Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Opções de tratamento para câncer de ovário

O tratamento para câncer de ovário deve ser orientado por um ginecologista ou um oncologista especialista em ginecologia, para adequar o tipo de tratamento ao grau de desenvolvimento do câncer, saúde geral da mulher, idade e outros fatores como a vontade de ter filhos, por exemplo.

Porém, na maioria dos casos, o tratamento do câncer de ovário é iniciado com cirurgia para retirar o máximo de células cancerígenas, sendo depois feita quimioterapia ou radioterapia para eliminar as restantes células e tentar alcançar a cura.

Opções de tratamento para câncer de ovário

Assim, as principais formas de tratamento incluem:

1. Cirurgia para retirar o tumor

A cirurgia para câncer de ovário é o principal tipo de tratamento utilizado para eliminar o máximo de tumor possível e, dependendo do tipo de câncer, pode ser feita de várias formas, que incluem:

  • Salpingooforectomia: consiste na remoção do ovário e tuba de Falópio afetados e, por isso, pode ser apenas retirado um ovário caso o câncer esteja em fase inicial e não afete ambos;
  • Histerectomia: é uma cirurgia para retirar também o útero da mulher, caso o câncer se tenha espalhado para este órgão;
  • Cirurgia cito-redutiva: é usada nos casos mais avançados de câncer de ovário para retirar células cancerígenas de outros órgãos afetados, como bexiga, baço, estômago ou cólon, por exemplo.

Depois da cirurgia o tempo de recuperação pode durar até 1 mês, sendo que o contato íntimo só deve acontecer depois desse período e o regresso às atividades diárias deve ser gradual.

No caso em que a mulher pretende engravidar, mas precisa retirar ambos os ovários pode ser possível preservar um ou mais óvulos saudáveis para depois utilizar em uma técnica de inseminação artificial, por exemplo.

Saiba mais sobre esta cirurgia e como é a recuperação.

2. Quimioterapia ou radioterapia

A quimioterapia é feita com o uso de remédios que impedem as células cancerígenas de se desenvolver e multiplicar. Normalmente, a quimioterapia é feita com injeções diretamente na veia, mas em alguns casos podem ser utilizados comprimidos com o mesmo efeito, caso o câncer esteja pouco desenvolvido.

A quimioterapia para o câncer de ovário pode durar até 6 meses e provocar efeitos colaterais como náuseas, vômitos, cansaço, anemia e queda de cabelo. Veja os efeitos colaterais mais comuns da quimioterapia e como aliviá-los.

Além disso, o médico também pode indicar sessões de radioterapia com raio X para complementar o tratamento quimioterápico, especialmente quando existe risco de o câncer voltar a surgir.

3. Opções naturais para câncer de ovário

O chá de gengibre é um bom tratamento natural para câncer de ovário durante a quimioterapia, pois ele eliminas as toxinas do corpo, ajudando a obter resultados mais rápidos e evitando vários efeitos colaterais como as náuseas e os vômitos. Porém, o tratamento natural não garante a cura e não deve substituir o tratamento prescrito pelo médico.

  • Chá de gengibre: colocar 1 rodela de gengibre para ferver com 500 ml de água por cerca de 10 minutos. Depois tampar e deixar amornar. Coar e beber 2 xícaras por dia.

Para complementar o tratamento natural para câncer de ovário a mulher deve ainda evitar comer alimentos ricos em gordura e açúcar, deixar de fumar, evitar beber bebidas alcoólicas ou café, dando preferência para alimentos ricos em antioxidantes, como a cenoura, couve, uva e laranja.

Sinais de melhora do câncer de ovário

Em muitos casos, os sinais de melhora do câncer de ovário surgem logo após a retirada dos órgãos afetados, no entanto, a mulher deve fazer consultas regulares no ginecologista para fazer exames de sangue e ultrassom, de forma a garantir que o câncer foi completamente eliminado.

Sinais de piora do câncer de ovário

Os sinais de piora do câncer de ovário surgem quando não é possível eliminar todas as células cancerígenas do organismo e incluem surgimento ou aumento da dor abdominal, sangramentos vaginais, vômitos e barriga inchada, por exemplo.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar