Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Tratamento para Câncer na Vagina

O tratamento para câncer na vagina pode ser feito com cirurgia, laser, quimioterapia, radioterapia ou terapia tópica, dependendo do tipo e tamanho do câncer, estadiamento da doença e estado geral de saúde da paciente.

Os sintomas do câncer podem ser corrimento com mau cheiro, dor durante contato íntimo e dor ao urinar. O câncer na vagina é raro e afeta geralmente mulheres entre os 45 e 64 anos. 

A chance de cura do câncer da vagina reduz quanto mais tarde se inicia o tratamento, mas de acordo com as estatísticas, metade das pacientes com câncer de vagina conseguem ficar curadas. 

Radioterapia para câncer na vagina

A radioterapia para câncer na vagina utiliza radiações para destruir, ou reduzir o crescimento das células do câncer e pode ser feito em conjunto com baixas doses de quimioterapia.

A radioterapia pode ser aplicada por radiação externa, através de uma máquina que emite feixes de radiação sobre a vagina, devendo ser realizada 5 vezes na semana, durante algumas semanas ou meses. Se for braquiterapia, o material radioativo é colocado próximo do câncer e pode ser administrada em casa, 3 a 4 vezes por semana, com 1 ou 2 semanas de intervalo.

Os efeitos colaterais da radioterapia para câncer na vagina podem ser:

  • Cansaço;
  • Diarreia;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Enfraquecimento dos ossos da bacia;
  • Secura vaginal;
  • Estreitamento da vagina.

Geralmente, os efeitos colaterais desaparecem ao fim de algumas semanas após terminar o tratamento. Se a radioterapia é administrada em conjunto com a quimioterapia, as reações adversas ao tratamento são mais intensas.

Tratamento para Câncer na Vagina

Quimioterapia para câncer na vagina

A quimioterapia para câncer na vagina utiliza remédios via oral ou diretamente na veia, que podem ser cisplatina, fluorouracil ou docetaxel, que irão destruir as células cancerígenas localizadas na vagina ou espalhadas pelo corpo. Pode ser realizada antes da cirurgia para reduzir o tamanho do tumor e é o principal tratamento utilizado para tratar cânceres de vagina bastante desenvolvidos.

A quimioterapia não ataca só as células cancerígenas, mas também células normais do corpo, por isso podem surgir efeitos colaterais da quimioterapia para câncer de vagina como:

  • Perda de cabelo;
  • Feridas na boca;
  • Falta de apetite;
  • Náuseas e vômitos;
  • Diarreia;
  • Infecções;
  • Alterações no ciclo menstrual;
  • Infertilidade.

A gravidade dos efeitos colaterais depende do remédio utilizado e da dosagem, e geralmente desaparecem ao fim de alguns dias após o tratamento.

Cirurgia para câncer na vagina

A cirurgia para câncer na vagina tem como objetivo retirar o tumor localizado na vagina para que ele não aumente de tamanho, ou não se espalhe pelo resto do organismo.

Existem vários procedimentos cirúrgicos que podem ser realizados como:

  • Excisão local, que consiste na retirada do tumor e de uma parte do tecido saudável da vagina;
  • Vaginectomia, que consiste na retirada total ou parte da vagina e está indicada para tumores de grande tamanho.

Por vezes, pode ser necessário a retirada do útero para prevenir o aparecimento do câncer neste órgão. Os gânglios linfáticos da região da bacia também devem ser retirados para evitar espalhamento das células cancerígenas.

O tempo de recuperação da cirurgia varia de mulher para mulher, mas é importante o repouso e evitar ter contato íntimo durante o tempo de cicatrização. Nos casos em que há retirada total da vagina, ela pode ser reconstruída com excertos de pele ou outra parte do corpo, o que permitirá à mulher ter relações.

Geralmente, a cirurgia seguida de radioterapia são suficientes para curar a doença.

Cirurgia a laser para câncer na vagina

A cirurgia a laser para câncer na vagina consiste na aplicação de um feixe de luz de alta energia sobre o local onde as células cancerígenas se encontram na vagina. Geralmente, este tratamento é eficaz em grandes lesões, porém, não tem resultados no câncer invasivo, isto é, quando pode espalhar para outros órgãos.

Terapia tópica para câncer na vagina

A terapia tópica para câncer na vagina consiste na aplicação de cremes ou géis diretamente sobre o tumor localizado na vagina, com o objetivo de impedir o crescimento do do câncer e eliminar as células cancerígenas.

Um dos medicamentos usados na terapia tópica é o Fluorouracil, que pode ser aplicado diretamente na vagina, 1 vez por semana durante cerca de 10 semanas, ou à noite, durante 1 ou 2 semanas. O Imiquimode é outro remédio que pode ser usado.

Os efeitos colaterais da terapia tópica para câncer na vagina podem ser irritação severa na vagina e na vulva, secura e vermelhidão. Embora seja em alguns cânceres eficaz, este tratamento não tem tão bom resultado comparado com a cirurgia.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...