Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é e como funciona a vacina contra aborto

A vacina contra o aborto é um tipo de tratamento para mulheres que desejam ter filhos, mas que tiveram mais de 2 abortos seguidos dentro das primeiras 20 semanas de gestação e que não têm nenhum problema de saúde, como ovários policísticos ou doenças na tireoide, que justifique as várias interrupções involuntárias da gravidez.

Geralmente, este tipo de aborto é causado por uma resposta do sistema imune da mulher que reage ao bebê como se fosse um corpo estranho que deve ser eliminado, pois contém células do pai, que são estranhas para o organismo da mãe, levando ao aborto sem causa aparente.

Como funciona a vacina 

A mulher recebe uma vacina feita com os glóbulos brancos do pai para que as suas células de defesa deixem de identificar as células do pai como uma substância estranha durante a gravidez, evitando, assim, que o bebê volte a ser tratado como se fosse um corpo estranho ou uma doença que deve ser combatida, diminuindo o risco de aborto.

O que é e como funciona a vacina contra aborto

A vacina deve ser preparada, no laboratório, especificamente para cada casal, pois é necessário retirar cerca de 80 ml de sangue paterno para obter as células brancas, que depois são misturadas em soro fisiológico e injetadas na futura mamãe.

Para que os resultados sejam mais positivos, devem ser feitas 2 doses desta vacina antes de tentar engravidar e, depois, é importante fazer um exame de sangue no qual o obstetra é capaz de avaliar se o corpo da mulher ainda reage às células do pai de forma negativa ou se ela pode tentar engravidar novamente.

Como a vacina pode diminuir o risco de aborto

Na maior pate das vezes, o corpo da grávida é capaz de ignorar o alerta do sistema imune contra o "corpo estranho" que é na verdade o bebê, produzindo o HLA-G, uma substância que impede o processo de eliminação do feto e permite que a gravidez se desenvolva normalmente.

Porém, algumas mulheres podem apresentar dificuldade para produzir o HLA-G e por isso o sistema imune continua tentando proteger o corpo da mãe, atacando o bebê para eliminá-lo do útero. Isto tudo acontece porque o corpo humano está programado para eliminar qualquer substância estranha, de forma a se proteger contra gripes, resfriados e outras doenças.

Assim, este tipo de vacina pode ser uma boa forma de tratamento para diminuir o risco de aborto em mulheres que perdem seus bebês repetidamente, sem diagnóstico de infertilidade que justifique.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...