7 principais sintomas de Ebola e opções de tratamento

Os sintomas iniciais da infecção por Ebola surgem cerca de 21 dias após a exposição ao vírus e os principais são febre, dor de cabeça, mal estar geral e cansaço, podendo ser facilmente confundida com uma simples gripe ou resfriado.

No entanto, à medida que o vírus se multiplica, podem surgir outros sinais e sintomas que são mais específicos, como:

  1. Enjoo;
  2. Dor de garganta;
  3. Tosse persistente;
  4. Vômito frequente, que pode conter sangue;
  5. Diarreia frequente, que pode conter sangue;
  6. Sangramentos nos olhos, nariz, gengiva, ouvido e partes íntimas.
  7. Manchas e bolhas de sangue na pele, em vários locais do corpo.

O Ebola é uma doença altamente contagiosa que é transmitida pelo contacto com o sangue, urina, fezes, vômito, sêmen e fluidos vaginais de pessoas infectadas, objetos contaminados, como roupas do doente, e pelo consumo, manipulação ou contato com fluidos de animais doentes. A transmissão só acontece quando os sintomas se manifestam, durante o período de incubação do vírus não há transmissão.

7 principais sintomas de Ebola e opções de tratamento

Quem tem maior risco

A infecção por Ebola é mais frequente em pessoas que estiveram recentemente na África ou em contato com outras pessoas que tenham estado nesse continente, especialmente durante um surto da doença.

A transmissão entre pessoas parece acontecer especialmente através do contato com sangue ou outras secreções da pessoa infectada, como saliva, fezes, urina ou esperma, por exemplo. Veja as principais formas de transmissão do vírus Ebola e como se proteger.

O que fazer em caso de suspeita

O que se recomenda fazer em caso de suspeita de infecção por Ebola é manter a distância de todas as pessoas e procurar um centro de tratamento o mais rápido possível porque quanto antes o tratamento for iniciado, maiores são as chances de recuperação. É também recomendado ter especial cuidado com vômitos e diarreia, para que mais ninguém entre em contato.

O diagnóstico do Ebola é difícil, pois os sintomas iniciais da doença são inespecíficos, por isso, é importante o diagnóstico seja baseado no resultado de mais de um exame laboratorial. Assim, o resultado é dito positivo quando é identificada a presença do vírus através de mais de um exame laboratorial.

Além dos exames, é importante que o diagnóstico leve em consideração os sinais e sintomas apresentados pela pessoa e a possível exposição ao vírus pelo menos 21 dias antes do aparecimento dos sintomas. É importante que imediatamente após o aparecimento da sintomatologia inicial ou conclusão do diagnóstico, a pessoa seja encaminhada para o isolamento no hospital para que tenha início o tratamento adequado e se possa prevenir a transmissão para outras pessoas.

Como é feito o tratamento

Não há remédio específico para tratar a infecção pelo vírus Ebola, sendo o tratamento realizado conforme os sintomas apresentados e com a pessoa em isolamento, para evitar a transmissão do vírus para outras pessoas.

O tratamento é feito com o objetivo de manter a pessoa hidratada e com a pressão arterial e níveis de oxigênio normais. Além disso, pode ser recomendado o uso de medicamentos para controlar as dores, febre, diarreia e vômitos, e remédios específicos para tratamento de outras infecções que também podem estar presentes.

É de extrema importância que o paciente fique em isolamento para evitar o espalhamento do vírus, já que essa doença pode ser facilmente transmitida de pessoa para pessoa.

Apesar de não haver um medicamento específico para combater o vírus, existem vários estudos em desenvolvimento que analisam o potencial efeito de produtos sanguíneos, imunoterapia e uso de medicamentos na eliminação do vírus e, assim, combate à doença.

Sinais de melhora

Os sinais de melhora do Ebola podem surgir após algumas semanas e normalmente incluem:

  • Diminuição da febre;
  • Redução dos vômitos e da diarreia;
  • Recuperação do estado de consciência;
  • Diminuição do sangramento pelos olhos, boca e nariz.

Geralmente, após o tratamento, o paciente ainda deve ficar de quarentena e fazer exames de sangue para garantir que o vírus responsável pela doença foi eliminado do seu organismo e, dessa forma, não existir risco de transmissão entre outras pessoas.

Os sinais de piora do Ebola são mais comuns após 7 dias de manifestação dos primeiros sintomas e incluem vômitos escuros, diarreia com sangue, cegueira, insuficiência renal, problemas no fígado ou coma.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Ebola. Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/ebola>. Acesso em 24 Mai 2019
  • MÉDICOS SEM FRONTEIRAS. Ebola. Disponível em: <https://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/ebola>. Acesso em 24 Mai 2019
  • CDC. Ebola (Ebola Virus Disease). Disponível em: <https://www.cdc.gov/vhf/ebola/diagnosis/index.html>. Acesso em 24 Mai 2019
  • MÉDICOS SEM FRONTEIRAS. Ebola. Disponível em: <https://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/ebola>. Acesso em 24 Mai 2019
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Ebola. Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/ebola>. Acesso em 24 Mai 2019
  • CDC. Ebola (Ebola Virus Disease) - Treatment. Disponível em: <https://www.cdc.gov/vhf/ebola/treatment/index.html>. Acesso em 24 Mai 2019
  • CDC. Ebola (Ebola Virus Disease) - Transmission. Disponível em: <https://www.cdc.gov/vhf/ebola/transmission/index.html>. Acesso em 24 Mai 2019
  • WHO. Preliminary results on the efficacy of rVSV-ZEBOV-GP Ebola vaccine using the ring vaccination strategy in the control of an Ebola outbreak in the Democratic Republic of the Congo: an example of integration of research into epidemic response. 2019. Disponível em: <https://www.who.int/csr/resources/publications/ebola/ebola-ring-vaccination-results-12-april-2019.pdf?ua=1>. Acesso em 24 Mai 2019
  • WHO. Ebola virus disease. Disponível em: <https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/ebola-virus-disease>. Acesso em 24 Mai 2019
  • DAVEY, Richard T. et al. A Randomized, Controlled Trial of ZMapp for Ebola Virus Infection. The New England journal of Medicine. Vol 375. 15 ed; 1448-1456, 2016
Mais sobre este assunto: