Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Tratamento para hepatite autoimune

O tratamento para hepatite autoimune é iniciado quando o paciente apresenta inflamação do fígado ou sintomas, como icterícia, cansaço, inchaço da barriga, por exemplo.

A hepatite autoimune tem cura através do transplante de fígado, no entanto, a cirurgia apenas é utilizada nos casos mais graves ou quando não é possível controlar a inflamação do fígado com corticóides ou imunossupressores receitados pelo hepatologista.

Além disso, para complementar o tratamento médico, é recomendado que os pacientes façam uma alimentação equilibrada e pobre em bebidas alcoólicas e em alimentos gordurosos, como embutidos ou salgadinhos.

Saiba como complementar o tratamento em: Dieta para hepatite autoimune.

Opções de tratamento para hepatite autoimune

O tratamento para hepatite autoimune pode ser feito com corticoides, imunossupressores ou, nos casos mais graves, com o transplante de fígado.

Normalmente, o tratamento medicamentoso para hepatite autoimune deve ser mantido para toda a vida para que seja possível manter a doença controlada.

Corticoides

Os remédios corticoides, como a Prednisona, ajudam a reduzir o inchaço do fígado provocado pelo sistema imune do paciente e, por isso, impedem os danos provocados pelo sistema imune no fígado.

Inicialmente, a dose de corticoides é elevada, mas, com o avançar do tratamento, o médico pode ir reduzindo a quantidade de Prednisona até ao mínimo necessário para que a doença continue controlada.

Porém, o uso de corticoides tem efeitos colaterais como aumento do peso, enfraquecimento dos ossos, diabetes, aumento da pressão arterial ou ansiedade e, por isso, pode ser necessário fazer uma combinação com imunossupressores para reduzir os efeitos colaterais.

Imunossupressores

Os remédios imunossupressores para hepatite autoimune, como a Azatioprina, diminuem a produção de anticorpos e, assim, são capazes de diminuir a reação do sistema imune que provoca danos e inflamação no fígado.

Geralmente, os remédios imunossupressores são utilizados em associação com os corticoides para reduzir que as doses de ambos sejam o menor possível, reduzindo os efeitos colaterais no paciente.

Durante o tratamento com remédios imunossupressores, como a Azatioprina, o paciente deve fazer exames de sangue regulares para avaliar o número de glóbulos brancos, que pode diminuir e facilitar o surgimento de infecções.

Transplante de fígado

O transplante de fígado é utilizado nos casos mais graves da hepatite autoimune, quando o paciente desenvolve cirrose ou insuficiência hepática, por exemplo, e serve para substituir o fígado doente por um saudável. Saiba mais sobre o transplante de fígado.

Após o transplante de fígado, o paciente deve ficar internado durante 1 a 2 semanas para garantir que não existe rejeição do novo órgão. Além disso, indivíduos transplantados também devem tomar imunossupressores durante toda a vida para evitar que o organismo rejeite o novo fígado.

Sinais de melhora da hepatite autoimune

Os sinais de melhora da hepatite autoimune, normalmente, surgem algumas semanas após o inicio do tratamento e estão relacionados com a diminuição dos sintomas, permitindo que o paciente tenha uma vida normal.

Sinais de piora da hepatite autoimune

Quando o tratamento não é feito de forma adequada o paciente pode desenvolver cirrose, encefalopatia ou insuficiência hepática, apresentando sinais de piora que incluem inchaço generalizado, alterações do olfato e problemas neurológicos, como confusão e sonolência.

Link útil:

Mais sobre este assunto:
Carregando
...