Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas que podem ser confundidos com diabetes

Dezembro 2019

A diabetes é uma doença caracterizada pela grande quantidade de glicose circulante no sangue, mesmo quando a pessoa encontra-se em jejum, levando ao surgimento de alguns sintomas como vontade frequente para urinar, aumento da sede, cansaço excessivo, aumento da fome e infecções urinárias frequentes, por exemplo.

De acordo com as características e causas, a diabetes pode ser classificada principalmente em:

  • Diabetes mellitus do tipo 1, que é caracterizada pela pouca ou nenhuma produção de insulina pelo pâncreas, o que resulta na ausência da remoção do excesso de glicose no sangue, de forma que o organismo não consegue utilizar esse açúcar para gerar energia;
  • Diabetes mellitus do tipo 2, que é a forma da diabetes que desenvolve-se ao longo do tempo e que está relacionada principalmente com hábitos de vida, ou seja, com o consumo excessivo de doces e carboidratos e ausência de prática de atividade física;
  • Diabetes insipidus, que é caracterizada pelo aumento do volume urinário que acontece como consequência do excesso de açúcar circulante.

Apesar dos sinais e sintomas da diabetes serem fáceis de identificar, nem sempre os sintomas apresentados pela pessoa são necessariamente indicativos de diabetes. Muitas outras situações e doenças podem ter sintomas semelhantes e, por isso, é importante que na presença de qualquer sintoma persistente, a pessoa procure o médico para que sejam feitos exames e possa ser identificada a causa do sintomas.

Sintomas que podem ser confundidos com diabetes

Alguns sintomas frequentes da diabetes mas que também podem acontecer em outras situações são:

1. Vontade frequente para urinar

O aumento da vontade para urinar é um dos sintomas característicos da diabetes mellitus descontrolada, tanto do tipo 1 quanto do tipo 2, e da diabetes insipidus, isso porque devido à grande quantidade de açúcar acumulada no sangue, a resposta do organismo é eliminar esse excesso por meio da urina.

No entanto, o aumento da frequência urinária, também chamada de urgência urinária, também pode acontecer quando se bebe muitos líquidos durante o dia ou como consequência do uso de medicamentos diuréticos que podem ser recomendados pelo médico, como a Furosemida, por exemplo, que é indicada no controle da pressão arterial, ou de infecções urinárias, principalmente se a vontade frequente para urinar vier acompanhada de dor e sensação de queimação ao urinar e desconforto na região genital. Conheça outras causas da vontade frequente para urinar.

2. Aumento da sede

O aumento da sede é uma forma do corpo indicar que há pouca água disponível no corpo para que o funcionamento do organismo aconteça adequadamente, que é o que acontece normalmente. No caso da diabetes, o aumento da sede é também uma forma do corpo sinalizar que há grandes quantidades de açúcar no sangue, pois ao sentir sede, espera-se que a pessoa beba mais água e, assim, seja possível eliminar o excesso de açúcar na urina.

Por outro lado, o aumento da sede também pode ser um sinal de desidratação, principalmente quando são percebidos outros sinais e sintomas como dor de cabeça intensa, boca seca, febre baixa e constante e aparecimento de olheiras nos olhos. É importante que a desidratação seja percebida rapidamente para que a reposição de líquidos seja feita com o objetivo de prevenir complicações para a pessoa.

Além da desidratação e da diabetes, o aumento da sede pode ser consequência da grande produção de suor, o que é comum durante ou após a prática de atividade física intensa, ou do consumo exagerado de sódio durante o dia, o que também pode levar, em alguns casos, ao aumento da pressão arterial e surgimento de outros sintomas além da sede como dor no peito e alterações dos batimentos cardíacos.

3. Boca seca

A boca seca é normalmente consequência da falta de água no organismo, sendo associada ao aumento da sede. Apesar de poder acontecer na diabetes, o ressecamento da boca pode ser indicativo de muitas outras situações e que não necessariamente estão relacionadas com problemas de saúde, como por exemplo o fato de se respirar pela boca, estar em um ambiente muito frio ou alimentação rica em açúcar e baixo consumo de água, por exemplo.

No entanto, é importante que a pessoa esteja atenta ao aparecimento de outros sintomas além da boca seca, pois pode estar relacionada com outros problemas de saúde como doenças autoimunes, problemas na tireoide, doenças respiratórias, alterações hormonais ou ser consequência do uso de algum medicamento. Por isso, no caso da boca seca ser frequente e não passar mesmo com a mudança dos hábitos alimentares e de ingestão de água durante o dia, é recomendado que vá ao clínico geral para que sejam feitos exames e, caso seja necessário, para que o tratamento seja estabelecido de acordo com a causa.

Veja mais causas de boca seca.

4. Infecções urinárias frequentes

As infecções urinárias de repetição, principalmente por fungos do tipo Candida sp., são bastante frequentes na diabetes, isso porque a grande quantidade de açúcar no sangue e na urina favorecem o desenvolvimento de microrganismos, levando à ocorrência de infecções e ao aparecimento de sintomas como dor e ardor ao urinar, vermelhidão e coceira na região genital e corrimento.

Apesar disso, nem sempre que a pessoa apresenta infecções urinárias recorrentes é indicativo de diabetes. Isso porque a proliferação de microrganismos pode ser favorecida por outras condições, como por exemplo higienização íntima inadequada, segurar o xixi por muito tempo, usar absorventes íntimos por muito tempo e beber pouca água. Conheça sobre outras causas de infecção urinária de repetição.

