Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas de Insuficiência Renal Aguda e como identificar

A insuficiência renal aguda, também chamada de lesão renal aguda, é a perda da capacidade dos rins de filtrarem o sangue, causando o acúmulo de toxinas, sais minerais e líquidos na circulação sanguínea.

Esta situação é grave, e surge principalmente em pessoas que estão gravemente doentes, que estão desidratadas, que usam medicamentos tóxicos aos rins, que são idosas ou que já possuem alguma doença renal prévia, pois são situações que levam mais facilmente a alterações do funcionamento do órgão.

Os sintomas de insuficiência renal dependem da sua causa e da gravidade do quadro, e incluem:

  1. Retenção de líquidos, causando inchaço nas pernas ou no corpo;
  2. Redução da quantidade normal de urina, embora em alguns casos possa estar normal;
  3. Alteração da cor da urina, que pode fica mais escurecida, em tom acastanhado ou avermelhado;
  4. Náuseas, vômitos;
  5. Perda do apetite;
  6. Falta de ar;
  7. Fraqueza, cansaço;
  8. Pressão alta;
  9. Arritmias cardíacas;
  10. Pressão alta;
  11. Tremores;
  12. Confusão mental, agitação, convulsões e, até, coma.

É importante lembrar que os casos mais leves a insuficiência renal podem não provocar sintomas, e esta ser descoberta nos exames feitos por outra causa.

Já a insuficiência renal crônica acontece quando há uma perda lenta e gradual da função dos rins, mais comum em pessoas com doenças crônicas como pressão alta, diabetes, nefropatias ou doença vascular, por exemplo, e pode não provocar qualquer sintoma ao longo de muitos anos, até que se torne grave. Confira também quais são os estágios da doença renal crônica, seus sintomas e tratamento.

Como confirmar

A insuficiência renal é detectada pelo médico através de exames de sangue, como dosagens da ureia e creatinina, que indicam alterações na filtração renal quando estão elevados.

No entanto, outros exames mais específicos são necessários para avaliar o nível de funcionamento dos rins, como o cálculo de clearence de creatinina, exames de urina para identificar as suas características e componentes, além de exames de imagem dos rins como ultrassonografia com doppler, por exemplo.

Outros exames também são necessários para avaliar as consequências da insuficiência renal no organismo, como hemograma, pH sanguíneo e dosagem de sais minerais como sódio, potássio, cálcio e fósforo.

Em último caso, quando a causa da doença não foi identificada, o médico pode solicitar uma biópsia renal. Confira as situações em que a biópsia do rim  pode ser indicada e como é feita

Como tratar a insuficiência renal aguda

O primeiro passo para o tratamento da insuficiência renal aguda é identificar e tratar a sua causa, que pode envolver desde uma simples hidratação nas pessoas desidratadas, a suspensão de remédios tóxicos aos rins, a remoção de um cálculo ou o uso de remédios para controlar uma doença auto-imune que afeta os rins, por exemplo. 

A hemodiálise pode ser indicada quando a insuficiência renal é grave e provoca muitos sintomas, alterações graves nas taxas dos sais minerais, acidez do sangue, pressão muito alta ou acúmulo de líquidos em excesso, por exemplo. Entenda como funciona a hemodiálise e quando está indicada.

Em muitos casos de insuficiência renal aguda, é possível recuperar parcialmente ou totalmente a função dos rins com o adequado tratamento. No entanto, nos casos em que o comprometimento destes órgãos tenha sido grave, além da associação de fatores de risco como existência de doenças ou idade, por exemplo, pode surgir uma insuficiência crônica, havendo a necessidade de acompanhamento com o nefrologista e, em alguns casos, até a necessidade de hemodiálise frequente. 

Saiba também mais detalhes sobre o tratamento da insuficiência renal crônica.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...