Coccidioidomicose: o que é, sintomas e tratamento

A coccidioidomicose, também conhecida como febre do vale, é uma doença infecciosa que causada pelo fungo Coccidioides immitis, cujos fungos podem ser encontrados no solo e serem facilmente espalhados pelo ar ou quando se mexe na terra, por exemplo.

Assim, quando há inalação da forma infecciosa desse fungo, é possível notar em alguns casos o aparecimento de alguns sintomas, como febre e calafrios, ficando essa doença conhecida como febre do vale. Quando os sintomas não melhoram ao longo do tempo, é possível haver a evolução para a forma mais grave da doença, em que o fungo espalha-se para outros órgãos, o que fica mais difícil de ser eliminado e pode representar risco de vida para a pessoa.

Normalmente a febre do vale não necessita de tratamento específico, pois seus sintomas melhoram com o tempo, sendo apenas recomendado o repouso e a ingestão de bastante líquido. No entanto, nos casos mais graves, pode ser recomendado pelo médico o uso de antifúngicos, que geralmente são utilizados por um período de 6 a 12 meses.

Coccidioidomicose: o que é, sintomas e tratamento

Sintomas de coccidioidomicose

Os sintomas iniciais da febre do vale não são muito específicos e podem aparecer entre 1 e 3 semanas após o início da infecção. Normalmente os sintomas da coccidioidomicose são leves e não necessitam de tratamento, podendo ser:

  • Febre;
  • Dor torácica;
  • Calafrios;
  • Tosse, que pode vir ou não acompanhada de sangue;
  • Dor de cabeça;
  • Erupções cutâneas, que normalmente surgem nas pernas, mas também podem aparecer em outras áreas do corpo.

Geralmente os sintomas da febre do vale aguda se resolvem com o tempo, mas quando isso não acontece há progressão para a forma crônica da doença, em que os sintomas podem ser um pouco debilitantes, sendo os principais:

  • Perda do apetite;
  • Perda de peso;
  • Fraqueza;
  • Dor no peito;
  • Formação de nódulos no pulmão.

A coccidioidomicose disseminada é a forma mais grave da doença e acontece quando o fungo atinge outros órgãos, como ossos, fígado, baço, rins e cérebro, pro exemplo, causando sintomas específicos, como formação de nódulos e úlceras e meningite, por exemplo. É importante que os sintomas dessa forma da doença seja identificada o mais breve possível para que se possa ser iniciado o tratamento.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico inicial da coccidioidomicose é feito pelo clínico geral, infectologista ou pneumologista pode meio da observação dos sinais e sintomas da pessoa, sendo também feita uma avaliação dos hábitos de vida da pessoa.

Para confirmar a infecção pelo Coccidioides immitis, pode ser indicado pelo médico a realização de exame direto e/ou histopatológico, em que é feita a coleta de uma amostra respiratória, de sangue ou de erupção cutânea, caso exista, que é enviada para o laboratório para análise. Pode ainda ser solicitado pelo médico a realização do exame de raio-X do pulmão com o objetivo de avaliar se há sinais de comprometimento pulmonar.

Como acontece a transmissão

O fungo consegue infectar as pessoas por meio de suas formas infecciosas, que são facilmente inaladas pelas pessoas, uma vez que podem ser facilmente espalhadas pelo ar. Além disso, pessoas que se encontram em contato direto com solo ou frequentam ambientes de construção, têm mais chance de inalar os esporos do fungo.

Como é feito o tratamento

Como os sintomas iniciais da febre do vale são leves e normalmente melhoram com o tempo, é recomendado repouso e ingestão de muito líquido. No entanto, caso haja piora dos sintomas e, consequentemente, ocorrência das formas mais graves da doença (crônica e disseminada), pode ser indicado pelo médico o uso de medicamentos antifúngicos, como Fluconazol, Itraconazol ou Anfotericina B de acordo com a recomendação médica.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Coccidioidomicose. Disponível em: <https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/c/coccidioidomicose>. Acesso em 10 Ago 2021
Mais sobre este assunto: