Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas de esclerodermia

Os sintomas da esclerodermia, que é uma doença autoimune em que ocorre acúmulo de colágeno nos tecidos do organismo, variam de acordo com o tipo de esclerodermia e o local do corpo afetado.

Assim, na esclerodermia localizada, em que a doença afeta apenas a pele, os sintomas geralmente ocorrem na pele das mãos e do rosto, enquanto que na esclerodermia sistêmica, em que a doença afeta outros órgãos como pulmões ou coração, por exemplo, os sintomas estão relacionados com o local do corpo afetado.

Inchaço das mãos: sintoma de esclerodermia localizadaInchaço das mãos: sintoma de esclerodermia localizada
Manchas vermelhas no rosto: sintoma de esclerodermia sistêmicaManchas vermelhas no rosto: sintoma de esclerodermia sistêmica

Desta forma, os sintomas de esclerodermia localizada incluem:

  • Inchaço das mãos;
  • Espessamento da pele, especialmente nos dedos;
  • Formigamento e alterações da coloração da pele, devido ao frio;
  • Manchas claras ou escuras na pele.

Normalmente, os sintomas iniciais de esclerodermia localizada incluem o espessamento e o inchaço da ponta dos dedos, podendo estes ficar roxos ou brancos. Saiba mais em: Como se identifica a esclerodermia.

Já os sintomas de esclerodermia sistêmica incluem:

  • Aumento da pressão sanguínea;
  • Manchas vermelhas no rosto;
  • Má digestão;
  • Dificuldade para engolir;
  • Sensação de falta de ar;
  • Respiração rápida;
  • Perda de peso sem causa aparente;
  • Problemas no fígado;
  • Problemas cardíacos, como insuficiência cardíaca ou arritmia.

Os indivíduos com sintomas de esclerodermia devem consultar um clínico geral ou cirurgião vascular para realizarem exames de sangue e outros exames necessários como raio-x ou biópsia da pele, por exemplo, para fazer o diagnóstico da doença e iniciar o tratamento adequado.

Tratamento para esclerodermia

O tratamento para esclerodermia tem como objetivo aliviar os sintomas da doença, uma vez que não existe cura. Desta forma, o tratamento para esclerodermia geralmente é feito com remédios anti-inflamatórios como o Ibuprofeno ou corticoides como a Prednisona, aliados a exercícios de fisioterapia.

De acordo com os locais do corpo afetados e os sintomas que o paciente apresenta, o médico poderá prescrever outros remédios mais específicos.

Para saber mais sobre como tratar a esclerodermia consulte: Tratamento para esclerodermia.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...