Sintomas que podem ser confundidos com diabetes

5. Sonolência e cansaço frequente

A sonolência e o cansaço frequente são sintomas comuns da diabetes, pois devido à alterações nos receptores celulares, a glicose não entra nas células, permanecendo no sangue, o que resulta na falta de energia para realização das atividades do dia a dia.

Além da diabetes, a principal causa de sonolência e cansaço frequente, é a anemia por deficiência de ferro, também chamada de anemia ferropriva, isso porque na falta de ferro não há formação suficiente de hemoglobina, que é o componente das hemácias responsáveis pelo transporte de oxigênio para as células.

Dessa forma, na falta de hemoglobina não há transporte correto de oxigênio, o que resulta na diminuição da capacidade metabólica das células e, consequentemente, leva ao aparecimento de sintomas como cansaço excessivo e sonolência. Outro sinais e sintomas que também podem ser indicativos de anemia ferropriva são tontura, palidez da pele e das mucosas dos olhos, fraqueza, queda de cabelo e perda do apetite, por exemplo.

Além da diabetes e da anemia, a sonolência e o cansaço frequente pode acontecer como consequência de doenças psicológicas, como a depressão, doenças cardíacas e alterações na tireoide, principalmente hipotireoidismo, em que a tireoide passa a produzir menos hormônios necessários para o funcionamento do organismo, levando ao surgimento não só do cansaço excessivo mas também de fraqueza, dificuldade de concentração, queda de cabelo, pele ressecada e aumento do peso sem causa aparente.

6. Formigamento nos pés e nas mãos

O formigamento nas mãos e nos pés na maioria das vezes é sinal de que a diabetes está descontrolada, ou seja, que há no sangue quantidades excessivas de açúcar, o que pode levar a alterações na circulação e pequenas lesões em várias partes do corpo, resultando no formigamento.

No entanto, o formigamento raramente é associado à diabetes, uma vez que situações como compressão de um nervo, posição errada para sentar ou uso repetitivo da mesma articulação também pode causar formigamento nas mãos ou nos pés. Além disso, o formigamento é um dos primeiros sinais indicativos de infarto, que acontece quando há bloqueio em um vaso sanguíneo, o que dificulta a circulação sanguínea.

Assim, no caso de infarto é comum que a pessoa sinta o braço esquerdo dormente e formigando, bem como uma dor no lado esquerdo do peito em forma de pontada ou peso que pode irradiar para outras partes do corpo. Nos primeiros sinais de infarto, é recomendado ir ao hospital com urgência para que sejam feitos exames que comprovem o infarto e seja iniciado o tratamento. Saiba reconhecer os sintomas de infarto.

7. Fome em excesso

É comum que pessoas portadoras da diabetes sintam muita fome durante o dia e isso acontece devido à falta de açúcar dentro das células. Na diabetes, o açúcar não consegue entrar nas células, permanece no sangue, e isso faz com que o cérebro interprete que não há açúcar suficiente no organismo para gerar energia para as células realizarem as atividades necessárias para o funcionamento do corpo e, por isso, a pessoa sempre tem a sensação de que não está saciada.

Apesar desse sintoma ser comum na diabetes, a fome excessiva também pode acontecer em outras situações, como estresse, nervosismo, desidratação, alimentação rica em carboidratos e devido a alterações na tireoide, como no caso do hipertireoidismo, que é caracterizada pelo aumento de produção de hormônios tireoidianos o que resulta no aumento do metabolismo e da sensação de fome, além de tremores, palpitações cardíacas e dificuldade de concentração.

Como saber se é diabetes

Para saber se os sintomas sentidos estão relacionados com a diabetes ou com outro problema de saúde, é importante que a pessoa vá ao clínico geral ou endocrinologista para que sejam realizados exames que permitam fazer o diagnóstico diferencial da diabetes, sendo na maioria das vezes indicada a realização de exames de sangue, incluindo a dosagem da glicose no sangue em jejum e da hemoglobina glicada, e de urina.

É possível também que o diagnóstico inicial da diabetes seja feito por meio do teste de glicemia capilar, que pode ser feito tanto em jejum como em qualquer hora do dia, sendo importante estar atento aos valores de referência, que variam de acordo com o modo como o exame foi feito. O teste de glicemia capilar pode ser feito em casa por meio do uso de um equipamento chamado glicosímetro, que faz a análise de uma pequena gota de sangue e indica em poucos minutos qual a glicemia.

É importante que no caso de se verificar alterações na quantidade de glicose no sangue, a pessoa vá ao médico para que sejam realizados novos exames e possa ser iniciado o tratamento mais adequado. Entenda como é feito o diagnóstico da diabetes.

Bibliografia >

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diabetes: Diagnóstico e Tratamento. Disponível em: <https://www.diabetes.org.br/publico/diabetes/diagnostico-e-tratamento>. Acesso em 04 Dez 2019
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diabetes (diabetes mellitus): Sintomas, Causas e Tratamentos. Disponível em: <http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/diabetes>. Acesso em 04 Dez 2019
  • PIPPIT, Karly; LI, Marlana; GURGLE, Holly E. Diabetes Mellitus: Screening and Diagnosis. American Family Physician. Vol 93. 2 ed; 103-109, 2016
  • ROBERTSON, Gary L. Diabetes insipidus: Differential diagnosis and management. Best Practice & Research Clinical Endocrinology & Metabolism. Vol 30. 205-218, 2016
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem