Tratamento com imunossupressores; como depois de um transplante, por exemplo;
  • Doença respiratória acompanhada de febre
  • Qualquer infecção que provoque febre, como gripe ou dengue;
  • Tuberculose ativa;
  • Crianças com menos de 12 meses de idade.
  • Aids.

Na verdade, crianças, adolescentes e adultos que não tomaram nenhuma dose da vacina contra rubéola ou que não tomaram a dose de reforço podem tomar a vacina contra rubéola em qualquer fase da vida, mas sempre sob orientação médica, porque o vírus pode causar malformações no feto de mulheres que tomam a vacina durante a gravidez. Veja os sintomas que a rubéola pode causar.

Como funciona esta vacina

Esta vacina, que é dada em forma de injeção, contém o vírus vivo, mas atenuado, que leva à formação de anticorpos, que impedem que Rubéola se manifeste, causando as manchas vermelhas pelo corpo característica da doença.

Esta vacina tem 95% de eficacia e normalmente as crianças são vacinadas aos 15 meses de vida, recebendo uma outra dose de reforço entre os 4 e os 6 anos de idade.

Porque grávidas não podem tomar a vacina

A vacina contra rubéola não deve ser administrada em mulheres grávidas ou que estejam tentando engravidar porque a vacina pode levar a mal formações no bebê. Assim, todas as mulheres em idade fértil só devem tomar a esta vacina após se certificar de que não estão grávidas realizando um teste de gravidez.

Se a mulher tomar a vacina contra rubéola durante a gravidez ou se engravidar em menos de 1 mês, o bebê pode ser seriamente afetado podendo nascer com defeitos congênitos como cegueira, surdez e retardo mental, que caracterizam a rubéola congênita. Clique aqui e saiba tudo sobre esta doença.

O período de 1 mês deve ser aguardado porque este é o período médio em que o corpo é capaz de produzir os anticorpos necessários contra a rubéola.

A melhor forma de saber se o bebê possui alguma alteração é fazendo o pré-natal e realizando todos os exames, incluindo a ultrassonografia para avaliar o seu desenvolvimento em cada trimestre da gestação. Apesar disso, existem relatos de mulheres que tomaram esta vacina durante a gravidez, sem saber que estavam grávidas, e o bebê nasceu saudável, sem apresentar nenhuma alteração.

Efeitos colaterais da vacina

Após a toma da vacina contra rubéola podem surgir sintomas como dor e inflamação nas juntas; queimação e sensação de agulhadas no local da injeção.

Assim, depois de tomar a vacina , o corpo já terá os anticorpos necessários para se proteger e as manchas vermelhas próprias da doença não surgem quando a pessoa ficar exposta ao vírus da Rubéola.

Vacina contra rubéola pode causar microcefalia?

A vacina contra rubéola não está diretamente relacionada à microcefalia, no entanto, esta alteração cerebral está relacionada a presença de doenças infecciosas durante a gestação e por isso, apesar de ser pouco provável, existe essa possibilidade, já que a vacina possui o vírus, que embora seja atenuado, ainda esteja vivo.

Além da microcefalia existem outras alterações que estão relacionadas a exposição ao Rubivírus, causador da rubéola durante a gestação, como cegueira, surdez e mal formações cardíacas. Veja outras consequências clicando aqui.

Em geral, adultos e crianças se recuperam rapidamente dessa doença, por isso veja como é feito o tratamento da rubéola para evitar complicações.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...