Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Tratamento para atrofia muscular espinhal

O tratamento da atrofia muscular espinhal é feito para controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida da pessoa, pois ainda não é possível curar a alteração genética que provoca a doença.

Para fazer o melhor tratamento possível, pode ser necessário uma equipe de vários profissionais de saúde, como ortopedistas, fisioterapeutas, enfermeiros, nutricionistas e terapeutas ocupacionais, por exemplo, de acordo com as dificuldades e limitações de cada pessoa.

Um dos tratamentos mais eficazes é a realização de exercícios de fisioterapia, mas outras técnicas, como controlo da alimentação ou uso de equipamentos, também podem ser benéficas.

Tratamento para atrofia muscular espinhal

1. Tratamento fisioterapêutico

A fisioterapia é muito importante para todos os casos de atrofia muscular, porque permite manter a circulação sanguínea adequada, evitar a rigidez das articulações, diminuir a perda de massa muscular e melhorar a flexibilidade.

Levantar pesos, fazer exercícios com elásticos ou praticar exercícios de musculação são alguns exemplos do que pode ser realizados em caso de atrofia muscular. Mas estes exercícios devem ser orientados por um fisioterapueta em uma clínica de fisioterapia, por exemplo, pois variam de acordo com a limitação de cada pessoa.

Além disso, também podem ser usados aparelhos de eletroestimulação para promover a contração muscular, como é o caso da corrente russa, que é uma ótima opção para complementar o tratamento.

2. Uso de equipamentos e terapia ocupacional

A terapia ocupacional é uma ótima opção para aumentar a qualidade de vidas nos casos em que existe dificuldade para se movimentar ou fazer atividades diárias simples, como comer ou andar, por exemplo.

Isto porque, nas sessões de terapia ocupacional, o profissional ajuda a pessoa a utilizar alguns equipamentos auxiliares, como talheres esopeciais ou cadeira de rodas, que permitem realizar as mesmas tarefas, mesmo quando existe a limitação da doença.

3. Dieta adequada

A alimentação adequada é muito importante para garantir o desenvolvimento de quem sofre com atrofia muscular, especialmente no caso de crianças. Porém, muitas possuem dificuldade para mastigar ou engolir, por exemplo, sendo que, nesses casos, o nutricionista pode indicar os melhores alimentos e suplementos para suprir todas as necessidades do organismo.

Além disso, em muitos casos, pode até ser necessário utilizar uma sonda de alimentação ou um pequeno tubindo que liga o estômago à pele da barriga, permitindo fazer a alimentação sem ser preciso mastigar ou engolir. Veja como utilizar e cuidar da sonda de alimentação.

Outras opções de tratamento

Além das técnicas de tratamento anteriores, podem ainda ser necessários outros tipos de tratamento, de acordo com os sintomas e limitações de cada pessoa. Por exemplo, nos casos em que os músculos da respiração estão afetados pode ser necessário utilizar aparelhos de respiração que forçam o ar para dentro dos pulmões, substituindo os músculos.

Já nas crianças com problemas musculares junto da coluna vertebral, pode ser necessário fazer cirurgia para corrigir escoliose, uma vez que o desiquilíbrio na força dos músculos pode levar a que a coluna se deenvolva de forma inadequada.

Um novo tratamento alternativo é o uso do remédio Spinraza, que já foi aprovado nos Estados Unidos e promete reduzir os sintomas da atrofia provocada por alteração no gene SMN-1. Entenda o que é o Spinraza e como funciona.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...