Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como tratar o Linfoma não-Hodgkin para aumentar as chances de Cura

O tratamento para o linfoma não-Hodgkin é feito com uma combinação de quimioterapia, radioterapia e imunoterapia. Seu objetivo é aumentar a produção das células de defesa do organismo, eliminar o tumor e parar a produção de células cancerígenas.

As sessões de quimioterapia duram em média 4 horas onde o indivíduo recebe medicamentos orais e injetáveis, ela pode provocar efeitos colaterais como náuseas e queda de cabelo. Conheça outros efeitos colaterais da quimioterapia e como aliviar cada um deles.

Nos casos mais graves não basta fazer somente a quimioterapia, sendo então indicada a radioterapia que consiste em emitir ondas eletromagnéticas no local do tumor a fim de destruí-lo. Já a imunoterapia consiste na administração de soros e vacinas que fortalecem o sistema imune para que este possa vencer o tumor. Infelizmente esta terapia ainda não se encontra disponível nos tratamentos oferecidos pelo SUS.

Saiba quais são as chances de cura deste linfoma.

Como tratar o Linfoma não-Hodgkin para aumentar as chances de Cura

Remédios indicados

Para tumores de alto grau, localizados em apenas uma região o oncologista pode receitar uma combinação de medicamentos e exposição a ondas eletromagnéticas porque isto parece ser mais eficiente na eliminação do tumor. Uma das opções é a toma de medicamentos como ciclofosfamida, doxorrubicina, vincristina e prednisona, seguido de radioterapia.

O anticorpo monoclonal rituximab também tem demostrado bom efeito contra este tumor, mesmo nos casos de linfoma não-Hodgkin agressivo, no entanto o tratamento deve ser individualizado porque deve levar em consideração a idade, estado de saúde geral e tipo de tumor.

Alimentação contra o câncer

Os alimentos mais indicados para combater o câncer são os biológicos, que não possuem agrotóxicos e por isso tem mais antioxidantes e vitaminas que ajudam a melhorar todo o funcionamento do corpo. Deve-se evitar os alimentos processados como presunto, apresuntado, salaminho e bacon, além dos refrigerantes e sucos industrializados ingerindo diariamente pão integral, carnes magras, legumes, verduras, frutas e boas fonte de gordura como atum, salmão, sardinha e amêndoas, por exemplo. Veja mais exemplos de como adequar a alimentação para combater o câncer

Estilo de vida saudável

Também é importante beber bastante água, dormir bem e manter-se ativo, nem que seja para dar uma caminhada de 10 ou 15 minutos porque isso estimula a circulação sanguínea e contribui para a sensação de bem-estar. Ler livros com temas que agrade e filmes em boa companhia também ajudam a se sentir melhor.

Sinais de melhora e piora

Os sinais de melhora podem demorar meses para serem observado mas incluem a melhora dos sintomas e a normalização dos exames que indicam que o câncer está regredindo. Após terminar o tratamento indicado pelo oncologista a pessoa deverá realizar diversos exames que indicam seu estado de saúde.

Podem ser realizados exames como tomografia de tórax, abdômen e pelve mesmo que estas áreas não tenham sido afetadas pela doença e também a biopsia da medula óssea e a tomografia com emissão de pósitrons que também avaliam a medula porque estes exames conseguem mostrar se o tumor está presente ou desapareceu. 

Possíveis complicações 

As complicações do linfoma não-Hodgkin podem incluir o acúmulo de líquido em torno dos pulmões, que causa dificuldade respiratória, pressão sobre o intestino, que causa perda de apetite, e bloqueio dos vasos linfáticos, que causa retenção de líquido. Estes são mais frequentes em pessoas que descobrem o tumor numa fase avançada e o tratamento não é eficaz.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...