Como é feito o tratamento para donovanose

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
abril 2020

Uma vez que a donovanose é uma doença infecciosa causada por uma bactéria, o tratamento normalmente é feito com o uso de antibióticos para eliminar a infecção.

Os antibióticos mais utilizados são:

  • Azitromicina;
  • Doxiciclina;
  • Ciprofloxacino;
  • Eritromicina;
  • Sulfametoxazol.

A escolha do antibiótico deve ser feita por um clínico geral, urologista ou um infectologista, de acordo com os sintomas apresentados e o histórico clínico de cada pessoa. No entanto, é normal tomar um destes antibióticos por, pelo menos, 3 semanas seguidas e manter seu uso até que as feridas na região genital estejam completamente cicatrizadas.

Caso os sintomas da donovanose não melhorem nos primeiros dias de tratamento, pode ser necessário voltar ao médico para adicionar outro antibiótico, geralmente um aminoglicosídeo, como a gentamicina, por exemplo.

Cuidados durante o tratamento

Além de fazer o antibiótico de acordo com o plano indicado, durante o tratamento é muito importante fazer consultas regulares no médico para que a evolução da doença seja corretamente avaliada, podendo-se trocar de antibiótico caso seja necessário. Idealmente, a região íntima deve ser mantida limpa para evitar infecção da ferida e facilitar a cicatrização do local.

Além disso, é aconselhado evitar o contato sexual ou utilizar o preservativo para evitar a transmissão da infecção até que os sintomas tenham desaparecido completamente e o tratamento tenha terminado.

Caso se tenha tido contato sexual nos últimos 60 dias antes do diagnóstico da donovanose, também é importante informar o parceiro ou parceira para que consulte um médico e avalie a hipótese de também ter a infecção, iniciando o tratamento se necessário.

Sinais de melhora

O principal sintoma de melhora da donovanose é a cicatrização da ferida que normalmente surge na região genital. Assim, para confirmar a cura da doença é muito importante ir ao médico, mesmo após o desaparecimento da ferida, para fazer exames.

Sinais de piora

Os sinais de piora são mais comuns quando o tratamento não é iniciado a tempo ou quando o antibiótico selecionado não está apresentando qualquer efeito. Nessas situações é comum que a ferida não demonstre sinais de cicatrização e que piore, ficando maior e apresentando maior sangramento.

Caso existam sinais de piora é aconselhado regressar ao médico para avaliar a necessidade de trocar o antibiótico que estava sendo utilizado, por outro que possa ter melhor efeito. Algumas vezes, o médico pode até pedir um exame de perfil da sensibilidade e resistência a antibióticos, para saber quais podem ser mais eficazes no tratamento.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em abril de 2020. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • CDC. Granuloma Inguinale (Donovanosis). 2015. Disponível em: <https://www.cdc.gov/std/tg2015/donovanosis.htm>. Acesso em 13 mar 2019
  • MEDLINEPLUS. Donovanosis (granuloma inguinale). Disponível em: <https://medlineplus.gov/ency/article/000636.htm>. Acesso em 13 mar 2019
Mostrar bibliografia completa
  • MEDSCAPE. Granuloma Inguinale (Donovanosis). Disponível em: <https://emedicine.medscape.com/article/1052617-overview?src=refgatesrc1>. Acesso em 13 mar 2019
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.